25/02/2009

CDs #197: Tchaikovsky, Francesca da Rimini, Hamlet

Há pouco mais de 1 ano atrás referi aqui o quão complicado o ano de 1877 foi para o compositor russo Piotr Ilyich Tchaikovsky (1840-1893); nesse ano, contudo, terminaria a Sinfonia Nº4, que iria ser estreada no ano seguinte por Nikolai Rubinstein (1835-1881). Hoje interessa-nos olhar para o ano de 1876, aquele em que tomou a decisão, que se viria a revelar trágica, de dar o nó, mas também o ano em que pela primeira vez visitou Bayreuth, decorria o mês de Agosto. Verdade seja dita que não valeria a pena ter efectuado a visita antes disso, pois foi exactamente nessa altura que decorreu o primeiro Festival de Bayreuth, entre os dias 13 e 30 de Agosto. Além de ter conhecido pessoalmente o grande compositor alemão, Tchaikovsky teve ainda a oportunidade de privar com Franz Liszt (1811-1886).

De regresso a casa, Tchaikovsky, que já há algum tempo andava a fermentar a ideia de uma ópera à volta da Divina Comédia de Dante (1265-1321), contactou o libretista Konstantin Zvantsev, que preparou um texto com as desventuras de Paolo e Francesca. Já depois do texto finalizado e aprovado pelo compositor, Zvantsev, um incondicional admirador de Richard Wagner (1813-1883), começou com várias exigências, que passavam por querer que a ópera fosse ao estilo do mestre alemão, além de querer, de alguma forma, controlar o próprio processo creativo. Tchaikovsky não esteve com meias medidas e desistiu de imediato do projecto, nunca tendo chegado a compor uma ópera sobre o tema, apesar de ter chegado a receber um libreto de um outro escritor.

No seu lugar escreveria uma fantasia sinfónica, Francesca da Rimini, que, apesar da reacção extremamente negativa de Tchaikovsky à música de Wagner interpretada no referido festival, não deixa de revelar alguma influência do mestre alemão, embora menor do que aquela exercida pelas obras de Liszt. A estreia, no dia 25 de Fevereiro de 1877, passam hoje 132 anos, ocorreu em Moscovo e teve uma vez mais Nikolai Rubinstein a dirigir a orquestra.


CD



Piotr Ilyich Tchaikovsky
Francesca da Rimini, Op.32. Hamlet - Overture and Fantasy.
The Stadium Orchestra of New York
Leopold Stokowski
Everest EVERCD 003


Internet

Piotr Ilyich Tchaikovsky
Tchaikovsky Research / Tchaikovsky / Classical Music Pages / Classical Music Archives / Essentials of Music / Naxos / Classical Net / Wikipedia

24/02/2009

Lugares #185

Os gráficos (roubados do site da Câmara Municipal) não deixam margem para dúvidas, evidenciando ser Fornos a mais pequena freguesia do Concelho de Santa Maria da Feira:



A nossa chegada, há pouco mais de 2 anos, melhorou um pouco os números da densidade populacional, mas não ajudou em nada ao aumento da área da freguesia, que continuou nuns modestíssimos 3,63km2. Tendo falhado todas as vias negociais para corrigir tão evidente injustiça, decidiram os habitantes formar um exército local, com o fito de conquistar território às freguesias vizinhas. Hoje teve lugar o desfile dos candidatos, primeiro passo de um processo de recrutamento que se prevê longo e exigente:





A coisa promete.

21/02/2009

Concertos #72

Há coisa de 4 anos e pico assinalei nestas páginas os 45 anos passados sobre a morte do compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos (1887-1959). Lá para o fim deste ano, então, assinalar-se-á o cinquentenário do seu falecimento, mas a Casa da Música, e nós por tabela, não esperou por Novembro para começar a celebrar condignamente tão relevante efeméride.


No concerto do próximo Domingo serão interpretadas duas das nove Bachianas Brasileiras, uma delas numa transcrição para trompete do virtuoso sueco Hakan Hardenberger (1961-). As Bachianas foram compostas por Villa-Lobos entre 1930, após o regresso da segunda estadia em Paris, e 1945. Este compositor conseguiu como poucos misturar a tradição musical ocidental com a música indígena brasileira, representado as Bachianas o seu expoente máximo e inspirando-se, como o nome deixa transpirar, nas formas musicais herdadas do grande compositor alemão Johann Sebastian Bach (1685-1750).

Um dos grandes atractivos deste concerto será obviamente a presença do trompetista Hakan Hardenberger; um outro terá a ver com o facto de irem ser apresentadas obras de outros dois compositores brasileiros, Carlos Gomes (1836-1896) e Claudio Santoro (1919-1989); por último, será o Concerto de Carnaval da Casa da Música, pelo que animação não faltará certamente...


