18/03/2006

Obras Orquestrais #8: Scheherazade, de Rimsky-Korsakov

É interessante verificar que o russo Rimsky-Korsakov (1844-1908), nascido há 162 anos, apesar de ter sido o mais produtivo compositor de óperas do seu país, com 15 no curriculum, ficou para a posteridade pelas obras orquestrais. Pelas que escreveu e pelas que também nem por isso, uma vez que orquestrou diversas obras doutros compositores. Algumas delas, em particular as orquestrações que fez de obras de Mussorgsky (1839-1881), valeram-lhe mesmo críticas menos simpáticas. Se a orquestração feita a Khovanshchina não levantou grandes controvérsias, dado Mussorgsky ter deixado a ópera incompleta, já o mesmo não aconteceu em relação a Boris Godunov, de que deixou 2 versões completas, a última das quais estreada em Fevereiro de 1874. O facto de Rimsky-Korsakov ter introduzido inúmeras modificações, a níveis harmónico e orquestral, numa obra deixada completa por um seu amigo compositor falecido 2 anos antes, esteve longe de agradar a muito boa gente...

Nos finais da década de 80 do século XIX, Rimsky-Korsakov era uma figura central na escola nacionalista russa, de que já por aqui se falou em Novembro do ano passado. À importância das obras já entretanto escritas, com destaque para as óperas e para as 3 sinfonias, somavam-se as actividades de recuperação de obras de outros compositores e as de pedagogo, o que não lhe deixava muito tempo para compôr, sendo assim escassas as composições desta época. Escassas mas importantes, como a suite sinfónica Scheherazade, escrita entre Fevereiro e Julho de 1888, e inspirada em episódios dos contos das Mil e Uma Noites. Scheherazade foi aquela sultana que salvou a pele contando uma história diferente por noite ao sultão Shahriar, durante 1001 noites, até ele se esquecer de que a tinha decidido matar. A ela e às outras esposas, que as noites árabes não eram passadas apenas a dois...

E é assim que, apesar de ir contra a vontade do compositor, os andamentos da obra levaram subtítulos sugestivos, como "O mar e o barco de Sindbad", "O jovem príncipe e a princesa" ou a "Festa em Bagdade". Rimsky-Korsakov nunca concordou com esta relação directa entre os andamentos da suite e os episódios das 1001 Noites, tendo afirmado que "seria em vão que se procurariam encontrar na suite motivos ligados a esta ou aquela ideia poética, ou a esta ou aquela imagem". Em vão ou não, os nomes ainda hoje lá estão...


CDs



Nikolai Rimsky-Korsakov
Scheherazade, Op.35. Mlada - Procession of the Nobles.
Alexander Scriabin
Le Poème de l'extase, Op.54.
London Symphony Orchestra
USSR State Symphony Orchestra
Evgeni Svetlanov
BBC Legends BBCL4121-2

Nikolai Rimsky-Korsakov
Scheherazade, Op.35.
Pyotr Ilyich Tchaikovsky
Marche Slave, Op.31.
London Symphony Orchestra
Leopold Stokowski
Cala CACD0536

Mili Balakirev
Islamey (arr. Lyapunov).
Alexander Borodin
In the Steppes of Central Asia.
Nikolai Rimsky-Korsakov
Scheherazade, Op.35.
Kirov Orchestra
Valery Gergiev
Philips 470 840-2


Internet

Rimsky-Korsakov
The Rimsky-Korsakov Home Page
/ Nikolay Andreyevich Rimsky-Korsakov / Operas / Wikipedia

1001 Noites
Arabian Nights Study Guide
/ Arabian Nights / Arabian Nights: its origins and legacy / Scheherazade

Sem comentários:

Enviar um comentário