19/03/2008

Compositores #88: Max Reger (1873-1916)

Criar um estilo musical resultante da fusão de influências tão díspares como as de Johann Sebastian Bach (1685-1750) e Richard Wagner (1813-1883) parece uma quase impossibilidade, mas foi (mais ou menos) isso que conseguiu o nosso convidado de hoje, o compositor alemão Max Reger. Da admiração pelo primeiro resultou uma paixão assolapada pelo contraponto, do segundo admirou principalmente a harmonia. Reger visitou Bayreuth em 1888, tendo ficado vivamente impressionado com as óperas de Wagner, influência que se viria a revelar decisiva em toda a sua obra. Curiosamente, Reger abarcou todos os géneros musicais excepto... a ópera!

Compositor prolífico, compôs imensas obras para órgão (apenas ultrapassadas em número pelas que escreveu para piano e para conjuntos de câmara). Não fosse ser hoje quase totalmente ignorado e poderíamos afirmar, sem risco de levantarmos grandes polémicas, estarmos perante o mais importante conjunto de peças para órgão de um compositor alemão depois de Bach. Se calhar isto até é verdade, só que poucos as interpretam... No que às outras obras diz respeito, o cenário é ainda mais desanimador. É significativo, aliás, que nas páginas da Max Reger Foundation of America (ligação no final deste texto), se afirme que, à excepção das peças para órgão, praticamente ninguém nos Estados Unidos interprete as orquestrais, vocais, corais, para piano e de câmara deste compositor.

Max Reger nasceu há 135 anos, no dia 19 de Março de 1873.


CDs




Max Reger
Suite im alten Stil, Op.93. Serenade in G, Op.95.
Bamberg Symphony Orchestra
Horst Stein
Koch Schwann 3-1566-2
(1993)

Max Reger
Improvisations, Op.18. Humoresques, Op.20.
Traume am Kamin, Op.143. In der Nacht.
Markus Pawlik (piano)
Naxos 8.553331

Max Reger
String Quartet in E flat major, Op.109.
Clarinet Quintet in A major, Op.146.
Karl Leister (clarinete)
Vogler Quartet
Nimbus NI5644
(1999)

Max Reger
Organ masterworks.
Fantasy for Organ, Op.52/2. Sonata in D minor, Op.60.
Symphonic Fantasy and Fugue, Op.57.
Franz Hauk (órgão)
Guild GMCD7192
(1996)

Max Reger
Psalm 100, Op.106. Variations and Fugue on a Theme by Mozart, Op.132.
Russian State Symphonic Cappella
Russian State Symphony Orchestra
Valéry Polyansky
Chandos CHAN9917

Max Reger
Chorale Fantasia on "How Brightly Shines the Morning Star".
Organ Pieces, Op.59. Introduction and Passacaglia in F minor, Op.63.
Josef Still (órgão)
Naxos 8.555905

Max Reger
Works for Orchestra.
Karl Suske, Heinz Schunk, Walter Hartwich,
Manfred Scherzer, Günter Siering (violinos)
Amadeus Webersinke (piano)
Annelies Burmeister (alto)
Staatskapelle Berlin, Otmar Suitner
Gewandhausorchester Leipzig, Franz Konwitschny
Staatskapelle Dresden, Heinz Bongartz, Herbert Blomstedt
Dresdner Philharmonie, Heinz Bongartz, Günther Herbig
Rundfunk-Sinfonie-Orchester Leipzig, Heinz Bongartz
Rundfunk-Sinfonie-Orchester Berlin, Heinz Rögner
Berlin Classics 0183992BC
(1963, 1965, 1969, 1970, 1973, 1974, 1984)


Internet

Max Reger
The Max Reger Foundation of America / Classical Music Pages / Naxos / Guild / Wikipedia / Classical Net / Bach Cantatas Website / Classical Music Archives

1 comentário:

  1. O facto de Reger estar totalmente esquecido não é totalmente verdade: não há organista que se preze que não o toque regularmente...

    Parabens pelo blog. André

    ResponderEliminar