Programa

Heitor Villa-Lobos
Bachianas Brasileiras - Nº5 (transcr. para trompete); Nº2.
Carlos Gomes
O Guarani - Abertura.
Claudio Santoro
Ponteio.
Hakan Hardenberger (trompete)
Orquestra Nacional do Porto
Lavard Skou-Larsen


Internet

Heitor Villa-Lobos
Delcamp.net / Heitor Villa-Lobos Website / Sítio do Museu Villa-Lobos / Vidas Lusófonas / Memória Viva / Naxos / Musicologie / P. Q. P. Bach / 8notes.com / Bach Cantatas Website / Wikipédia

16/02/2009

CDs #196: John Corigliano, Virgil Thomson

O filme Le Violon Rouge do canadiano François Girard (1963-) venceu vários prémios, nomeadamente um Óscar, entre 1998 (data da sua apresentação) e 2000, e foi nomeado para vários outros, entre eles os Grammys e os atribuídos pela Associação de Críticos de Cinema de Chicago. O alvo destas 3 distinções foi o compositor norte-americano John Corigliano (1938-), autor da banda sonora do filme. Não foi a primeira vez que Corigliano escreveu música para filmes, já o tendo feito anteriormente, por exemplo, para o filme Altered States, que o inglês Ken Russell (1927-) realizou em 1980. Já nessa altura Corigliano tentou ganhar um Óscar para a melhor música original, mas ficou-se pela tentativa... Por sua vez, a ligação de Ken Russell à música já tinha pergaminhos, cabendo naturalmente destacar o filme Mahler, que realizou em 1974 sobre a vida do grande sinfonista austríaco Gustav Mahler (1860-1911).

John Corigliano regressou várias vezes à música que escreveu para O Violino Vermelho, e de uma dessas visitas resultaram The Red Violin Caprices, para violino solo, que abrem este disco da editora Naxos, a dos preços de saldo. A obra que se lhe segue no disco, a Sonata para Violino e Piano, foi composta em 1963 e foi aquela que lhe granjeou reconhecimento internacional, e com a qual venceu o Festival dei Due Mondi em 1964. Festival este que foi fundado em 1958 pelo compositor Gian Carlo Menotti (1911-2007) e sobre o qual pairam actualmente algumas (bastantes...) nuvens negras; bastou o seu fundador falecer para que começassem todos à batatada, numa confusão que envolve(u) o próprio ministro da cultura italiano. Depois do Calcio Caos, o Festival Caos... há que manter o prestígio...

John Corigliano nasceu há 71 anos, no dia 16 de Fevereiro de 1938.




John Corigliano
The Red Violin Caprices. Sonata for Violin and Piano.
Virgil Thomson
Three Portraits (arr. Samuel Dushkin). Five Ladies. Eight Portraits.
Philippe Quint (violino), William Wolfram (piano)
Naxos 8.559364
(2007, 2008)


Internet

John Corigliano
John Corigliano / Naxos / mfiles / Columbia 250 / Filmtracks / G. Schirmer Inc. / Joshua Bell / Wikipedia

13/02/2009

Pianistas #26: Leopold Godowsky (1870-1938)

Ao falar do lituano Leopold Godowsky vêm de imediato à memória as coisas diabólicas que fez com os Études de Frédéric Chopin (1810-1849). Interpretar esses 53 estudos de Godowsky é quase como que efectuar a escalada do Everest em versão musical, pelo que não é qualquer pianista que se mete em tal aventura; assim de repente lembro-me apenas do virtuoso canadiano Marc-André Hamelin (1961-), adepto incondicional de desafios pianísticos...

Godowsky foi também um pianista altamente virtuoso, um dos maiores da sua geração e de todos os tempos, apreciado aquém e além Atlântico. Cedo começou a tocar, violino e piano, e a compor, sem que se lhe tivesse conhecido algum professor. Menino prodígio, portanto, desde cedo aproveitado e colocado em cima dos palcos para alegria (financeira) de todos... Nos finais de 1884 a família mudou-se para Nova Iorque e, na linha do que vinha acontecendo, rapidamente foi colocado em turné. Acabou por ser salvo por Leon Saxe, um abastado patrono das artes que, em Julho de 1886, o enviou para França com o objectivo de ter lições com Franz Liszt (1811-1886).

Só que Liszt faleceria no dia 31 desse mês, antes de Godowsky lá chegar, gorando-se um encontro que ficaria nos anais da história da música, entre dois dos maiores pianistas de sempre.

