06/06/2006

Sopranos #10: Francesca Cuzzoni (1698-1770)

Francesca Cuzzoni foi a primeira prima donna da ópera, com uma estreia de arromba em Veneza em 1719, que a catapultou de imediato para o estrelato. Por essa altura, Georg Friedrich Handel (1685-1759) disputava com Giovanni Bononcini (1670-1747) o lugar de compositor de ópera mais popular para o público londrino.


Francesca Cuzzoni

Em 1722 o nosso amigo Handel concluiu que precisaria de algo mais nas suas óperas para obter a preferência do público, e vai daí decidiu contratar Cuzzoni, de quem tinha ouvido extraordinárias referências: voz muito expressiva, versátil, dona de um trinado famoso. Foi com base nestas premissas que Handel desenvolveu o papel de Teofane na sua ópera Ottone, uma coisa feita mesmo à medida da senhora. Havia, em particular, uma ária de que Handel se orgulhava particularmente, ansiando para apreciar o resultado.


Georg Friedrich Handel, Giovanni Bononcini

A primeira reacção de Cuzzoni foi a de recusar-se a cantar tal ária, por a ter achado "demasiado simples"... Handel, avisado como estava do feitio da dama, não esteve com meias medidas: disse-lhe que, se ela era o demónio, ele era Belzebu, o demónio-chefe, após o que a levantou pelos ombros, que a senhora era assim para o curto, e ameaçou atirá-la pela janela fora! A segunda reacção de Cuzzoni foi cantar de imediato a ária, de fio a pavio...

A estreia de Ottone, em 1723, obteria um sucesso tremendo, e Cuzzoni viria ainda a interpretar diversos papéis em óperas de Handel, como o de Cleopatra em Giulio Cesare e o de Asteria em
Tamerlano.

Entretanto, Faustina Bordoni (1700-1781), meio-soprano italiana com quem Cuzzoni já tinha anteriormente contracenado, começou a fazer furor nos meios operáticos, e veio a Londres efectuar 3 temporadas, entre 1726 e 1728. Não tardou muito até que as duas primas donas se odiassem uma à outra. O auge atingiu-se no dia 6 de Junho de 1727, quando ambas se pegaram no palco, primeiro com trocas de mimos verbais, espicaçadas pelas respectiva claques, e depois com puxões de cabelos e arranhões, como só as mulheres sabem fazer! Acabou tudo em festa: as duas engalfinhadas, quais gatas assanhadas, e as claques a arremessarem o mobilário da sala uma à outra...


Faustina Bordoni

Com os anos Cuzzoni perdeu a voz mas não a mania das extravagâncias, que acabariam por a levar a fugir diversas vezes aos credores e a aterrar por duas ocasiões na prisão. Acabaria na miséria, a fazer botões para sobreviver.


Bibliografia

The Rough Guide to Opera, Matthew Boyden
The Opera Lover's Companion, Charles Osborne
Dicionário Grove de Música, Stanley Sadie


Internet

Francesca Cuzzoni:
biografia
Faustina Bordoni:
biografia
Giovanni Bononcini:
biografia
Georg Friedrich Handel:
Mr. Handel and His Singers / gfhandel.org

2 comentários:

  1. Seria o cuzzoni dela melhor que a sua focinheta ?
    Fica a pergunta no ar. Se acha que sim ligue o 808420469,se acha que não ligue o 808420460.

    ResponderEliminar