10/12/2004

Escritores #6: Almeida Garrett (1799-1854)

Como é do conhecimento geral, o poeta e político Almeida Garrett nasceu no Porto, não muito longe da Alfândega, e viria a morrer em Lisboa, na casa que ocupa os números 66 a 68 da Rua Saraiva de Carvalho. Casa essa que está no estado que as fotografias documentam, e que me foram gentilmente enviadas por Virgílio Marques (um dos autores do blogue Guilhermina Suggia, que recomendo vivamente):


Não satisfeitos com o estado a que deixámos chegar a casa, nós, os portugueses, preparamo-nos agora para a demolir, e assim limpar da face da terra mais uma memória dum português ilustre. Há uns tempos atrás escrevi aqui sobre a casa onde nasceu o compositor Fernando Lopes Graça, na cidade de Tomar, e tive a oportunidade de lá deixar esta fotografia:


É impressionante a consistência democrática da nossa devastação! Calha a todos, tenham eles sido políticos, artistas, escritores, compositores. Primeiro, coloca-se uma placa no frontispício; para tal, escolhe-se uma altura em que a casa ainda apresente alguma consistência estrutural, por forma a não vir abaixo com o peso da dita placa. Depois, o tempo e a fraca memória dos homens encarregar-se-ão do resto. Triste país, o que trata assim os seus maiores!

Há sempre, todavia, quem tente lutar contra as nossas inevitabilidades, e no caso da casa de Almeida Garret existe uma petição online para tentar salvá-la. Encontra-se aqui
, e foi redigida por Bernardo Ferreira de Carvalho, Paulo Ferrero e Pedro Policarpo. Já lá estão 2160 assinaturas, por que não aumentar esse número? A casa era do Garrett, mas a causa é de todos nós.