19/06/2016

Compositores #118: John Cage (1912-1992)

Chega-me a informação de que a Artsy, que tem por objectivo tornar a arte mais acessível a toda a gente, tem uma página dedicada ao compositor John Cage, que pode ser encontrada neste endereço: https://www.artsy.net/artist/john-cage

Obras Orquestrais #30: Apparitions, de György Ligeti

Já se sabe que a década de 1960 encontrou o compositor húngaro György Ligeti (1923-2006) particularmente activo, sendo dessa altura algumas das suas obras mais significativas. No que a obras orquestrais diz respeito, Atmosphères, escrita em 1961, passa por ser uma das mais conhecidas hoje em dia.

Um pouco antes, nos finais da década de 1950, Ligeti compôs Apparitions. Segundo o próprio compositor reconheceu, estas duas obras valeram-lhe um reconhecimento mais generalizado; ou, nas suas próprias palavras, "ficou famoso"...

A estreia de Apparitions teve lugar no dia 19 de Junho de 1960, passam hoje 56 anos.


CD



György Ligeti
Lontano. Atmosphères. Apparitions. San Francisco Polyphony. Concert Românesc.
Berlin Philhsrmonic Orchestra
Jonathan Nott
Teldec 8573-88261-2


Internet



György Ligeti
Schott Music / Allmusic / Wikipedia

05/06/2016

Pianistas #46: Martha Argerich (1941-)

Não foi por acaso que, aquando do 66º aniversário de Martha Argerich, apenas trouxe para este canto gravações de música de câmara efectuadas por esta pianista nascida em Buenos Aires em 1941. É que a partir de certa altura da sua carreira, algures durante a década de 1980, praticamente deixou de dar recitais a solo, concentrando-se em formas mais colaborativas (música de câmara, música orquestral c/ solista).

Desta vez, no dia em que celebra o seu 75º aniversário, convido Martha Argerich a solista, a interpretar obras de um dos (vários) compositores em que se distinguiu: Frédéric Chopin (1810-1849). Na primeira gravação aparece a tocar uma das mais conhecidas Polonaises deste compositor, a nº6, enquanto na segunda (apenas som) ataca o 1º concerto para piano, acompanhada pela Orquestra Sinfónica de Londres dirigida pelo já falecido Claudio Abbado (1933-2014)


CDs



Frédéric Chopin
Piano Concertos - No.1 in E minor, Op.11; No.2 in F minor, Op.21.
Martha Argerich (piano)
Montreal Symphony Orchestra
Charles Dutoit
EMI 5 56798-2
(1998)

Frédéric Chopin
24 Préludes, Op.28. Prélude No.25 in C sharp minor, Op.45. Prélude No.26 in A flat, Op. Posth.
Piano Sonata No.2 in B flat minor, Op.35.
Martha Argerich (piano)
Deutsche Grammophon The Originals 463 663-2

Frédéric Chopin
Ballade No.1, Op.23. Étude, Op.10 No.4. Mazurkas - No.15, Op.24 No.2; No.23, Op.33 No.2;
No.26; No.27. Nocturnes - No.4; No.16.
Martha Argerich (piano)
Deutsche Grammophon 477 7557


Internet



Martha Argerich
Martha Argerich - The Concerts / Bach Cantatas Website / Wikipedia

29/05/2016

Maestros #68: Karl Münchinger (1915-1990)

Se houve compositor a que o maestro alemão Karl Münchinger deu atenção foi, indubitavelmente, Johann Sebastian Bach (1685-1750). Teve um cuidado especial em recuperar as tradições barrocas no que à interpretação dizia respeito, embora nunca tenha ido na "onda" das "interpretações historicamente informadas"; a sua Orquestra de Câmara de Estugarda, que fundou logo após o final da 2ª Grande Guerra, não utilizou instrumentos da época.

O vídeo que incluo mais abaixo é um documento particularmente importante: além de nos apresentar Münchinger e a referida Orquestra de Câmara de Estugarda a tocarem um dos Concertos Brandeburgueses de Bach, no caso o nº4, brinda-nos ainda com a participação de um dos mais conceituados flautistas de todos os tempos, o francês Jean-Pierre Rampal (1922-2000).

