18/04/2009

Sopranos #16: Frida Leider (1888-1975)

A estreia operática de Frida Leider (1888-1975) teve lugar em Halle em 1915, como Vénus em Tannhäuser, de Richard Wagner (1813-1883), um compositor a que o soprano ficaria irremediavelmente ligado ao longo da sua carreira. Depois de passagens por Rostock, Königsberg e Hamburgo, em 1923 mudou-se para Berlim, cidade onde tinha nascido, e nos cerca de 15 anos que passou na Berlin Staatsoper foi-se notabilizando como um dos melhores sopranos dramáticos da sua geração. A par das interpretações de Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), Richard Strauss (1864-1949) e Giuseppe Verdi (1813-1901), não passaram despercebidas as que fez dos grandes papéis Wagnerianos.

Em 1924 estreou-se no Covent Garden, e de novo em óperas de Wagner, Tristan und Isolde e Die Walküre, caindo de imediato nas boas graças do público londrino, pelo que regressou anualmente àquela casa até 1938. A presença em Bayreuth era quase inevitável, e a primeira teve lugar em 1928; por lá andaria durante uma década, brilhando a grande altura e sendo por muitos considerada como o grande soprano Wagneriano da época. Ainda em 1928 teve a sua primeira presença em Chicago, e de novo num ópera de Wagner; cerca de 5 anos depois, em Janeiro de 1933, foi a vez de aparecer no Met de Nova Iorque, para participar no elenco de Tristan und Isolde, de... Richard Wagner...

Aquando do seu falecimento, em Junho de 1975, uma publicação berlinense publicou o seguinte obituário (1): "(...) Frida Leider foi uma das mais importantes personalidades da história da música da primeira metade do nosso século. Sem ela, o repertório de Wagner durante estes anos não teria sido possível".

Frida Leider nasceu há 121 anos, no dia 18 de Abril de 1888.

(1) The St. James Opera Encyclopedia, edited by John Guinn and Les Stone


CDs



Frida Leider
The Singers
Árias de óperas de Wolfgang Amadeus Mozart, Ludwig van Beethoven,
Richard Wagner e Carl Maria von Weber.
Frida Leider (soprano), Lauritz Melchior, Fritz Soot (tenores)
Decca 467 911-2

Frida Leider
A Vocal Portrait
Árias de óperas e canções de Ludwig van Beethoven, Christoph Willibald
Gluck, Wolfgang Amadeus Mozart, Franz Schubert, Robert Schumann, Richard
Strauss, Giuseppe Verdi, Richard Wagner e Carl Maria von Weber.
Frida Leider (soprano), Elfriede Marherr-Wagner (meio-soprano), Lauritz
Melchior (tenor), Michael Raucheisen (piano)
Berlin State Opera Orchestra
London Symphony Orchestra
John Barbirolli, Leo Blech, Albert Coates
Naxos Historical 8.110744-45

Richard Wagner
Götterdämmerung (end of Act 1, Act 2). Die Walküre (excerpts).
Siegfried (excerpts).
Frida Leider, Maria Nezadal, Elfried Maherr-Wagner (sopranos), Lauritz
Melchior, Rudolf Laubenthal (tenores), Herbert Janssen (bar), Kerstin
Thorborg (meio-soprano), Eduard Habich (baixo)
Royal Opera House Chorus
Royal Opera House Orchestra
Berlin State Opera Orchestra
Thomas Beecham, Leo Blech
Guild GHCD2311/12
(1936)


Internet



Frida Leider
Frida Leider Society / Subito-Cantabile / Naxos / Classical Archives / allmusic / Classical CD Review / Answers.com / Wikipedia

4 comentários:

  1. Apesar da velocidade - eles tinham que despachar isto em cinco minutos -, é uma morte espantosa.

    ResponderEliminar
  2. assim, está o quadro completo, tudo à mão, belo esforço Heitor

    ResponderEliminar
  3. Paulo,

    Concordo em absoluto. E, após o choque inicial, até nos habituamos à fraca qualidade da gravação, conseguindo apreciar devidamente as qualidades da senhora.

    Polidor,

    Graças a si, devo dizer, pois esta ideia nunca me tinha passado pela pinha...


    Cumprimentos,

    Heitor

    ResponderEliminar
  4. Frieda Leider foi a maior wagneriana do seu tempo. Foi o seu regresso forçado à Alemanha que fez com que os responsáveis do Met viessem à Europa buscar alguém que tomasse o seu lugar. E foram tão felizes que encontraram a maior cantora do mundo:Kirsten Flagstad.
    Eu tenho o primeiro cd que aqui apresenta e só tenho superlativos. Trata-se de uma cantora excepcional, estando tanto à vontade no reportário alemão como no italiano. A sua Isolda é antológica.
    Raul

    ResponderEliminar