07/11/2004

CDs #11: Light - Distance, Portuguese Wind Quintets

A editora Deux-Elle lançou no ano passado no mercado uma pequena preciosidade, que dificilmente terá a atenção que merece e o sucesso que devia. Trata-se de um disco com quintetos para instrumentos de sopro com obras compostas exclusivamente por portugueses. Dando-se o caso de as interpretações do The Galliard Ensemble serem muito boas, é sucesso garantido... cá em casa.



Light - Distance
Portuguese Wind Quintets
The Galliard Ensemble
Deux-Elles DXL 1084

Conforme reza na capa do dito cujo a edição deste disco foi (apenas?) possível pela generosa contribuição da Fundação Calouste Gulbenkian. Fossem outras as entidades intervenientes e o epíteto aplicado seria investimento a fundo perdido... Mas aqui nada se perde, tudo se transforma num imenso prazer auditivo. Faz lembrar um pouco aquela famosa máxima, se bem que o respectivo autor não tenha tido grande fim (foi julgado, condenado e guilhotinado no mesmo dia, há pouco mais de 200 anos... outras histórias para outra altura...)

O menu é o seguinte:

Light - Distance, Luís Tinoco
Scherzino, Joly Braga Santos
Sete Lembranças para Vieira da Silva, Fernando Lopes Graça
Três Fragmentos, António Pinho Vargas
O Curso das Águas, Luís Tinoco
The Panic Flirt, Alexandre Delgado
Autumn Wind, Luís Tinoco
Aspetto, Sérgio Azevedo
Cinco Miniaturas, Eurico Carrapatoso

Nos links mais abaixo encontrarão informações bibliográficas de alguns destes compositores. Não posso contudo terminar sem antes fazer uma pequena referência. No início de Outubro fiz uma breve visita a Tomar, de que terei a oportunidade de falar mais tarde. Acontece que um dos compositores incluídos neste disco nasceu nessa cidade: Fernando Lopes Graça. A casa onde nasceu está devidamente assinalada, mas está também no estado lamentável que uma das fotografias documenta. É lamentável o estado da casa, e mais lamentável é terem-na deixado chegar aquele estado. Das duas uma: ou esquecem a casa, retiram a placa e mais dia menos dia poucos saberão onde o compositor nasceu e ninguém reclamará, ou a recuperam devidamente, lhe dão um uso adequado e mantêm a placa orgulhosamente no seu lugar. Há dúvidas quanto à melhor decisão? Pois tomara que Tomar também a saiba tomar. E já agora a tempo, antes de ela tombar!




Internet

http://www.deux-elle.com