Karl Münchinger nasceu há 101 anos, no dia 29 de Maio de 1915.


Internet



Karl Münchinger
Naxos / allmusic / Wikipedia

22/05/2016

Obras Vocais #14: Messa da Requiem, de Giuseppe Verdi

Alessandro Manzoni (1785-1873) foi um poeta e romancista italiano, grandemente admirado por Giuseppe Verdi (1813-1901), principalmente depois de ter lido o romance I Promessi Sposi, publicado entre 1825 e 1827 ao ritmo de um volume por ano.

Abalado pela morte de Manzoni, e aproveitando o trabalho que já tinha tido na composição de um dos movimentos de um Requiem em honra de Gioacchino Rossini (1792-1868), obra que se pretendia que resultasse da colaboração de vários compositores, mas que acabou por nunca ver a luz do dia, Verdi lançou-se então na composição de uma obra que homenageasse devidamente o escritor.

A estreia da Messa de Requiem teve lugar em Milão no dia 22 de Maio de 1874, exactamente 1 ano após o falecimento de Manzoni.


CDs





Giuseppe Verdi
Messa da Requiem. Quattro pezzi sacri.
Elena Filipova (soprano), Gloria Scalchi (meio-soprano),
Cesar Hernández (tenor), Carlo Colombara (baixo)
Hungarian State Operas Choir
Hungarian State Orchestra
Pier Giorgio Morandi
Naxos 8.550944/45
(1996)

Giuseppe Verdi
Messa da Requiem.
Angela Gheorghiu (soprano), Daniela Barcellona (meio-soprano),
Roberto Alagna (tenor), Julian Konstantinov (baixo)
Eric Ericson Chamber Choir
Swedish Radio Chorus
Berlin Philharmonic Orchestra
Claudio Abbado
EMI 5 57168-2
(2001)

Giuseppe Verdi
Messa da Requiem.
Zinka Milanov (soprano), Kerstin Thorborg (meio-soprano),
Helge Rosvaenge (tenor), Nicola Moscona (baixo)
BBC Symphony Chorus
BBC Symphony Orchestra
Arturo Toscanini
Testament SBT2 1362
(1938)

Giuseppe Verdi
Messa da Requiem.
Antonietta Stella (soprano), Oralia Dominguez (meio-soprano),
Nicolai Gedda (tenor), Giuseppe Modesti (baixo)
Vienna Singverein
Vienna Symphony Orchestra
Herbert von Karajan
Orfeo C728 082B
(1954)

Giuseppe Verdi
Messa da Requiem.
Violeta Urmana (soprano), Olga Borodina (meio-soprano),
Ramón Vargas (tenor), Ferruccio Furlanetto (baixo)
Teatro Regio Choir
North German Radio Chorus
West German Radio Symphony Chorus
West German Radio Symphony Orchestra
Semyon Bychkov
Profil PH08036

Giuseppe Verdi
Messa da Requiem.
Anja Harteros (soprano), Sonia Ganassi (meio-soprano),
Rolando Villazón (tenor), René Pape (baixo)
Santa Cecilia Academy Chorus
Santa Cecilia Academy Orchestra
Antonio Pappano
EMI 6 98936-2

Giuseppe Verdi
Messa da Requiem.
Margaret Price (soprano), Livia Budai (meio-soprano),
Giuseppe Giacomini (tenor), Robert Lloyd (baixo)
London Philharmonic Choir
London Philharmonic Orchestra
Jesus López-Cobos
LPO LPO0048
(1983)

Giuseppe Verdi
Messa da Requiem.
Anja Harteros (soprano), Elina Garanca (meio-soprano),
Jonas Kaufamnn (tenor), René Pape (baixo)
Chorus del Teatro Alla Scala, Milan
Orchestra del Teatro Alla Scala
Daniel Barenboim
Decca 478 5245
(2012)

Giuseppe Verdi
Messa da Requiem.
Leontyne Price (soprano), Giulietta Simionato (meio-soprano),
Giuseppe Zampieri (tenor), Nicolai Ghiaurov (baixo)
Vienna Singverein
Berlin Philharmonic Orchestra
Herbert von Karajan
Testament SBT1491
(1962)


Internet



Giuseppe Verdi
Casa da Música / Classical Net / Wikipedia

14/05/2016

Compositores #117: Lou Harrison (1917-2003)

Lou Harrison, tal como o seu compatriota John Cage (1912-1992), foi um compositor norte-americano cujo conjunto das obras que escreveu exibe uma forte predominância dos instrumentos de percussão. Não é de espantar, portanto, a sua admiração por Gamelan, a música tradicional de Java e Bali, na Indonésia, que se baseia essencialmente na utilização de instrumentos de percussão.

