16/11/2004

Invasões Francesas - 8

Enquanto a norte os portugueses se ocupavam em escorraçar os franceses, a sul, e sob o comando de William Beresford, procuravam cercá-los em Badajoz.

Nicolas Soult
William Beresford

Vendo a situação complicar-se, a 10 de Maio de 1811 o marechal Soult dirigiu-se de Sevilha para essa cidade, em socorro do general Philippon. As forças aliadas esqueceram então o cerco e rumaram em direcção às tropas francesas, na tentativa de as deter antes de atingirem Badajoz. O embate deu-se em Albuera, 23.000 a 25.000 homens do lado francês, 32.000 a 35.000 do lado aliado (cada fonte cada número, aqui a gente tenta estar de acordo com todos...). Os aliados, constituídos por portugueses, espanhóis e ingleses, levaram a melhor na contenda, que teve lugar no dia 16 de Maio. As baixas foram extremamente pesadas para qualquer dos lados: 7.000 a 8.000 entre os aliados, 7.500 a 8.500 do lado francês.


Batalha de Albuera

A vitória teve em qualquer dos casos dois pontos positivos: por um lado, derrotar franceses é sempre bom para o moral; por outro lado, permitiu voltar ao cerco de Badajoz. Este todavia não seria de grande duração, dado que, assim que os aliados foram informados de que o marechal Marmont se tinha juntado às tropas de Soult e que ambos para lá se dirigiam, tomaram as devidas providências: puseram-se a milhas dali...

Wellington decidiu então recuperar Cidade Rodrigo, ciente como estava da diminuição dos efectivos franceses em Espanha, entretanto parcialmente desviados por Napoleão para a campanha da Rússia. Os planos correram conforme previra, e no dia 19 de Janeiro de 1812 os franceses deixaram de controlar a cidade.

Eram tempos propícios para os aliados, que em Março desse mesmo ano voltaram a cercar Badajoz, e desta vez não facilitaram: no dia 6 de Abril de 1812 tomaram-na definitivamente.


Batalha de Badajoz

Philippon bem que pediu ajuda ao marechal Soult, mas este andava demasiado ocupado, às voltas com uma insurreição militar na Andaluzia...

continua