06/02/2008

Pianistas #21: Claudio Arrau (1903-1991)

Nos finais de Agosto de 1973, Augusto Pinochet (1915-2006) tomou posse com chefe das Forças Armadas Chilenas tendo, nessa altura, jurado fidelidade ao presidente Salvador Allende (1908-1973). Duas semanas e meia depois, no dia 11 de Setembro de 1973, Pinochet liderou um golpe militar que depôs o governo e deu início a uma ditadura que iria durar 17 anos. Allende morreu nesse mesmo dia, em circunstâncias nunca totalmente esclarecidas. Algo não tão pouco habitual como isso, os Estados Unidos desempenharam um papel importante, primeiro na campanha eleitoral que, ao contrário do que pretendiam, acabaria por colocar Allende no poder, e depois no apoio aos autores do golpe militar.

Inconformado com o rumo que o seu país natal levava, o pianista Claudio Arrau
viria a assumir cidadania americana em 1978. Curiosa, esta escolha, pela contribuição dos EUA na situação criada no Chile... Arrau, contudo, nunca deixaria de ser idolatrado pelos seus conterrâneos; desde a sua primeira e triunfal turné, efectuada em 1921, passando pelos recitais dos finais da década de 1930 e terminando com uma turné em 1984. Nessa altura Claudio Arrau tinha já 81 anos, e há 17 que não tocava no Chile.

A Sociedade Robert Schumann
, fundada em 1979, conta com 3 membros honorários, sendo um deles Claudio Arrau. Os outros 2 são Dietrich Fischer-Dieskau (1925-) e o maestro alemão Wolfgang Sawallisch (1923-). Em homenagem a Arrau, a sociedade estabeleceu a Medalha Arrau, destinada a premiar os pianistas que mais se distinguiram na preservação da tradição pianística do chileno; até hoje os premiados foram András Schiff (1953-), Martha Argerich (1941-) e Murray Perahia (1947), aquele dos "outros"...

Claudio Arrau nasceu há 105 anos, no dia 6 de Fevereiro de 1903.


Internet

Claudio Arrau
Site Officiel
/ Biography / Wikipedia / Marston Records

5 comentários:

  1. Pois exactamente. Tenho utilizado em muitos dos meus posts exemplos deste magnifico pianista o ultimo dos quais com o concerto nº5 de Beethoven.
    Hoje estava a pensar um post deste género mas sendo assim vou remeter para aqui até porque o fez melhor do que alguma vez faria.
    A escolha dos EUA foi sem duvida curiosa ...
    Quanto às circonstancias da morte de Allende bem isso era uma história para um (muito) longo comentário. Fica para outra vez.

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente, Arrau não é lembrado como merece, a exemplo do que acontece com outros magos do piano, como Rubinstein ou Alicia de La Rocha.
    Justa homenagem.

    ResponderEliminar
  3. ironia a escolha geográfica de Claudio Arrau...

    ResponderEliminar
  4. Caro Fernando Vasconcelos,

    Obrigado pela gentileza.


    Cumprimentos,

    Heitor

    ResponderEliminar
  5. À primeira vista a escolha de Claudio Arrau causa perplexidade, pelo que terá deverá ter havido motivos que nós desconhecemos.

    Saudações,

    Heitor

    ResponderEliminar