23/09/2004

Lugares - 19

Durante os séculos XIV e XV Brugge cresceu e prosperou: aproximou-se dos 50.000 habitantes e tornou-se numa das mais ricas cidades europeias.



Veio depois o declínio: a concorrência de Antuérpia, com um porto bem maior, o declínio da indústria têxtil e, principalmente, o assoreamento do canal que ditou o fecho do acesso ao mar do Norte, tiveram consequências devastadoras para a cidade.

Ainda assim os séculos XV e XVI viram uma importante escola de pintura flamenga desenvolver-se na cidade, de onde se podem destacar Jan van Eyck (1395?-1441), Hans Memling (1430?-1494), Hugo van der Goes (1440?-1482) e Rogier van der Weyden (1399?-1464). Aparentemente não se dava muita importância à data em que viam pela primeira vez a luz do dia, apenas há certezas quanto aquela em que esticaram o pernil...


Jan van Eyck, The Virgin of Chancellor Rolin


Hans Memling, The Mystic Marriage of St. Catherine


Hugo van der Goes, Adoration of the Shepherds


Rogier van der Weyden, Middelburg Altarpiece

Neste período a influência da pequena cidade de Brugge estendia-se pela Europa. Os mercadores de países como Portugal, Espanha ou Itália que durante o século XV vinham até estas paragens estabeleciam também as pontes culturais e ajudavam a espalhar o prestígio e a influência da escola flamenga de Brugge.

A seguir: até aos nossos dias