Leopold Godowsky nasceu há 139 anos, no dia 13 de Fevereiro de 1870.


CDs



The Complete Leopold Godowsky - Volume 1.
Columbia and Brunswick Recordings, 1913-1922.
Leopold Godowsky (piano)
Marston 52046-2

The Complete Leopold Godowsky - Volume 2.
Brunswick Recordings, 1922-1925.
Leopold Godowsky (piano)
Marston 52051-2

The Complete Leopold Godowsky - Volume 3.
Brunswick and English Columbia Recordings, 1925-1930.
Leopold Godowsky (piano)
Marston 53008-2


Internet

Leopold Godowsky
Leopold Godowsky / LeopoldGodowsky.com / Marston Records / Naxos / Bach Cantatas Website / Answers.com / Piano Society / Classical Archives / Classic Cat / Wikipedia

10/02/2009

Baixos #2: Cesare Siepi (1923-)

O único baixo de que aqui tinha falado até hoje foi Boris Christoff (1914-1993), e isto já no longínquo mês de Maio de 2006. Pois foi precisamente pelo facto de Boris Christoff não ter conseguido o visto para entrar nos Estados Unidos, que o convidado de hoje, Cesare Siepi, fez parte do elenco que, em Novembro de 1950, levou à cena o Don Carlos de Giuseppe Verdi (1813-1901) no Met de Nova Iorque. Interpretando o papel do rei Filipe II de Espanha, Siepi brilhou a grande altura, dando início a uma relação com o Met que se estenderia por 24 anos. Foram várias e significativas as estreias no Met nesse Don Carlos, além da de Siepi, a começar pela do director Rudolf Bing (1902-1997) e passando pela do meio-soprano italiano Fedora Barbieri (1920-2003), sem esquecer o soprano norte-americano Lucine Amara (1927-). Extraordinário elenco, pois claro, completado com a ajuda dos veteranos Jussi Björling (1911-1960), Robert Merrill (1917-2004) e Jerome Hines (1921-2003).

Cesare Siepi nasceu em Milão em Fevereiro de 1923, e estreou-se em palco em 1941 em Schio, perto de Vicenza, no papel de Sparafucile, no Rigoletto de Verdi. Seguir-se-iam as estreias em Verona (1945), no La Scala (1946) e no Covent Garden de Londres (1950). Tal como o seu antecessor no Met, o igualmente baixo italiano Ezio Pinza (1892-1957), Siepi foi particularmente apreciado em Mozart (1756-1791); e, tal como Pinza, entrou numa comédia da Broadway, sem obter grande sucesso (maneira simpática de dizer "com pouco ou nenhum sucesso"...).

Cesare Siepi celebra hoje o seu 86º aniversário.


CDs




The Great Renata Tebaldi
Giacomo Puccini
Gianni Schicchi: O mio babbino caro. (1962)
Tosca: Vissi d'arte. (1959)
Suor Angelica: Senza mamma, o bimbo, tu sei morto. (1962)
Il tabarro: Michele! Michele!... Avevo ben ragione... Sì, vicina. (1962)
La fanciulla del West: Una partita a poker! (1958)
Turandot: Tu che di gel sei cinta. (1955)
La Bohème: Sì. Mi chiamano Mimì... O soave fanciulla. (1959)
Manon Lescaut: Sola, perduta, abbandonata. (1954)
Madama Butterfly: "Con onor muore". (1958)
Alfredo Catalani
La Wally: Prendi, fanciul, e serbala! (1968)
Amilcare Ponchielli
La Gioconda: Suicidio. (1967)
Francesco Cilea
Adriana Lecouvreur: I fiori offerti in un'ora d'oblio... Poveri fiori. (1961)
Umberto Giordano
Andrea Chénier: Ecco l'altare... Eravate possente. (1957)
Arrigo Boito
Mefistofele: L'altra notte in fondo al mare. (1958)
Giuseppe Verdi
Aida: Ritorna vincitor! (1949)
Il trovatore: Tacea la notte placida. (1949)
La traviata: Parigi, o cara, noi lasceremo. (1954)
La forza del destino: Pace, pace, mio Dio! (1955)
Otello: Già nella notte densa. (1961)
Don Carlo: Giustizia! o Sire. (1965)
Um ballo in maschera: Morrò, ma prima in grazia. (1964)
Gioachino Rossini
La regata veneziana: Anzoleta dopo la regata. (1969)
Franz Lehár
Die lustige Witwe: Vilja-Lied. (1960)
Renata Tebaldi (soprano), Grace Bumbry (meio-soprano), Gianni
Poggi, Mario del Monaco (tenores), Cornell MacNeil, Robert
Merrill (barítonos), Cesare Siepi, Nicolai Ghiaurov (baixos)
Florence Maggio Musicale Orchestra
Santa Cecilia Academy Rome Orchestra
Monte Carlo Opera Orchestra
Suisse Romande Orchestra
Royal Opera House Orchestra
New Philharmonia Orchestra
Vienna Philharmonic Orchestra
Lamberto Gardelli, F. Molinari-Pradelli, Fausto Cleva, Franco
Capuana, Gianandrea Gavazzeni, Herbert von Karajan, Tullio Serafin,
Alberto Erede, Georg Solti, Oliviero de Fabritiis, Richard Bonynge
Decca 470 280-2

