23/03/2009

Sinfonias #35: Sinfonia Nº3, de Reinhold Glière

Já por aqui passaram vários dos compositores que foram vítimas do realismo socialista, a política para as artes implementada pelas autoridades soviéticas, que teve em Andrei Zhdanov (1896-1948) o seu principal executor: Sergei Prokofiev (1891-1953), Aram Khachaturian (1903-1978) e Nikolai Myaskovsky (1881-1950). Houve também, obviamente, compositores que passaram mais ou menos incólumes por tal situação e, nessa lista, teremos que incluir Reinhold Glière (1875-1956).

A parte mais significativa da obra de Glière foi escrita durante a primeira metade do século XX, só que não soava muito diferente das obras que os seus compatriotas tinham escrito no século anterior; é que Glière, além de fortemente influenciado pelo romantismo russo, era avesso a grandes experimentações sonoras, nunca tendo composto uma obra que soasse a moderna. Se aliarmos este facto ao de jamais as suas composições terem revelado influências externas, então vemos que estavam reunidas todas as condições para não ser chateado pelas autoridades.

Da sua vasta obra merecem especial destaque as sinfonias que escreveu, no total de 3; destas, a mais conhecida é indubitavelmente a última, uma sinfonia programática inspirada na vida do lendário e mítico herói Ilya Muromets que, incapaz de andar desde muito jovem, foi miraculosamente curado quando tinha 33 anos, tendo, nessa mesma altura, recebido poderes sobre-humanos, que usou profusamente na libertação de várias cidades.

A Sinfonia Nº3 de Reinhold Glière foi estreada há 97 anos, no dia 23 de Março de 1912.


CD



Reinhold Glière
Symphony No.3, "Il'ya Mouromets", Op.42.
London Symphony Orchestra
Leon Botstein
Telarc CD80609


Internet

Reinhold Glière
Reinhold Glière / Sikorski / Reinhold M. Glière / Naxos / Glière: Biography / Classical Archives / Wikipedia

Sem comentários:

Enviar um comentário