03/12/2004

Escritores - 2: Almeida Garrett (1799-1854)

A indiferença das autoridades locais em relação ao próximo 150º aniversário do falecimento do escritor e político João Baptista da Silva Leitão de Almeida Garrett é apenas mais um sinal dos nossos tempos. Para os actuais inquilinos do edifício da Câmara Municipal do Porto, Almeida Garrett não passa daquele cuja estátua apenas serve para atrapalhar a colocação do presépio com o Menino Jesus, esse sim, um verdadeiro e ilustre indígena da Cidade Invicta.



Em próximos postais aqui no desNORTE procuraremos dar uma modestíssima contribuição para assinalar a efeméride, daquele que foi seguramente um dos maiores vultos do período romântico português, movimento que, aliás, foi por ele iniciado em Portugal, numa altura em que já era dominante na Europa.