Essa obsessão chegou ao ponto de Harrison ter procurado estabelecer várias orquestras de Gamelan nos Estados Unidos, ao mesmo tempo que ambicionava criar uma versão americana de Gamelan, através da criação de novos instrumentos. Em 1972 o compositor escreveu La Koro Sutro, uma obra que apenas pode ser tocada utilizando instrumentos criados por Lou Harrison e pelo seu companheiro William Colvig (1917-2000).

Lou Harrison nasceu há 99 anos, no dia 14 de Maio de 1917.


CDs



Lou Harrison
A Portrait.
Symphony No.4, "Last Symphony". Solstice - excerpts. Concerto in slendro.
Elegy, to the Memory of Calvin Simmons.
Al Jarreau (cantor), Maria Bachmann (violino)
California Orchestra
Barry Jekowsky
Argo 455 590-2

Lou Harrison
Piano Concerto.
Joanna MacGregor (piano)
Sidney Symphony Orchestra
Sian Edwards
Sound Circus
SC 005

Lou Harrison
Rhymes with Silver.
Joan Jeanrenaud (violoncelo), David Abel (violino), Benjamin Simon (viola),
Julie Steinberg (piano), William Winant (percussão)
New Albion NA 110CD


Internet



Lou Harrison
American Mavericks / peermusic classical / Wikipedia

01/05/2016

Compositores #116: Percy Whitlock (1903-1946)

Percy Whitlock, falecido passam hoje 70 anos, é um dos menos conhecidos compositores ingleses do século passado. Aluno de Ralph Vaughan Williams (1872-1958) no Royal College of Music, foi principalmente como organista que interveio no meio musical, actividade que foi conciliando com a composição. Não será de espantar que as obras instrumentais que compôs tenham sido na sua maioria, se não na sua totalidade..., para órgão; deixou-nos ainda um conjunto apreciável de obras orquestrais e vocais.

Não há, conforme seria de esperar, muitos discos (de relevo) dedicados à sua obra, sendo o que aparece abaixo listado um dos mais representativos das suas peças para órgão. John Scott, o organista de serviço neste disco, morreu recentemente, em Agosto do ano passado, na parte final de uma digressão que o levou a sete países europeus e aos Estados Unidos (Nova Iorque, onde faleceria vítima de problemas cardíacos).


CD



Percy Whitlock
Organ Sonata in C minor. Five Short Pieces.
Fantasie Choral No.1 in D flat major.
John Scott (órgão)
Hyperion CDA67470
(2004)


Internet



Percy Whitlock
The Percy Whitlock Trust / MusicWeb International / Wikipedia

24/04/2016

Obras Vocais #13: Music for 18 Musicians, de Steve Reich

A palavra que mais depressa nos vem à mente quando pensamos em Steve Reich (1936-) é "minimalismo", ou não seja ele um dos seus maiores expoentes. Ao ter-se cruzado, ao longo do seu período de formação, com Philip Glass (1937-) e Terry Riley (1935-), o fascínio pela repetição de padrões era quase inevitável.

A obra que primeiro chamou a atenção para Reich e lhe trouxe um reconhecimento generalizado foi Music for 18 Musicians, escrita entre 1974 e 1976 e estreada em Nova Iorque no dia 24 de Abril de 1976, passam hoje 40 anos.

É uma obra obviamente marcada pelo minimalismo mas, ao mesmo tempo, é também a primeira de Reich que apresenta uma assinalável variedade harmónica. Há mesmo quem diga que foi a obra que marcou o fim da fase minimalista do compositor.

