07/03/2006

Poemas Sinfónicos #1: Also sprach Zarathustra, de Richard Strauss

Aquando da estreia, no dia 27 de Novembro de 1896, o poema sinfónico Also sprach Zarathustra provocou comoções um pouco por todo o lado, por muitos entenderem que Richard Strauss (1864-1949) tinha-se procurado apropriar do pensamento do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (1844-1900). Segundo as suas próprias palavras, Strauss apenas se "propôs traçar um quadro do desenvolvimento da raça humana desde as suas origens até ao super-homem de Nietzsche". Recorde-se que, no livro de Nietzsche, o super-homem anunciado por Zaratustra é quem vem dar um novo sentido à vida e ao mundo, por "Deus estar morto" ("Gott ist tot", frase diversas vezes repetida na obra).

Strauss tinha lido pela primeira vez esta obra de Nietzsche em 1892, e revelaria mais tarde o quão ela o influenciou intelectualmente. O suficiente, desde logo, para ter-se decidido a musicá-la, com os resultados que se conhecem: 3 dias após a estreia absoluta foi tocada em Berlim, com o maestro Artur Nikisch (1855-1922), e rapidamente ficou conhecida por toda a Alemanha. Não só conhecida, como também incompreendida, criticada e hostilizada, pelas razões antes expostas.

Na altura Strauss gozava já de um elevado prestígio, como regente e como compositor, principalmente de poemas sinfónicos, naquele que pode ser considerado o seu primeiro período criativo. Strauss não inventou o género, que já tinha tido ilustres antecessores, como os poemas sinfónicos de Franz Liszt (1811-1886), mas deu-lhe o nome e popularidade, com os que já tinha escrito até essa altura: Aus Italien (1886), o menos bem sucedido de todos, Don Juan (1888), Macbeth (1888), Tod und Verklärung (1889) e Till Eulenspiegels lustige Streiche (1895).

Para os mais distraídos, refira-se que a introdução desta obra foi utilizada por Stanley Kubrick (1928-1999) no mítico filme 2001: Odisseia no Espaço, de 1968. Kubrick faleceu há 7 anos, no dia 7 de Março de 1999.


CDs




Richard Strauss
Also sprach Zarathustra, Op.30. Don Juan, Op.20.
Salome - Dance of the Seven Veils.
Vienna Philharmonic Orchestra
Herbert von Karajan
Decca Legends 466 388-2

Richard Strauss
Also sprach Zarathustra, Op.30. Concerto for Horn and Orchestra No.2.
Four Last Songs. Don Juan, Op.20. Ein Heldenleben, Op.40.
Norbert Hauptmann (trompa), Gundula Janowitz (soprano)
Berlin Philharmonic Orchestra
Herbert von Karajan, Karl Böhm
Deutsche Grammophon 469 208-2

Richard Strauss
Eine Alpensinfonie. Also sprach Zarathustra. Don Juan.
Till Eulenspiegel. Salomes Tanz. Vier letzte Lieder.
Anna Tomowa-Sintow (soprano)
Berliner Philharmoniker
Herbert von Karajan
Deutsche Grammophon 474 281-2

Richard Strauss
Also sprach Zarathustra, Op.30. Ein Heldenleben, Op.40.
Chicago Symphony Orchestra
Fritz Reiner
RCA Living Stereo 82876 61389-2

Richard Strauss
Also sprach Zarathustra, Op.30. Don Juan, Op.20. Four Last Songs.
Lucia Popp (soprano)
London Philharmonic Orchestra
Klaus Tennstedt
EMI Encore 5 86436-2


Internet

richardstrauss.org
/ The Works of Richard Strauss / Classical Music Pages / Wikipedia

2 comentários:

  1. Embora sem me manifestar é sempre com gosto que venho aqui ler e aprender. Mas, não poderia deixar de assinalar a minha passagem por este post ...

    ResponderEliminar
  2. Cara Helena,

    Obrigado, pelo comentário e pelo Digitalis, um blogue admirável. Que continuemos ambos "blogueiros" por muitos e bons anos, trocando esporádicos comentários, sempre admiravelmente simpáticos.

    Saudações,

    HVA

    ResponderEliminar