08/10/2004

Invasões Francesas #3

A 2ª invasão francesa (continuação)

Enquanto no Porto, Soult assentou arraiais no Palácio dos Carrancas, onde hoje em dia se encontra o Museu Nacional Soares dos Reis.


Soult

A partir do Porto coordenou as operações seguintes, em particular aquelas que tiveram lugar na região do Tâmega, por se preverem mais complicadas. O dia 18 de Abril de 1809, em particular, foi histórico: por três vezes os franceses tentaram atravessar a ponte de Amarante, por três vezes apanharam das tropas portuguesas, comandadas pelo general Silveira, mais tarde 1º Conde de Amarante em reconhecimento pelos feitos realizados. Só passados 14 dias os franceses conseguiram atravessar o diabo da ponte, tal a resistência portuguesa.


General Silveira

Wellesley, entretanto regressado a Portugal para voltar a comandar o exército anglo-luso, concentrou as tropas em Coimbra, de onde saíram para o Porto no dia 8 de Maio, com o objectivo de recuperar a cidade. Pelo caminho foram fazendo o aquecimento, desancando os franceses sucessivamente em Albergaria, Grijó e Santo Ovídio. A chegada a Vila Nova de Gaia verificou-se no dia 12. O desembarque no Porto foi efectuado pelo edifício do antigo Seminário, que actualmente alberga o Colégio dos Órfãos (ver post de 3 de Setembro no Avenida dos Aliados).


Colégio dos Órfãos

Nesse mesmo dia as tropas de Soult abandonaram o Porto; após concentração em Guimarães e depois de peripécias várias lá conseguiram escapulir por Montalegre. A 2ª invasão francesa terminaria assim no dia 18 de Maio de 1809.



Links

http://www.mnsr-ipmuseus.pt/museu/edificio/