Para vos poupar trabalho, posso confirmar que, no vídeo abaixo incluído, com membros do Ensemble InterContemporain, são 18 os músicos de serviço...


CD



Steve Reich
Music for 18 Musicians.
Ensemble Signal
Brad Lubman
Harmonia Mundi HMU90 7608
(2011)


Internet



Steve Reich
The Steve Reich Webiste / Boosey and Hawkes / Wikipedia

17/04/2016

Contraltos #2: Pamela Bowden (1925-2003)

A inglesa Pamela Bowden, contralto, compensou a ausência dos palcos operáticos, onde poucas presenças registou, com uma dedicação extraordinária aos compositores seus contemporâneos, nomeadamente Malcolm Arnold (1921-2006), Lennox Berkeley (1903-1989), Benjamin Britten (1913-1976) e Michael Tippett (1905-1998).

William Blake (1757-1827), que dificilmente poderia ser um contralto..., foi um poeta, pintor e tipógrafo inglês, cuja obra poética, em particular, apenas teve o devido reconhecimento já bem depois da sua morte. Malcolm Arnold musicou 5 poemas de Blake em 1959 ("Five William Blake Songs"), tendo precisamente em vista Pamela Bowden, a quem dedicou as canções. A estreia ocorreu no dia 26 de Março de 1959, naturalmente com a própria Bowden,  e com o compositor a dirigir a orquestra (de cordas).

Dos 5 poemas escolhidos por Arnold este passa por ser o meu preferido:

Memory, hither come

Memory, hither come,
    And tune your merry notes;
And, while upon the wind,
    Your music floats,
I'll pore upon the stream,
    Where sighing lovers dream,
And fish for fancies as they pass
    Within the watery glass.

I'll drink of the clear stream,
    And hear the linnet's song;
And there I'll lie and dream
    The day along:
And, when night comes, I'll go
    To places fit for woe,
Walking along the darken'd valley,
    With silent Melancholy.

Pamela Bowden nasceu há 91 anos, no dia 17 de Abril de 1925.


CD



Malcolm Arnold
Peterloo Overture, Op.97. Concerto for Two Pianos (three hands) & Orchestra, Op.104.
Song of Simeon - A Nativity Masque, Op.69. Viola Concerto, Op.108. Four Cornish Dances, Op.91.
The Fair Field - Overture, Op.110. Concerto for Two Violins, Op.77.
Fantasy for Solo Harp, Op.117. Sinfonietta No.1, Op.48. Horn Concerto No.2, Op.58.
Five Blake Songs, Op.66.
Ann Dowdall, Ursula Connors (sopranos), Jean Allister, Pamela Bowden (contraltos),
Ian Partridge (tenor), Christopher Keyte, Forbes Robinson (baixos), Simon Hutton (narrador),
Roger Best (viola)
BBC Symphony Orchestra, Northern Sinfonia, London Symphony Orchestra,
English Chamber Orchestra, BBC Northern Orchestra
Malcolm Arnold
BBC Radio Classics 15656 91817-2
(1966, 1967, 1968, 1969, 1971, 1973, 1976, 1977)


Internet



Pamela Bowden
The Telegraph / Wikipedia

09/04/2016

Obras Orquestrais #29: Amériques, de Edgard Varèse

Edgard Varèse (1883-1965), parisiense de nascimento. dividiu os primeiros anos de vida entre a França, Itália e a Alemanha, onde viveu entre 1907 e 1915. As dificuldades em arranjar um emprego regular que lhe desse um mínimo de estabilidade levaram-no a mudar-se para os Estados Unidos, acabando mesmo por adquirir a cidadania norte-americana em 1926.

Um incêndio em Berlim tinha destruído a quase totalidade das partituras das obras que escreveu em solo europeu, pelo que Amériques, a primeira obra que compôs em solo americano, se tornou, na prática, na primeira do seu percurso como compositor.

Escrita entre 1918 e 1921, foi estreada por Leopold Stokowski  (1882-1977) e a Orquestra de Filadélfia no dia 9 de Abril de 1926, passam hoje 90 anos.


