27/07/2005

Violoncelistas #3: Amaryllis Fleming (1925-1999)

Para Amaryllis Fleming, saber quem eram os seus verdadeiros progenitores revelou-se uma tarefa nada fácil. Filha ilegítima pelo lado do pai, o pintor galês Augustus John (1878-1961) e de Eva Fleming, que repetidamente negou ser sua mãe, só aos 23 anos viu confirmada a ascendência.


Amaryllis Fleming

Houve mesmo quem tivesse aventado a hipótese de Amaryllis Fleming ser filha de Guilhermina Suggia, conforme se pode ler aqui
. Diga-se já agora que é da autoria de Augustus John o retrato mais famoso de Guilhermina Suggia:



Amaryllis começou muito cedo a tocar violoncelo, foi aluna no Royal College of Music
, e mais tarde teve aulas com Pierre Fournier (1906-1986), Guilhermina Suggia (1885-1950) e Pablo Casals (1876-1973), entre outros. Estreou-se em público interpretando o Concerto para Violoncelo de Elgar (1857-1934), uma obra que a marcaria decisivamente: foi igualmente com ela que se estreou nos Concerto Promenade, em 1953, e foi ainda de Amaryllis a sua estreia em solo germânico. A partir dos anos 60 dedicou-se principalmente ao ensino. Faleceu no dia 27 de Julho de 1999, com 73 anos.

Terminamos com mais uma pequena curiosidade (coscuvilhice): Eva Fleming, a mãe de Amaryllis, viria mais tarde a contrair matrimónio, de que resultaram dois rebentos, Peter e Ian, sendo este último o criador de Bond, James Bond...