29/03/2008

Compositores #89: Charles-Valentin Alkan (1813-1888)

Se a obra do francês Charles-Valentin Alkan não é ainda mais desconhecida actualmente, tal deve-se em grande parte ao esforço de um compositor e pianista que já por aqui passou amiúde: Ferruccio Busoni (1866-1924). Busoni esteve bem acompanhado nessa tarefa por Egon Petri (1881-1962), um antigo aluno seu, e pelo compositor Kaikhosru Sorabji (1892-1988), que chegou a dar o nome de Quasi Alkan a um dos movimentos de uma obra sua.

O próprio Alkan fez por que a sua vida e obra fossem pouco conhecidas, ao desaparecer de circulação frequentemente, refugiando-se em... Paris, passando largos períodos sem dar sinal de vida. Aluno brilhantíssimo do Conservatório de Paris, revelou desde muito jovem possuir uma técnica pianística absolutamente invulgar, tendo privado com outros grandes nomes da música e do piano, como Franz Liszt (1811-1886) e Frédéric Chopin (1810-1849). As suas composições para piano, que estão em maioria no conjunto da sua obra (deixou-nos um catálogo com um total de 76 números de opus), são tecnicamente muito difíceis, exigindo grande virtuosismo ao intérprete, tendo Busoni afirmado estar-se perante "a maior obra para piano depois da de Liszt".

Em 1838, com 25 anos apenas, Alkan deu início aos seus desaparecimentos. Durante os 35 anos seguintes raramente apareceu a tocar em público; será mais correcto até dizer que raramente apareceu em público... Apenas a partir de 1873 passou a tocar em público de uma forma mais ou menos regular; em muito poucas ocasiões, contudo, interpretou a sua própria música.

Charles-Valentin Alkan faleceu há 120 anos, no dia 29 de Março de 1888.


CDs





Charles-Valentin Alkan
Grande Sonata "Les Quatres Ages", Op.33. Sonatine, Op.61.
Barcarolle, Op.65 No.6. Le Festin d'Esope, Op.39 No.12.
Marc-André Hamelin (piano)
Hyperion CDA66794
(1994)

Charles-Valentin Alkan
Symphonie, Op.39 Nos.1-4. Salut, cendre du pauvre!, Op.45.
Alleluia, Op.25. Super flumina Babylonis, Op.52.
Souvenirs: Trois Morceaux dans le genre pathétique, Op.15.
Marc-André Hamelin (piano)
Hyperion CDA67218
(2000)

Charles-Valentin Alkan
Concerto for Solo Piano, Op.39 Nos.8-10.
Troisième recueil de chants - Book 3, Op.65.
Marc-André Hamelin (piano)
Hyperion CDA67569
(2006)

Charles-Valentin Alkan
Concerto for Solo Piano.
Marc-André Hamelin (piano)
Music & Arts CD-724

Charles-Valentin Alkan
Grande Sonate, "Les Quatres Âges", Op.33.
4 Études (12 Études dans tous les tons mineurs, Op.39).
La Chanson de la folle au bord de la mer (Préludes, Op.31).
Allegro barbaro (12 Études dans tous les tons majeurs, Op.35).
Sonatine, Op.61. Trois Études de bravoure, Op.16.
Trois Grands Études pour les deux mains séparées et réunies, Op.76.
Ronald Smith (piano)
EMI Double Forte 5 75649-2
(1971, 1973, 1977, 1987)

Charles-Valentin Alkan
48 Esquisses, Op.63.
Steven Osborne (piano)
Hyperion CDA67377
(2002)

Charles-Valentin Alkan
Organ Works, Volume 1.
Benedictus, Op.54. Douze Études pour les pieds seulement.
Onze Grandes Préludes et une Transcription du Messie de Handel, Op.66.
Kevin Bowyer (órgão)
Toccata Classics TOCC0030
(2005)

Charles-Valentin Alkan
12 Études dans les tons mineurs, Op.39. Nocturne.
Jack Gibbons (piano)
ASV CDDCS227


Internet

Charles-Valentin Alkan
The Alkan Society / Karadar Classical Music / Naxos / Hyperion / Wikipedia / Classical Net

5 comentários:

  1. Excelente!
    Grande blog!
    Eu também gosto de música clássica...

    Abraços

    ResponderEliminar
  2. Mas realmente é um grande blog!
    Parabéns!

    Abraços

    ResponderEliminar
  3. Caro... anónimo,

    Obrigado, é sempre reconfortante saber que há alguém que lê isto além de nós próprios!


    Saudações,

    Heitor

    ResponderEliminar
  4. Obrigado eu tenho lido este blog todos os dias, e espero que o Heitor continue com o blog por mais anos!
    Abraços

    ResponderEliminar