CDs



Edgard Varèse
The Complete Works
Tuning Up. Amériques. Déserts. Hyperprism. Poème électronique. Arcana. Nocturnal.
Un grand sommeil noir. Offrandes. Octandre. Intégrales. Ecuatorial. Ionisation.
Density 21.5. Dance for Burgess.
Sarah Leonard, Mireille Delunsch (sopranos), Kevin Deas (baixo), Jacques Zoon (flauta),
François Kerdoncuff (piano), Edgard Varèse (electrónica)
ASKO Ensemble
Prague Philharmonic Chorus
Royal Concertgebouw Orchestra
Riccardo Chailly
Decca 460 208-2

Edgard Varèse
Amériques. Arcana. Déserts. Ionisation.
Chicago Symphony Orchestra
Pierre Boulez
Deutsche Grammophon 471 137-2
(1995, 1996)

Edgard Varèse
Orchestral Works, Vol.2
Amériques. Ecuatorial. Nocturnal. Ionisation. Hyperprism. Densité 21.5. Un grand sommeil noir.
Dance for Burgess. Tuning Up.
Elizabeth Watts (soprano), Maria Grochowska (flauta), Thomas Bloch (onde),
Christopher Lyndon-Gee (piano)
Camerata Silesia
Polish National Radio Symphony Orchestra
Christopher Lyndon-Gee
Naxos 8.557882
(2005)


Internet



Edgard Varèse
Carnegie Hall / allmusic / Wikipedia

03/04/2016

Pianistas #45: Lili Kraus (1903-1896)

Lili Kraus ainda foi daquele tempo em que nós olhamos para a lista de professores que teve e não conseguimos deixar de ficar impressionados; hoje em dia, parece-me, já não é tanto assim, sendo difícil identificar muitos que se distingam simultaneamente como professores e compositores.

Voltando a Lili Kraus e ao meu ponto inicial, reparemos nalguns dos professores que ajudaram na sua formação:

Primeiro em Budapeste, cidade onde nasceu e frequentou a Academia de Música: Zoltán Kodály (1882-1967) e Béla Bartók (1881-1945);

Depois em Viena, onde encontrou Eduard Steuermann (1892-1964), que também foi professor de Alfred Brendel (1931-), e Artur Schnabel (1882-1951).
    Nos vídeos que incluo a seguir aparece a interpretar obras de um dos compositores em que mais se distinguiu, Franz Schubert (1797-1828).

    Lili Kraus nasceu há 111 anos, no dia 3 de Abril de 1905.


    CD



    'Great Pianists, Vol.1'
    Ludwig van Beethoven
    Piano Concerto No.4 in G major, Op.58.
    Carl Maria von Weber
    Konzertstück for Piano and Orchestra in F minor, Op.79.
    Sergei Rachmaninov
    Rhapsody on a Theme of Paganini, Op.43.
    Wilhelm Backhaus (piano), New York Philharmonic Orchestra, Guido Cantelli
    Lili Kraus (piano), Concertgebouw Orchestra, Pierre Monteux
    Arthur Rubinstein, New York Philharmonic Orchestra, Victor de Sabata
    Guild GHCD2349
    (1956, 1939, 1953)


    Internet



    Lili Kraus
    The New York Times / Naxos / Wikipedia

    26/03/2016

    Poetas #9: A. E. Housman (1859-1936)

    "A Shropshire Lad", um ciclo de 63 poemas publicado pela primeira vez em 1896, passa por ser a obra mais conhecida do poeta inglês A. E. Housman e, caso contrário provavelmente não seria para aqui chamado..., atraiu a atenção de importantes compositores, que musicaram vários dos seus poemas.

    Ralph Vaughan Williams (1872-1958) foi um deles, com o ciclo de 6 canções On Wenlock Edge, de 1909; outro foi o igualmente inglês George Butterworth (1885-1916) que, em 1911, publicou um ciclo de 6 canções baseadas noutros tantos poemas de "A Shropshire Lad":

    • Loveliest of trees
    • When I was one and twenty
    • Look not in my eyes
    • Think no more, lad
    • The lads in their hundreds
    • Is my team ploughing?

    When I was one-and-twenty

    When I was one-and-twenty
    I heard a wise man say,
    “Give crowns and pounds and guineas
    But not your heart away;
    Give pearls away and rubies
    But keep your fancy free.”
    But I was one-and-twenty,
    No use to talk to me.

