07/08/2005

Violinistas #4: Max Rostal (1905-1991)

O êxodo causado pela emergência da ideologia nazi levou a que vários países acolhessem músicos dos mais consagrados, mas desalinhados com tal regime. O Reino Unido nesse aspecto foi particularmente feliz, ao receber inúmeros artistas no seu seio. Entre eles Carl Flesch (1873-1944), reputadíssimo violinista e professor húngaro, e Max Rostal, seu aluno, igualmente violinista e professor, e tema do postal de hoje, dia em que se celebra o centenário do seu nascimento.


Max Rostal

Austríaco de nascimento, Max Rostal viria mesmo a obter a cidadania britânica. A sua carreira começou bem antes disso, aos 6 anos de idade já dava concertos públicos! Nos anos 30 foi professor na Hochshule de Berlim
, mas os acontecimentos atrás referidos levaram-no a mudar-se para Londres, corria o ano de 1934. Nessa cidade, em paralelo com a carreira de violinista manteve a de professor, na Guildhall School of Music. Em 1958 mudou-se para a Suíça, tendo dado aulas no Conservatório de Berna até 1985, cidade onde viveu até à sua morte, ocorrida a 6 de Agosto de 1991, a 1 dia de fazer 86 anos.

O disco que aqui trazemos reune a quase totalidade das obras de compositores ingleses que Rostal gravou, faltando apenas uma sonata para violino de Benjamin Frankel (1906-1973). As interpretações são deslumbrantes, as gravações, de 1954, de boa qualidade, as audições... do melhor que poderíamos esperar!



Frederick Delius
Violin Sonata No.2.
William Walton
Violin Sonata.
Edward Elgar
Violin Sonata in E minor, Op.82.
Max Rostal (violino), Colin Horsley (piano)
Testament SBT1319