Arturo Toscanini - Boito Memorial
Arrigo Boito
Mefistofele - Prologue; Act III. Nerone - Act III; Act IV - Scene 2.
Giuseppe Verdi
La Traviata - Prelude; Act I; Act III.
Ludwig van Beethoven
Symphony No.1 in C, Op.21.
Cesare Siepi (baixo), Giacinto Prandelli, Giuseppe Nessi (tenores),
Herva Nelli (soprano), Frank Guarrera (barítono), Giulietta
Simionato, Ebe Ticozzi (meios-sopranos)
La Scala Chorus
La Scala Orchestra
Arturo Toscanini
Guild GHCD2307/8
(1946, 1948, 1951)

Wolfgang Amadeus Mozart
Don Giovanni, K527.
Cesare Siepi, Otto Edelmann, Raffaele Arié, Walter Berry (baixos),
Elisabeth Schwarzkopf, Elisabeth Grümmer, Erna Berger (sopranos),
Anton Dermota (tenor)
Vienna State Opera Chorus
Vienna Philharmonic Orchestra
Wilhelm Furtwängler
Orfeo d'Or C624 043D
(1953)

Charles Gounod
Faust.
Jan Peerce (tenor), Victoria de los Angeles (soprano), Cesare
Siepi, Lawrence Davidson (baixos), Robert Merrill (barítono),
Mildred Miller, Thelma Votipka (meios-sopranos)
Orchestra & Chorus of the Metropolitan Opera House, New York
Pierre Monteux
Andromeda ANDRCD 5037
(1955)

Wolfgang Amadeus Mozart
Don Giovanni.
Cesare Siepi (baixo), Sena Jurinac, Leyla Gencer, Mirella
Freni (sopranos), Richard Lewis (tenor), Geraint Evans, Robert
Savoie, David Ward (baixos)
Royal Opera House Chorus
Royal Opera House Orchestra
Georg Solti
Royal Opera House Heritage Series ROHS007
(1962)


Internet

Cesare Siepi
Classical Archives / Naxos / NationMaster.com / Wikipedia

07/02/2009

CDs #195: Jascha Heifetz, violin virtuoso

Parece que, aí pela década de 1870, alguns dos mais reputados compositores franceses apanharam uma espécie de "febre espanhola", desatando a escrever obras onde a influência musical dos nossos vizinhos ibéricos era mais ou menos evidente. Georges Bizet (1838-1875), por exemplo, entreteve-se com a sua Carmen, uma ópera plena de paisagens de Espanha, país, contudo, onde nunca esteve; e Édouard Lalo (1823-1892), pois claro, com a sua igualmente celebérrima Sinfonia espanhola. Lalo, reconheça-se, tinha uma boa desculpa, pelo facto do dedicatário da obra, o violinista Pablo de Sarasate (1844-1908), ser espanhol...

A estreia da Sinfonia espanhola teve lugar em Paris no dia 7 de Fevereiro de 1875, passam hoje 134 anos, naturalmente com Pablo de Sarasate ao violino e com uma extraordinária recepção por parte do público. O violinista lituano Jascha Heifetz (1901-1987) gravou-a pela primeira vez em Outubro de 1919; voltou a fazê-lo em 1951, que é a gravação que aparece neste disco, apesar de coxa do 3º andamento. Parece que Heifetz embirrou com ele, evitando-o igualmente quando tocava esta obra em público!

Não foi o único, deve dizer-se. A Sinfonia espanhola nasceu sem esse 3º andamento, e foi essa a versão que Pablo de Sarasate tocou na estreia. O intermezzo apenas foi adicionado posteriormente, só que, durante bastantes anos, não foram poucos os violinistas que optaram por ignorá-lo, lista em que se incluiu Jascha Heifetz.