    When I was one-and-twenty
    I heard him say again,
    “The heart out of the bosom
    Was never given in vain;
    ’Tis paid with sighs a plenty
    And sold for endless rue.”
    And I am two-and-twenty,
    And oh, ’tis true, ’tis true.

    Este é o poema lido pelo actor inglês Donald Pleasence (1919-1995) no memorável episódio de 1962 "The Changing of the Guard" da série The Twilight Zone, no papel de um professor a quem calhou em sorte um notável conjunto de alunos não particularmente motivados para os encantos da aprendizagem.

    A. E. Housman nasceu há 157 anos, no dia 26 de Março de 1859.


    CDs



    George Butterworth
    'The Complete Butterworth Songbook'.
    A Shropshire Lad. Eleven Folksongs from Sussex. Love Blows as the Wind Blows. Requiescat.
    Mark Stone (barítono), Stephen Barlow (piano)
    Stone Records 506019 2780024
    (2009)

    George Butterworth
    A Shropshire Lad. Bredon Hill and other songs from 'A Shropshire Lad'. 11 Folksongs from Sussex.
    I will make your brooches. Requiescat.
    Roderick Williams (barítono), Iain Burnside (piano)
    Naxos 8.572426
    (2010)


    Internet



    A. E. Housman
    PoemHunter / The Victorian Web / Wikipedia

    George Butterworth
    War Composers / FirstWorldWar / Wikipedia

    19/03/2016

    Concertos para Violoncelo #4: Concerto para Violoncelo, de Dvorák

    A primeira tentativa de Antonín Dvorák (1841-904) para compor um concerto para violoncelo foi em 1865, bem no início da sua carreira como compositor, portanto. A coisa não saiu exactamente como ele esperava, pelo que o abandonou sem ter chegado sequer a proceder à respectiva orquestração.

    Foram precisos quase 30 anos para Dvorák voltar ao assunto e, entre Novembro de 1894 e Fevereiro de 1895, lá se entreteve às voltas com um concerto para violoncelo. Um processo que, de novo, não esteve isento de peripécias: Hanuš Wihan (1855-1920), violoncelista amigo de Dvorák e dedicatário da obra, era o escolhido para o concerto de estreia, mas após várias desavenças (relacionadas com alterações que Wihan procurou fazer na obra sem autorização do compositor), e desencontros (relacionados com a data do concerto de estreia), acabou por ser Leo Stern (1862-1904) a ter a honra de ser o violoncelista responsável pela estreia da obra.

    Estreia essa que teve lugar em Londres no dia 19 de Março de 1896, passam hoje 120 anos, com o próprio Dvorák à frente da orquestra.


    CDs







    Antonín Dvorák
    Cello Concerto in B minor, Op.104 B101.
    Edward Elgar
    Cello Concerto in E minor, Op.85.
    André Navarra (violoncelo)
    National Symphony Orchestra, Rudolf Schwarz
    Hallé Orchestra, John Barbirolli
    Testament SBT1204
    (1954, 1957)

    Antonín Dvorák
    Cello Concerto in B minor, Op.104 B101.
    Camille Saint-Saëns
    Cello Concerto No.1 in A minor, Op.33.
    Mstislav Rostropovich (violoncelo)
    London Philharmonic Orchestra
    Carlo Maria Giulini
    EMI GROC 5 67593-2

    Antonín Dvorák
    Cello Concerto in B minor, Op.104 B101.
    Robert Schumann
    Cello Concerto in A minor, Op.129.
    Mstislav Rostropovich (violoncelo)
    USSR State Symphony Orchestra, Evgeni Svetlanov
    London Symphony Orchestra, Benjamin Britten
    BBC Legends BBCL4110-2
    (1961, 1968)

    Antonín Dvorák
    Cello Concerto in B minor, Op.104 B101.
    Jacques Ibert
    Concerto for Cello and Wind Instruments.
    Jacqueline du Pré (violoncelo)
    Royal Liverpool Philharmonic Orchestra, Charles Groves
    Michael Krein Orchestra, Michael Krein
    BBC Legends BBCL4156-2
    (1962, 1969)

