16/08/2004

Mitologia #1

Em época de Jogos Olímpicos, que ao fim de 108 anos regressam à Grécia, vamos dedicar algum tempo à mitologia grega e, a partir dela, estabelecer pontes com o mundo da música: compositores, composições, editoras, etc. Veremos no que isto vai dar...



Para o efeito vamos seguir a história de Teseu, nascido em Trezena filho de pai incerto (Egeu, Rei De Atenas, ou Posídon, Rei dos Mares) e de mãe certa (Etra). Antes de partir para Atenas, no dia seguinte a se ter "enrolado" com Etra, Egeu colocou uma espada debaixo de uma pesada pedra. Caso Etra desse à luz um rapaz, assim que este tivesse idade suficiente deveria retirá-la e com ela dirigir-se a Atenas para reclamar os seus direitos. Assim aconteceu, tendo a caminhada para Atenas sido deveras atribulada, e durante a qual Teseu matou 6 perigosos adversários, usando as próprias armas deles. Se tal se proporcionar pode ser que mais tarde num outro "post" olhemos mais detalhadamente para esta viagem, que só por si é uma história.



Uma vez chegado a Atenas o nosso Teseu conheceu Medeia, a nova mulher do seu pai, e que de imediato viu nele uma ameaça para o seu próprio filho vir a suceder ao Rei Egeu. Por duas vezes sobreviveu aos malefícios de Medeia: numa delas matando o touro de Maratona, na outra escapando por pouco a uma tentativa de envenenamento. Egeu reconheceu entretanto a espada que ele transportava, reconhecendo também Teseu como seu filho e portanto seu sucessor. Confirmavam-se assim os piores receios de Medeia.

A seguir: o Labirinto.