03/09/2007

Compositores #84: Morton Feldman (1926-1987)

Aqui neste cantinho andamos sempre à procura de motivos para trazer à baila personalidades menos conhecidas do mundo da música; têm tanto direito à vida como as outras e, por vezes, ainda nos encantam com histórias deliciosas. O norte-americano Morton Feldman não é, seguramente, dos compositores mais conhecidos neste nosso planeta. Há americanos bem mais conhecidos, e nem sempre pelos melhores motivos; um deles, por coincidência, está agora no Iraque, para constatar no local o êxito da intervenção que lá ordenou...

Mas isso são assuntos que não são para aqui chamados, voltemos então a Feldman. Uma das preocupações do nosso compositor de hoje foi a de fugir aos cânones tradicionais, procurando, para tal, novas formas de escrita musical. Tentou um pouco de tudo: ora dava apenas indicações vagas aos intérpretes, dando-lhes ampla liberdade quanto à melhor forma de tocar a peça; ora não lhes dava qualquer pista quanto à duração das notas; ora fazia o inverso, dizendo-lhes quais as respectivas durações, mas sem referir quais as notas que deveriam ser tocadas...

Este período de liberdades criativas coincidiu no essencial com a década de 1950, e após o primeiro encontro que teve com outro grande nome da música contemporânea norte-americana: John Cage (1912-1992). Em Nova Iorque, pois claro, cidade onde Feldman nasceu, viveu a maior parte do tempo e viria a falecer. A década de 1970 viu Feldman regressar à notação convencional a que se seguiria, na década seguinte, a fase das obras monumentais, com durações que não lembrariam ao diabo. Os seus biógrafos dizem-nos que, por essa altura, Feldman "procurava compor uma música que fosse pura e tranquila"; do seu interesse pela "utilização do tempo e da proporção" resultaram, nomeadamente, obras como o Quarteto de Cordas Nº1, com 100 minutos, a composição For Philip Guston, com uma duração de aproxidamente 4 horas, e o Quarteto de Cordas Nº2, uma coisa para durar aí umas 6 horas, qual discurso de Fidel Castro nos seus tempos áureos!

Morton Feldman faleceu há 20 anos, no dia 3 de Setembro de 1987.


CDs




Morton Feldman
Feldman Edition, Volume 2. First Recordings: 1950s.
Intersection 1. Five Nature Pieces. Two Intermissions.
Extensions - 1; 3; 4. Piece for Violin and Piano.
Morton Feldman (electronics), Philipp Vandré (piano)
The Turfan Ensemble
Philipp Vandré
Mode Records Mode 66

Morton Feldman
Feldman Edition, Volume 3. Complete Music for Violin and Piano.
Extensions 1. For John Cage. Piece for Violin and Piano.
Projection 4. Spring of Chosroes. Vertical Thoughts 2.
Mark Sabat (violino), Stephen Clarke (piano)
Mode Records Mode 82/83

Morton Feldman
Feldman Edition, Volume 4.
Indeterminate Music. The Straits of Magellan. Durations.
Two Pieces for Six Instruments. Projections.
The Turfan Ensemble
Philipp Vandré, Thaddeus Watson
Mode Records Mode 103

Morton Feldman
Feldman Edition, Volume 5. Voices and Instruments.
Journey to the End of Night. Four Songs to E. E. Cummings.
Intervals. The O'Hara Songs. Four Instruments.
Between Categories. Three Clarinets, Cello and Piano.
Claron McFadden (soprano), Charles van Tassel (baixo-barítono),
James Fulkerson (trombone)
The Barton Workshop
James Fulkerson
Mode Records Mode 107

Morton Feldman
Something Wild: Music for Film.
Ensemble Recherche
Kairos KAI0012292


Internet

Morton Feldman
New Albion Artists / Wikipedia / Morton Feldman Page / Epitonic / Edition Peters

1 comentário:

  1. francisco cristian r santos16/11/08, 15:23

    Conheço a pouco tempo o trabalho deste compositor e já estou apaixonado! É muito interessante.

    ResponderEliminar