26/08/2005

CDs #51: Vaughan Williams, Symphony No.4, Flos Campi

Tal como Michael Tippett, de quem já aqui falámos, Ralph Vaughan Williams (1872-1958) foi aluno no Royal College of Music de Londres, instituição a que regressaria mais tarde como professor.


Vaughan Williams

Vaughan Williams recebeu ainda lições de Max Bruch (1838-1920), compositor e professor da Academia de Berlim, em 1897, e de Maurice Ravel (1875-1937), em 1908. O encontro com Ravel revelar-se-ia fundamental, pois Vaughan Williams, que até ao início do século XX tinha composto maioritariamente música de câmara e vocal (canções) sem grande sucesso, como que ganhou energia inspiradora. Em 1910 a sua primeira sinfonia, A Sea Symphony, registou um enorme êxito no Festival de Leeds, o que o colocou na vanguarda dos compositores ingleses.

Para a 4ª sinfonia, constante do disco aqui hoje trazido, Vaughan Williams contou com os conselhos do seu grande amigo e igualmente compositor Gustav Holst (1874-1934) que, contudo, nunca a viria a ouvir, pois esta apenas foi estreada em Abril de 1935. Dedicada a outro compositor inglês, Arnold Bax (ver aqui
e aqui), a sinfonia destoa das 3 anteriores, mais violenta e inquieta, quiçá sinal dos tempos (passados, Vaughan Williams esteve envolvido nas operações da 1ª Grande Guerra, e dos que aí viriam e originariam a ). Vaughan Williams faleceu há precisamente 47 anos, em Londres.



Vaughan Williams
Symphony No.4. Flos Campi.
Paul Silverthorne, viola
Bournemouth Symphony Chorus and Orchestra
Paul Daniel
Naxos 8.557276