15/11/2005

CDs #60: Brahms, Four Ballads, Piano Sonata, Daniel Barenboim

Daniel Barenboim, que hoje comemora o seu 63º aniversário, tem-se dedicado nos últimos anos essencialmente à regência de orquestras, sendo menos frequentes as suas aparições como pianista.


Daniel Barenboim

Tal não nos leva a esquecer, todavia, que estamos em presença de um pianista brilhante, pelo que hoje trazemos aqui um disco em que ele está de serviço, interpretando obras de Johannes Brahms (1833-1897). A Sonata para Piano em fá menor é uma das primeiras obras de Brahms, terminada em 1854 e de cariz marcadamente orquestral. Traço comum, aliás, às duas anteriores sonatas para piano, o que levou o igualmente compositor Robert Schumann (1810-1856) a apelidá-las de "sinfonias disfarçadas"...


Johannes Brahms

Foi o chamado período sinfónico de Brahms, a que pertence igualmente a outra obra presente neste disco, as 4 Baladas, Op.10, escritas também em 1854, quando Brahms soube dos problemas mentais de Schumann. Brahms tinha recebido o casal Schumann em Hanover no início desse ano, compreende-se o choque que terá sofrido quando recebeu a notícia. Nesse ano Schumann sofreria de várias alucinações, tentaria o suicídio e acabaria internado num asilo, onde faleceria 2 anos depois.



Brahms
Four ballades, Op.10. Piano Sonata, Op.5.
Daniel Barenboim (Piano)
Elatus 0927-49562-2
(1996)


Internet

Daniel Barenboim:
Página Oficial / Biografia 1 / Biografia 2
Johannes Brahms: Johannes Brahms WebSource / Biografia 1 / Biografia 2


Notas

1 - Afirmação: O autor deste blogue é um profundo desconhecedor dos meandros informáticos.
2 - Resultado: Andou a mexer nos parâmetros do Blogger, sem saber exactamente o que estava a fazer.
3 - Consequência: Durante alguns dias os comentários foram parar a uma pasta manhosa, nunca tendo aparecido on-line.
4 - Outra consequência: Começaram a chover reclamações, mais que justificadas perante tão evidente azelhice.
5 - Situação actual: Assunto resolvido, não há mal que sempre dure.
6 - Conclusão: Um formal pedido de desculpas deste vosso escriba.

Sem comentários:

Enviar um comentário