17/04/2005

Revolução liberal #13

O famoso desembarque no Mindelo no dia 8 de Julho de 1832 afinal de contas não aconteceu propriamente no Mindelo, mas na praia de Arenosa de Pampelido, aí uns 5km ao lado.



Mal desembarcaram dirigiram-se à cidade do Porto, onde chegaram no dia seguinte, com o objectivo de a tomar aos miguelistas, só que a sua concretização revelou-se bem problemática. Os diversos ataques foram sucessivamente repelidos, o progresso mais visível tendo acontecido em Setembro mas para o lado dos miguelistas, quando se apoderaram de Gaia.

Avanços vários e recuos muitos, o que é certo é que não se vislumbrava um vencedor, apenas mortes em número significativo para ambos os lados, sem resultados evidentes no terreno. Na tentativa de alterar o rumo das coisas, os liberais convidaram o general francês Jean Baptiste Solignac para liderar as suas forças. E aqui mais uma vez se constatam as voltas que o mundo dá: Solignac tinha feito parte da 2ª Divisão do exército napoleónico que foi derrotado no Vimeiro, no dia 28 de Agosto de 1808, pelas forças anglo-lusas lideradas por Arthur Wellesley, mais tarde Duque de Wellington (ver este postal de Setembro do ano passado).


Duque de Saldanha

A inabilidade de Solignac rapidamente se tornou evidente. O Porto, parcialmente sob o domínio dos liberais, corria o risco de cair definitivamente para o lado dos absolutistas. Entra então em cena João Carlos de Saldanha, 1º Duque de Saldanha, que ignora as ordens de Solignac, garante a defesa do Porto repelindo as forças miguelistas e, obviamente, acaba por suceder a Solignac, sendo nomeado por D. Pedro chefe do estado-maior.

continua