    Antonín Dvorák
    Cello Concerto in B minor, Op.104 B101. Piano Trio No.4 in E minor, , 'Dumky', Op.90 B166.
    Jean-Guihen Queyras (violoncelo), Isabelle Faust (violino), Alexander Melnikov (piano)
    Prague Philharmonia
    Jiří Bělohlávek
    Harmonia Mundi HMC90 1867

    Antonín Dvorák
    Cello Concerto in B minor, Op.104 B101. Piano Concerto in G minor, Op.33 B63.
    Frantisek Maxian (pianof), Mstislav Rostropovich (violoncelo)
    Czech Philharmonic Orchestra
    Vaclav Talich
    Supraphon SU3825-2
    (1951, 1952)

    Antonín Dvorák
    Cello Concerto in B minor, Op.104 B101.
    Victor Herbert
    Cello Concerto No.2 in E minor, Op.30.
    Gautier Capuçon (violoncelo)
    Frankfurt Radio Symphony Orchestra
    Paavo Järvi
    Virgin Classics 5 19035-2

    Antonín Dvorák
    Cello Concerto in B minor, Op.104 B191. The Water Goblin, Op.107 B195.
    In Nature's Realm, Op.91 B168.
    Zuill Bailey (violoncelo)
    Indianapolis Symphony Orchestra
    Jun Märkl
    Telarc TEL32927-02

    Antonín Dvorák
    Cello Concertos - in A major, B10; in B minor, Op.104 B191 (plus original ending).
    Lasst mich allein, Op.82 B157 No.1.
    Steven Isserlis (violoncelo)
    Mahler Chamber Orchestra
    Daniel Harding
    Hyperion CDA67917
    (2012)

    Antonín Dvorák
    Cello Concerto in B minor, Op.104 B191. Lasst mich allein, Op.82 B157 No.1 (arr. Lenehan).
    Rondo in G minor, Op.94 B171. Goin' Home (Theme from Symphony No.9, arr. Fisher/Lehenan).
    Songs my mother taught me, Op.55 B104 No.4 (arr. Grünfeld).
    Silent Woods, Op.68 No.5 B173. Slavonic Dance in G minor, Op.46 B172 No.8.
    Alisa Weilerstein (violoncelo), Anna Polonsky (piano)
    Czech Philharmonic Orchestra
    Jirí Belohlávek
    Decca 478 5705

    Antonín Dvorák
    Cello Concerto in B minor, Op.104 B101.
    Camille Saint-Saëns
    Cello Concerto No.1 in A minor, Op.33.
    Pablo Casals
    El cant dels ocells.
    Pierre Fournier (violoncelo)
    Swiss Festival Orchestral, István Kertész
    Orchestre Philharmonique de l'ORTF, Jean Martinon
    Audite AUDITE95.628
    (1962, 1967, 1976)

    Anton Bruckner
    Symphony No.8 in C minor.
    Antonín Dvorák
    Cello Concerto in B minor, Op.104 B101.
    Enrico Mainardi (violoncelo)
    Hessian Radio Symphony Orchestra
    Eugen Jochum
    Tahra TAH638/9

    Piotr Ilyich Tchaikovsky
    Variations on a Rococo Theme, Op.33.
    Antonín Dvorák
    Cello Concerto in B minor, Op.104 B101.
    Mstislav Rostropovich (violoncelo)
    Berlin Philahrmonic Orchestra
    Herbert von Karajan
    Deutsche Grammophon 447 413-2
    (1968)

    Luigi Cherubini
    Anacreón Overture.
    Antonín Dvorák
    Cello Concerto in B minor, Op.104 B101.
    César Franck
    Symphony in D minor.
    Paul Tortelier (violoncelo)
    French Radio National Orchestra
    Willem Mengelberg
    Malibran Music CDRG188
    (1944)


    SACD



    Antonín Dvorák
    Cello Concerto in B minor, Op.104 B101. Symphonic Variations, Op.78 B70.
    Pieter Wispelwey (violoncelo)
    Budapest Festival Orchestra
    Iván Fischer
    Channel Classics CCSSA25807


    Internet





    Antonín Dvorák
    Antonín Dvorák / mfiles / Wikipedia