26/07/2007

Lugares #160

O ritual domingueiro dos meus tempos de miúdo não era muito entusiasmante; de manhã a missa, principal causadora de ter que tirar cedo o rabo da cama, e, depois do almoço, o passeio familiar. O imprevisto não fazia parte do menu, pelo que as hipóteses de acertar antecipadamente no destino eram apreciáveis; rumássemos a sul e aterraríamos certamente em Espinho, apontasse a bússola para norte e a meia-volta seria dada na Póvoa de Varzim. Claro que o jogo da adivinhação estava viciado à partida, pois nunca íamos dois Domingos seguidos ao mesmo sítio...

Passaram-se os anos (bastantes...), mas manteve-se o gosto por viajar, apimentado pela frequente incerteza quanto ao destino final. Há não muito tempo, contudo, decidido a relembrar antigos passeios, peguei na família e apontei o calhambeque para a Póvoa, apesar dos prognósticos pessimistas dos senhores da meteorologia. Só que, em vez de desaguar no centro da cidade, fui ao ponto mais alto das redondezas, o melhor sítio para, em dias menos sombrios, ter uma vista fabulosa da cidade e do mar: o Monte de S. Félix, pertencente à freguesia de Laundos e ponto mais alto da Serra de Rates. Terra de pouca gente, cerca de 2100 habitantes, segundo nos diz a Câmara, e de emigrantes, lembrados num monumento erigido lá no topo.

A carroça, é bom que se diga, ficou devidamente estacionada no sopé do monte, e a subida foi feita a pé, que o agregado familiar pode ter muitos defeitos mas nunca regateia um bom exercício. E ali até nem faltavam motivos a pedir uma bela caminhada, como as modestas fotos procuram mostrar.





Internet

Laundos
Câmara Municipal da Póvoa de Varzim / Wikipédia / Portal da Póvoa de Varzim / Monte de S. Félix

Sem comentários:

Enviar um comentário