09/09/2005

Reis de Portugal #7: D. Maria II (1819-1853)

O ano de 1836 foi marcante para a rainha D. Maria II que, antes do episódio da Revolução de Setembro (ver este postal), havia contraído matrimónio com D. Fernando Augusto de Saxe-Coburgo-Gotha, rei consorte a partir do filho primogénito e futuro rei de Portugal, D. Pedro V.


D. Fernando II

D. Fernando II seria mais tarde cognominado O rei artista, pois à actividade de (principal) conselheiro da rainha juntou a de grande defensor das artes, devendo-se-lhe, nomeadamente, a preservação dos Conventos de Tomar, Batalha e Mafra, bem como do Mosteiro da Batalha.


Alexandre Herculano

Em 1839, D. Fernando II nomeou Alexandre Herculano (1810-1877) seu secretário particular no Palácio da Ajuda. A estas funções adicionaria pouco depois Alexandre Herculano, por iniciativa própria, as de organizar as bibliotecas da Ajuda e das Necessidades. Curiosamente, Herculano tinha sido um acérrimo defensor da Carta Constitucional, tendo mesmo pedido a demissão das funções que desempenhava no Porto à data da Revolução de Setembro, para ir para Lisboa e lá combater a revolução.

1836 não terminaria sem novo sobressalto, uma constante, aliás, do reinado de D. Maria II. Se ainda por cá andarem nós voltaremos a estas histórias...


Internet

http://www.arqnet.pt/dicionario/fernando2.html
http://www.arqnet.pt/dicionario/herculanoalex.html
http://www.arqnet.pt/portal/portugal/temashistoria/maria2.html

2 comentários:

  1. Dom Fernando era primo direito do Príncipe Alberto casado com a raínha Vitória, o qual teve uma influência determinante na educação do futuro rei Dom Pedro V.
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  2. Já para não falar de Alexandre Herculano, igualmente importante na formação de D. Pedro V.

    Saudações,

    HVA

    ResponderEliminar