21/09/2005

Lugares #108

D. Sancho I, o Povoador (1154-1211), descrito como "de meã estatura, refeito, e mui dobrado de membros, o rosto grande, a boca grossa", já foi mais do que uma vez referido por estas paragens: a propósito de Monsanto, aqui, e do seu filho bastardo D. Rodrigo Sanches, neste postal. Neste último caso referiu-se mesmo uma das principais preocupações de D. Sancho I, a de povoar os territórios recém conquistados para os manter em posse lusa.


D. Sancho I

Em 1190, além da confirmação do foral de Monsanto, D. Sancho I atribuiu pela primeira vez o foral a Torres Novas. Na altura as nossas tropas tinham andado envolvidas em diversas lutas com os árabes, de que resultou ainda a necessidade de proceder à reconstrução da fortaleza.

Uns séculos mais tarde foi a vez dos castelhanos se entreterem a andar à pancada com os nossos antecessores e a destruir o castelo e as muralhas da cerca de Torres Novas. Caberia a D. Fernando I, o Formoso (1345-1383), mandar colocar de novo as coisas de pé... Pois foi durante a invasão castelhana de 1372 que se destacou o alcaide Gil Pais, que se recusou a entregar o castelo apesar das forças de Henrique II de Castela terem em cativeiro um filho seu, que acabariam por matar em frente da porta do castelo.



Este momento trágico ficou registado para a posteridade num painel de azulejos de Jorge Colaço (1864-1942), de quem já havíamos igualmente falado anteriormente a propósito da
Estação de S. Bento e de outros locais onde se podem encontrar os seus extraordinários paineis. Não há que enganar: estacionem os calhambeques no centro de Torres Novas e subam a pé até ao castelo. Faz bem à saúde e dão de caras com os painéis, é só vantagens...


Internet

http://www.cm-torresnovas.pt/destaque/castelo/
http://www.ribatejo.com/ecos/ribatejanos/outrora_xii_xvi.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Gil_Pais


Bibliografia

Reis e Rainhas de Portugal, de Manuel de Sousa

Sem comentários:

Enviar um comentário