27/04/2006

CDs #81: George F. Handel, Music for the Royal Fireworks

Há uns bons anos atrás, aí uns 16 ou 17, na noite de S. João, apanhei um daqueles sustos de que dificilmente me esquecerei. Na altura não havia qualquer tipo de controlo em relação à travessia pedonal do tabuleiro superior da ponte D. Luís, e nesse ano, vá-se lá saber por quê, esta decidiu abanar loucamente. Foi confusão geral, gritaria estridente, gente por todos os lados a correr desalmadamente, trôpegas pela oscilação da ponte, como que saídas da taberna do Manel com uns copitos a mais! A partir desse ano a polícia começou a limitar o número de pessoas que a atravessavam simultaneamente. Veio a segurança, foi-se a emoção... Um dos momentos mais esperados da noite de S. João é o fogo de artifício, por sinal nos últimos anos servido em dose dupla, pela consistente rivalidade e desentendimento entre as cidades vizinhas.




Em 1749 o compositor inglês de origem alemã George F. Handel (1685-1759) escreveu Music for the Royal Fireworks, para assinalar a assinatura do tratado de Aix-la-Chapelle (Aachen, Alemanha), que pôs fim à Guerra da Sucessão da Áustria. Da estreia da obra, o mínimo que se pode dizer é que foi atribulada:

O ensaio preparatório, público, efectuado num jardim de Londres, contou com a presença de cerca de 12.000 pessoas. Como resultado, um engarrafamento monstruoso na ponte de Londres (London Bridge), entupida por 3 horas...

A estreia propriamente dita aconteceu há 257 anos, no dia 27 de Abril de 1749, e a emoção não esteve ausente: a estrutura montada especialmente para a ocasião ardeu parcialmente, além de ter chovido durante o concerto, o que terá provavelmente ajudado a apagar o dito cujo, não tendo deixado, contudo, de ensopar o público...



G. F. Handel
Music for the Royal Fireworks. Concerto in D. Concerto in F.
The English Concert
Trevor Pinnock
Archiv Produktion 453 451-2


Internet

http://www.herodote.net/histoire10183.htm
http://en.wikipedia.org/wiki/Treaty_of_Aix-la-Chapelle_(1748)

2 comentários:

  1. Há quatro ou cinco anos pude ver e ouvir «a integral» da «Fireworks», na baía de Cascais: a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras junto à Praia dos Pescadores, com o respectivo fogo de artifício. Embora as condições não fossem as melhores, resultou bem pelo ineditismo.

    ResponderEliminar
  2. Caro Ricardo,

    Pois eu nunca tive a oportunidade de assistir ao vivo à interpretação desta obra. Bem organizado, deve ser um evento inesquecível.


    Saudações,

    HVA

    ResponderEliminar