03/05/2005

Reis de Portugal #2: D. João I (1357-1433)

Quando em Janeiro último por aqui se falou de D. Rodrigo Sanches, fez-se uma breve referência à prole generosa de filhos bastardos dos nossos diversos reis, não raras vezes em número superior aos legítimos...

D. Leonor Teles, quiçá empenhada em equilibrar as coisas, encontrou no conde de Andeiro um conselheiro e amante, personagem essa que ganhou acrescida importância no reino com a morte do rei D. Fernando.

Nun'Álvares Pereira

D. Nun'Álvares Pereira já há algum tempo que congeminava tratar da saúde ao conde, mas a dificuldade da missão aconselhava que se tomassem cautelas extremas. Engendrada a conspiração, a ocasião proporcionou-se em Dezembro de 1383, quando D. João não desaproveitou um descuido do conde para lhe desferir um golpe na cachimónia, tendo o serviço sido depois terminado por outro dos conspiradores. D. Leonor Teles pirou-se rapidamente para Alenquer, não fossem começar a cobiçar igualmente a sua linda cabeça...

No dia 23 de Dezembro de 1383 o povo aclama D. João de Aviz rei de Portugal, contudo este apenas aceitou ficar como Regedor e Defensor do reino. Mas o país encontrava-se dividido, aos apoiantes do mestre de Aviz opunha-se uma boa parte do clero e da nobreza que, além de temer perder privilégios, tinha dificuldades em engolir como rei um filho bastardo de D. Pedro I...

continua