26/04/2005

Revolução liberal #14

Na tentativa de desempatar a situação, o marquês de Palmela foi enviado a Londres para obter reforços, financeiros e militares, missão que levou a bom termo, o que lhe valeu um regresso triunfal ao Porto, no dia 28 de Maio de 1833. Com ele veio também o oficial inglês Charles Napier (1782-1853), que substituiria Sartorius à frente das forças liberais e iria desempenhar um papel relevante nas acções que se seguiram. Napier conhecia bem o terreno, já por cá tinha andado durante as e invasões francesas. Era uma espécie de regresso à pátria alheia...


Marquês de Palmela, Charles Napier

Os liberais decidiram então atacar pelo Algarve, onde chegaram a 24 de Junho. Não encontraram resistência significativa, uma vez que a tarefa foi facilitada por um sem número de manobras de diversão, orquestradas com o objectivo de fazer sair as forças absolutistas do sul do país. Seguiu-se depois um período em que as forças oponentes procuraram ganhar vantagem no terreno; a levantamentos liberais respondiam os realistas com força bruta, quando não com execuções sumárias, merecendo particular referência o fuzilamento de mais de 20 liberais em Portalegre.

Da esquadra que se tinha dirigido para o Algarve, comandada por Napier, fazia também parte António José de Sousa Manuel de Meneses Severim de Noronha, mais conhecido como duque da Terceira, que iria liderar as forças desembarcadas. E muito ágil se revelou nessa função, como brevemente se verá!

continua