15/07/2007

Lugares #159

Há poucos mais de 3 anos, o mayor de Xangai não fazia segredo das suas principais preocupações em relação à cidade: o desemprego, potenciado pelo número sempre crescente de residentes, o trânsito, o ambiente, e a preocupação de diminuir o peso estatal na economia, promovendo a iniciativa privada.

Ou o resultado do pragmatismo comunista à moda da China, suportando-se numa pujante economia de mercado. "Um regime, dois sistemas", proclamaram as autoridades no passado em relação à reintegração de Hong Kong; até pode ser que sim, mas não me parece que hoje em dia haja dois sistemas assim tão diferentes entre si...


Claro que o controlo central ainda se faz sentir um pouco por todo o lado. No acesso à Internet, por exemplo, sendo impossível aceder a qualquer blogue alojado no Blogger. O que explicará em parte a pouca frequência do desNorte, impossibilitado de atingir tão vasto mercado potencial...




Em relação à população, e segundo o World Atlas, Xangai, com mais de 14 milhões de habitantes, é a maior cidade do mundo, numa tabela liderada por Tóquio. Os crescimentos económico e populacional trouxeram os automóveis que, aliados à peculiar forma de conduzir chinesa, levaram o caos às ruas. Não é por acaso que a maioria das multinacionais não permite que os seus colaboradores conduzam naquele país. Passei uma boa parte da semana agora finda em Xangai, e não demorei a relembrar a sageza de tal decisão... Também não demorei a pegar na máquina fotográfica e a disparar em várias direcções, cujos alvos irão por aqui aparecendo nos próximos tempos. Não na próxima semana e meia, seguramente, por motivos que em breve explicarei.


Internet

Xangai
Shanghai / Wikipedia / People's Daily / China Daily / BBC / World Atlas

Sem comentários:

Enviar um comentário