21/06/2007

Lugares #158

D. Afonso Henriques (1108/9?-1185) terá falhado completamente a sua missão! Só assim se poderá explicar o facto de, 860 anos depois, a zona sul do país continuar a ser o "reino dos mouros", pelo menos na opinião desapaixonada daqueles que vivem a norte do Mondego. Nós, é bom que se note, somos a favor das boas relações entre os povos, mouros incluídos, pelo que não temos problemas de maior em visitar o referido reino sulista. E assim o fizemos, em Abril passado, por motivos sonoros de que aqui já falámos anteriormente.

Aproveitámos, ainda, para visitar vários locais, num roteiro ditado no essencial pela pequenada que connosco habita. Um dos locais, está bom de ver, foi o Castelo de São Jorge, construído quando Lisboa era uma importante cidade portuária... muçulmana.

Ao longo da sua longa vida foi palco, como qualquer outro castelo, de várias lutas, mas este foi igualmente o palco onde foi representada a primeira peça de teatro português: o Auto do Vaqueiro, de Gil Vicente (1465?-1536?). Coisa em grande, porque se pretendia celebrar o nascimento daquele que viria a ser o rei D. João III, o Piedoso (1502-1557), pelo que, no dia 8 de Junho de 1502, dois dias depois do nascimento do príncipe, reuniu-se a nata da realeza para assistir à dita peça: os reis, claro, D. Manuel I (1469-1521) e D. Maria de Castela, mas também D. Leonor, viúva de D. João II (1455-1495), e D. Beatriz, mãe do rei. Ocasião única para Gil Vicente brilhar, evidentemente, pelo que, além de ter escrito a peça, tratou ele mesmo da encenação e ainda encontrou tempo para representar.

Por essa altura já o rei se orgulhava das grandes conquistas efectuadas, pois Vasco da Gama (1468/9?-1524) já tinha chegado à Índia e Pedro Álvares Cabral (1467?-1520?) ao Brasil; viriam ainda mais algumas, suficientes para D. Manuel I intitular-se de
Rei de Portugal e dos Algarves de aquém e de além mar, senhor da navegação e da conquista da Etiópia, Arábia, Pérsia e Índia. Gabe-se-lhe a modéstia...





Internet

Castelo de São Jorge
IPPAR / Wikipédia / Castelo de São Jorge / Câmara Municipal de Lisboa

Gil Vicente
Instituto Camões / Wikipédia / Casa de Sarmento / Gil Vicente

1 comentário: