05/10/2006

Compositores #72: Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791)

Continuação do texto de 7 de Setembro de 2006

Não seriam propriamente felizes os tempos que Mozart viveria após o regresso a Viena: não estava exactamente nas boas graças do imperador, o público vienense não se mostrava muito impressionado com as suas obras e, no que à ópera dizia respeito, à alemã em particular, os holofotes apontavam todos para Carl Ditters von Dittersdorf (1739-1799), Carl Ditters de nascimento e von Dittersford por investimento, que um título de nobre assenta sempre bem.

Esse ano de 1787 ficaria ainda marcado pelo desaparecimento de alguns dos que lhe eram mais chegados: o de seu pai, no dia 28 de Maio, o do seu filho mais novo e, em Setembro, o de Sigmund Barisani (1758-1787), seu médico pessoal e amigo desde os tempos da infância.

Apesar da sucessão de acontecimentos nefastos, Mozart não deixou de compôr: além de ter começado a escrever a ópera Don Giovanni, é também dessa altura, por exemplo, a famosa Eine kleine Nachtmusik. A ópera era resultado da encomenda de Praga referida no texto anterior, e foi para essa cidade que Mozart e Constanze naturalmente se voltaram a deslocar. Viagem feita de bom grado, pensamos nós, ou não fossem os ares de lá bem mais saudáveis para o nosso compositor...

Não havendo certezas quanto à data exacta, pensa-se que terão chegado a Praga entre Setembro e Outubro de 1787. Sabe-se, isso sim, que Mozart continuou a dedicar-se a Don Giovanni durante essa viagem, e que a terminaria já no seu destino final, passado entre a Casa dos Três Leões de Ouro e a Villa Bertramka, esta localizada nos arredores da cidade. Ambas propriedade dos Duscheks, grandes admiradores das artes e promotores de memoráveis serões musicais.

O ambiente ideal, portanto, para Mozart terminar Don Giovanni oder Der bestraft Lüstling, que teria a sua estreia no dia 29 de Outubro de 1787.


Bibliografia

Mozart and Prague, de Harald Salfelnner

Sem comentários:

Enviar um comentário