26/08/2004

Mitologia - 4

As Amazonas eram mulheres guerreiras, cavaleiras destemidas e extremamente hábeis no manuseamento do arco e flecha. Viviam à parte dos homens, que só eram chamados à liça para garantir a perpetuação da espécie (vida santa, dirão alguns...).



Por mais de uma vez Teseu enfrentou as Amazonas, e verdade seja dita que não se saiu nada mal. Da primeira acompanhou Héracles (Hércules em latim) e em conjunto enfrentaram-nas e à sua deusa Hera.



Na batalha daí resultante pereceram inúmeras Amazonas, e o nosso herói não saiu de lá sem antes raptar a mais bela de entre elas, que, como já por esta altura adivinharam, passou a ser sua mulher. Há várias versões quanto ao nome da princesa, mas numa coisa estão mais ou menos todas de acordo: dessa ligação nasceu um filho, a que deram o nome de Hipólito.

Naturalmente que as Amazonas se reorganizaram e prepararam a retaliação, tendo para o efeito declarado guerra a Atenas. No trajecto para essa cidade derrotaram todos os que se lhes opuseram, facilidades essas que contudo não viriam a manter-se até ao fim. Os guerreiros atenienses, liderados por Teseu, venceram a batalha definitiva e escorraçaram as Amazonas de Ática. E assim se deu o segundo confronto entre Teseu e as Amazonas, e de novo com uma pesada derrota para estas.



A seguir: o final (e as ligações à música?!)