01/06/2006

Pianistas #12: Vianna da Motta (1868-1948)

As artes, musicais incluídas, não são um dos temas favoritos da maioria da nossa comunicação social, mais atenta a outras expressões que garantam maiores audiências. Por tabela, os criadores artísticos são igualmente ignorados e, por consequência, é comum ver alguns dos nossos maiores vultos serem olimpicamente esquecidos. Alguns leitores deste blogue têm mencionado este facto, exortando-me, ao mesmo tempo, a dar uma maior atenção aos músicos portugueses.

Vianna da Motta, pianista e compositor, foi um grande músico português, aluno de Hans von Bülow (1830-1894) e Franz Liszt (1811-1886) e amigo pessoal de Ferruccio Busoni (1866-1924). Este último chegou a dedicar a Vianna da Motta a transcrição de prelúdios corais de Bach (1685-1750). Existe até um livro, editado pela Caminho, com a correspondência trocada entre os dois, principalmente durante a 1ª Grande Guerra, quando ambos se refugiaram na Suíça (o português em Genebra, Busoni em Zurique). Vianna da Motta tinha ido estudar para Berlim em 1882, graças a uma bolsa concedida pelo rei D. Fernando II (1816-1885) e pela condessa de Edla.

Na última década do século XIX era já um pianista conceituado, com uma primeira turné pelos Estados Unidos e inúmeros concertos no velho continente. Em 1917 deu-se o regresso, definitivo, a Portugal, tendo sido director do Conservatório de Lisboa durante 2 décadas. Manteve em paralelo a carreira de pianista internacional, tendo representado Portugal nas comemorações do centenário da morte de Ludwig van Beethoven (1770-1827), que decorreram em Viena.

Vianna da Motta faleceu há 58 anos, no dia 1 de Junho de 1948.


Internet

Vianna da Motta
Biografia / Wikipédia / Vianna da Motta e o meio português

Sem comentários:

Enviar um comentário