05/03/2007

Barítonos #1: Tito Gobbi (1913-1984)

"Voz excelente, mas não muito ampla", "o seu sucesso deveu-se mais à sua inteligência musical do que às qualidades vocais", "faltavam-lhe corpo e textura à voz". Tiradas de 3 biografias diferentes, ao ler estas apreciações alguém menos ligado às questões musicais dificilmente imaginaria que elas se referem ao italiano Tito Gobbi, um dos maiores barítonos de sempre!


Tito Gobbi

É que Tito Gobbi, além de uma bela voz de barítono, era um actor nato, de extraordinárias capacidades cénicas, que lhe permitiram retirar o máximo de cada um dos papéis que interpretou. E foram mais de 100 ao longo da sua carreira, sendo que se salientou especialmente em Giuseppe Verdi (1813-1901) e em papéis de um dos grandes representantes do verismo, Giacomo Puccini (1858-1924).

Contracenou com Maria Callas (1923-1977), tendo alguns desses momentos, absolutamente únicos, ficado registados e estando disponíveis em disco. Participou ainda em perto de uma vintena de filmes, maioritária mas não exclusivamente dedicados a temas operáticos. Tito Gobbi faleceu no dia 5 de Março de 1984.


CDs



Giuseppe Verdi
Simon Boccanegra.
Tito Gobbi, Walter Monachesi, Paolo Dari (barítonos), Victoria de los
Angeles, Sylvia Bertona (sopranos), Giuseppe Campora, P. Caroli (tenores),
Boris Christoff (baixo)
Rome Opera Chorus and Orchestra
Gabriele Santini
EMI Références 5 67483-2
(1957)

Giuseppe Verdi
Falstaff. (2 gravações)
M. Stabile, T. Gobbi, P. Biasini, R. Panerai (barítonos), F. Somigli,
E. Schwarzkopf, A. Oltrabella, A. Moffo (sopranos), D. Borgioli, L. Alva,
A. Tedeschi, T. Spataro, G. Nessi (tenores)
Vienna State Opera Chorus and Orchestra
Arturo Toscanini, Herbert von Karajan
Andante AN3080
(1937, 1957)

Giacomo Puccini
Tosca.
Maria Callas (soprano), Giuseppe di Stefano, Angelo Mercuriali (tenores),
Tito Gobbi (barítono), Franco Calabrese, Melchiore Luise, D. Caselli (baixos)
Chorus and Orchestra of La Scala, Milan
Victor de Sabata
EMI GROC 5 67756-2
(1953)

Giacomo Puccini
Tosca.
Maria Callas (soprano), Renato Cioni, Robert Bowman (tenores), Tito Gobbi
(barítono), Victor Godfrey, Erc Garrett, Dennis Wicks, Edgar Boniface (baixos)
Chorus of the Royal Opera, Covent Garden
Orchestra of the Royal Opera House, Covent Garden
Carlo Felice Cillario
EMI 5 62675-2
(1964)


Internet

http://www.associazionetitogobbi.com/
http://www.operaitaliana.com/autori/interprete.asp?ID=667
http://www.guiaerudito.com.br/entrevistas/Tito%20Gobbi/entrevista_gobbi_pg1.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Tito_Gobbi
http://en.wikipedia.org/wiki/Tito_Gobbi

2 comentários:

  1. Caríssimo,

    A Tosca que refere é dispensável, perto da de 53, tanto por Gobbi como pela Callas. Em 1953, os dois monstros gravaram a Tosca definitiva. Ele é o Scarpia absoluto: a perversão ganha forma na interpretação de Titto Gobbi! Try it :-)

    ResponderEliminar
  2. Caro João,

    I will try it!!! É sempre um prazer "invadir a sua área", pelo risco de levar troco...


    Uma braço,

    HVA

    ResponderEliminar