05/12/2008

Concertos #70

O Grupo dos Cinco, composto pelos compositores russos Mily Balakirev (1837-1910), Alexander Borodin (1837-1887), César Cui (1835-1918), Modest Mussorgsky (1839-1881) e Nikolai Rimsky-Korsakov (1844-1908), e que tinha como objectivo a criação de uma escola de composição típica e distintamente russa, formou-se em 1858 e desfez-se 15 anos depois, em 1873. Este ano ficou igualmente marcado pelo falecimento do arquitecto e pintor Viktor Hartmann (1834-1873), amigo dos membros daquele grupo, e de Mussorgsky em particular. No ano seguinte realizou-se em memória de Hartmann uma exposição onde se apresentaram algumas das suas maquetas e desenhos, e foi ao visitá-la que Mussorgsky ganhou a inspiração para a suite para piano Quadros de Uma Exposição, a obra por que ainda hoje é mais conhecido, se bem que tal se deva em boa medida à orquestração de Maurice Ravel (1875-1937), efectuada em 1922.

Foi esta versão orquestrada que tivemos a oportunidade de ouvir em Maio de 2006, com Mikhail Pletnev (1957-) a dirigir a Orquestra Nacional Russa. Amanhã, e ainda na Casa da Música, ouvi-la-emos na versão original para piano, com o extraordinário pianista norueguês Leif Ove Andsnes (1970-), por quem o nosso amigo P. Q. P. Bach tem uma admiração de que não faz segredo... Andsnes já tinha visitado estas páginas de passagem, a propósito de um excelente disco com os 2 primeiros concertos para piano de Sergei Rachmaninov (1873-1943).

A primeira parte do recital de amanhã será preenchida com 2 sonatas de Ludwig van Beethoven (1770-1827), e as Seis Pequenas Peças para Piano, Op.19, de Arnold Schoenberg (1874-1951), compostas entre Fevereiro e Junho de 1911.


Programa

Ludwig van Beethoven
Sonatas para Piano - Nº13; Nº14.
Arnold Schoenberg
Seis Obras, Op.19.
Modest Mussorgsky
Quadros de Uma Exposição.
Leif Ove Andsnes (piano)


Internet

Modest Mussorgsky
Classical Music Pages / Naxos / Classical Music Archives / 8notes.com / Answers.com / Wikipedia

1 comentário:

  1. Desse grupo talvez o facto menos favorável tenha sido o antagonismo com Tchaikovsky que nem sempre foi absolutamente racional. Isto dito Rimsky Korsakov escreveu uma das minhas obras preferidas de sempre, Scherezade.

    ResponderEliminar