01/07/2005

Amigos de Gaia #3

Neste postal e neste já tivemos a oportunidade de rabiscar umas linhas sobre o Mosteiro de Grijó, a propósito de uma visita que lá efectuámos no início deste ano.


Mosteiro de Grijó

O Mosteiro foi sucessivamente chamado de Eclesiola, Egrejinha, Egrijó e Grijó, até que, em 1549, recebeu o nome de Mosteiro de S. Salvador de Grijó. Pouco antes disso, em 1536, já os cónegos se tinham mudado para a
Serra do Pilar, dado o estado de degradação a que o mosteiro tinha chegado. Os séculos XVII e XVIII viram o mosteiro rejuvenescer, tendo a igreja, construção do século XVII, sido particularmente beneficiada. Tudo terminaria em 1770, com a extinção do mosteiro, a que se seguiu novo período negro, marcado pela sua venda em hasta pública e pelo roubo de inúmeras das obras de arte que possuía.

Desde 1990 que a cerca está em mãos de particulares, tendo sido nesse ano adquirida pela família Amorim. Através de uma visita organizada pela Associação Cultural Amigos de Gaia foi-nos facultada a possibilidade de a visitar recentemente, e as (modestas) fotografias que se seguem são um pequeno testemunho daqui que por lá pudemos ver:






Internet

http://www.ippar.pt/monumentos/conjunto_grijo.html
http://www.e-cultura.pt/ItinerariosPontoInteresse.aspx?IDItinerario=50&ID=262
http://www.monumentos.pt/scripts/zope.pcgi/ipa/pages/ficha_ipa?nipa=1317060005