Jascha Heifetz
violin virtuoso
including Gershwin medley, Deep River, Threepenny Opera,
Jamaican Rumba, Korngold Concerto, Symphonie Espagnole.
Jascha Heifetz (violino), Emanuel Bay, Milton Kaye (pianos)
Los Angeles Philharmonic Orchestra, Alfred Wallenstein
RCA Victor Symphony Orchestra, William Steinberg
Regis Records RRC 1296
(1944, 1951)


Internet

Édouard Lalo
Naxos / 8notes.com / Classical Net / Answers.com / Karadar Classical Music / NationMaster.com / Wikipedia

Jascha Heifetz
Official Web Site / Jascha Heifetz Society / Classical Notes / Legendary Violinists / The Violin Site / Answers.com / Wikipedia

04/02/2009

Maestros #44: Erich Leinsdorf (1912-1993)

Para entrar no Festival de Salzburgo, Erich Leinsdorf, em 1933, teve que prestar provas perante os gigantes Bruno Walter (1876-1962) e Arturo Toscanini (1867-1957), ali reunidos e posteriormente separados por efeitos do nazismo. O Anschluss, em Março de 1938, poria fim à aventura de Walter em Salzburgo, o mesmo tendo sucedido, aliás, com Toscanini.

Voltando a Leinsdorf: a prova de que tinha qualidades para a regência está no facto de, na sequência da tal audição, ter sido de imediato aceite no Festival de Salzburgo, como maestro assistente de Toscanini. Mas não ficou por lá muitos anos; depois da estreia no Met de Nova Iorque, em Janeiro de 1938, mudar-se-ia para aquela cidade no ano seguinte, e acabaria por assentar arraiais nos Estados Unidos durante cerca de duas décadas e meia.

Um pouco à imagem do sucedido com Bruno Walter, curiosamente, que também aterraria naquele país e por lá ficaria, no caso dele a título definitivo. Ambos optariam posteriormente pela cidadania americana, só que, neste particular, Leinsdorf ganhou aos pontos: obteve-a em 1942, enquanto com Walter tal só aconteceria em 1946...

Erich Leinsdorf nasceu em Viena97 anos, no dia 4 de Fevereiro de 1912.


CDs





Metropolitan Opera Historic Broadcasts
The First Texaco Season 1940-41 Highlights
Metropolitan Opera Chorus
Metropolitan Opera Orchestra
Erich Leinsdorf, Bruno Walter
Metropolitan Opera MET24

Christoph Gluck
Orfeo ed Euridice.
Kerstin Thorborg (meio-soprano), Jarmila Novotna, Marita
Farell, Annamary Dickey (sopranos)
Metropolitan Opera Chorus
Metropolitan Opera Orchestra
Erich Leinsdorf
Guild GHCD2317/8
(1940)

Sergei Prokofiev
Romeo and Juliet - excerpts. Lieutenant Kijé Suite, Op.60.
Boston Symphony Orchestra
Erich Leinsdorf
Testament SBT1394
(1967, 1968)

Sergei Prokofiev
Symphony No.2 in D minor, Op.40.
Symphony No.6 in E flat minor, Op.111.
Boston Symphony Orchestra
Erich Leinsdorf
Testament SBT1395

Sergei Prokofiev
Symphony No.3 in C minor, Op.44.
Symphony No.5 in B flat major, Op.100.
Boston Symphony Orchestra
Erich Leinsdorf
Testament SBT1396

Ignacy Jan Paderewski
Piano Concerto, Op.17. Polish Fantasy, Op.19. Thème varié, Op.16 No.3.
Franz Xaver Scharwenka
Piano Concerto No.1, Op.32. Polish Dance, Op.3 No.1.
Earl Wild (piano)
Boston Symphony Orchestra
London Symphony Orchestra
Erich Leinsdorf, Arthur Fiedler
Ivory Classics IC77003
(1969, 1970)

Johannes Brahms
Piano Concerto No.2 in B flat, Op.83.
Ludwig van Beethoven
Piano Concerto No.1 in C, Op.15. Piano Sonatas - No.12 in A flat,
'Funeral March', Op.26; No.22 in F, Op.54; No.23 in F minor, Op.57.
Sviatoslav Richter (piano)
Boston Symphony Orchestra
Chicago Symphony Orchestra
Charles Munch, Erich Leinsdorf
RCA Red Seal 74321 84605-2
(1960)

Richard Wagner
Wesendonck-Lieder. Siegfried - Act III, scene 3.
Eileen Farrell (soprano), Set Svanholm (tenor)
Rochester Philharmonic Orchestra
Leopold Stokowski, Erich Leinsdorf
Testament SBT1415


Internet

Erich Leinsdorf
Sony BMG / Classical Music CD / Classical Archives / NationMaster.com / Wikipedia