15/10/2005

Concertos #25

"O meu discípulo Fernando Graça continua preso e está à mercê de gente que tem do valor dele a mesma noção que a minha égua picarça pode ter do valor de Shakespeare."

Quem assim escreveu no seu diário, no dia 1 de Novembro de 1931, foi o compositor português Luís de Freitas Branco (1890-1955), de quem este ano se assinalam os 50 anos passados sobre a sua morte. Referia-se a Fernando Lopes Graça, outro grande nome da música portuguesa e nessa altura seu aluno. Nesse ano de 1931, por motivos políticos, Lopes Graça foi preso e desterrado para Alpiarça.


Fernando Lopes Graça, Luís de Freitas Branco

O próprio Luís de Freitas Branco não teria de esperar muito para se ver metido em sarilhos com o regime, tendo sido suspenso das funções de professor em 1939 e, no ano seguinte, afastado do Conservatório. Em 1943 termina a Sinfonia Nº3, que seria estreada por seu irmão Pedro de Freitas Branco em Lisboa, em 1947.

É esta a sinfonia que iremos ouvir amanhã na primeira parte do concerto que terá lugar na Casa da Música, no Porto. Este concerto acontece no âmbito do
Festival Luís de Freitas Branco, que procura, muito justamente, assinalar o cinquentenário da morte do compositor, figura maior do nosso meio musical, responsável pela criação de uma tradição sinfónica em Portugal.

E já que estamos numa de música portuguesa, coisa que tem sido rara por aqui e que levou mesmo um caríssimo leitor a chamar-me a atenção para tal facto, que tal espreitarem
aqui e verem o que Luís de Freitas Branco escreveu sobre a nossa violoncelista Guilhermina Suggia?


Programa do Concerto

Luís de Freitas Branco
Sinfonia Nº3.
Maurice Ravel
Daphnis et Chloe, Suites 1 e 2.
Orquestra Nacional do Porto
Marc Tardue


Internet

http://www.rede-nonio.min-edu.pt/es/fam_freitas_branco/portugues/luis/cronologia_l.htm
http://www.iartes.pt/festival_luis_freitas_branco/
http://www.casadamusica.com/default.aspx

1 comentário:

  1. Guilhermina Suggia, uma Diva na arte do Violoncelo...
    Já li o testemunho de Luís de Freitas Branco.
    A verdade é merecedora1

    um abraço ;))

    ResponderEliminar