31/10/2009

Concertos para Piano #11: Concerto para Piano Nº5, de Sergei Prokofiev

O russo Sergei Prokofiev (1891-1953) compôs 5 concertos para piano, dos quais apenas um, o quarto, não foi estreado em vida do compositor. Por culpa do já nosso conhecido pianista Paul Wittgenstein (1887-1961), que começou por encomendar a obra e se recusou posteriormente a tocá-la, certamente desagradado com o rumo que ela levou. O que é certo é que Prokofiev não fez qualquer menção de a apresentar publicamente, e faleceu antes que ela tivesse sido estreada.

No mesmo ano em que se deu este incidente, 1931, Prokofiev iniciou a composição daquele que viria a ser o seu e último Concerto para Piano. Pode-se afirmar, por um lado, que teve mais sucesso do que no anterior, pois conseguiu estreá-lo ainda vivo, mas, por outro lado, a indiferença mais ou menos generalizada com que foi recebido não lhe deu grandes motivos para satisfações.

O concerto de estreia, em Berlim, no dia 31 de Outubro de 1932, passam hoje 77 anos, foi um desfile de pesos-pesados: contou com o próprio compositor ao piano, com o maestro Wilhelm Furtwängler (1886-1954) à frente da orquestra e ainda com o violista (e compositor) Paul Hindemith (1895-1963) na outra obra que fez parte do programa, Harold in Italy, de Hector Berlioz (1803-1869).


CD



Sergei Prokofiev
Piano Concertos - No.1, Op.10; No.2, Op.16; No.3, Op.26;
No.4, Op.53 (for the left hand); No.5, Op.55.
Horacio Gutiérrez, Boris Berman (pianos)
Royal Concertgebouw Orchestra
Neeme Järvi
Chandos CHAN10522X
(1989, 1990)


SACD



Maurice Ravel
Piano Concerto in G major.
Sergei Prokofiev
Piano Concerto No.5 in G major, Op.55.
Francesco Schlimé
Three Improvisations.
Francesco Tristano Schlimé (piano)
Russian National Orchestra
Mikhail Pletnev
Pentatone PTC5186 080


Internet



Sergei Prokofiev
The Prokofiev Page / Naxos / Classical Net / Classical Music Pages / Answers.com / Wikipedia

28/10/2009

Obras Orquestrais #21: Eine Alpensinfonie, de Richard Strauss

Nos últimos 15 anos do século XIX o compositor alemão Richard Strauss (1864-1949) compôs um importante conjunto de poemas sinfónicos, um género a que Franz Liszt (1811-1886) já tinha dado uma particular atenção, mas que Strauss ajudou imenso a popularizar. A entrada no século XX, contudo, marcou o início da fase operática deste compositor que, num espaço de tempo relativamente curto, produziu 3 importantes óperas: Salome, estreada em Dezembro de 1905, Elektra, com libreto de Hugo von Hofmannsthal (1874-1929) e estreada em Janeiro de 1909; e Der Rosenkavalier, estreada 2 anos depois.

O aproximar da 1ª Guerra Mundial terá contribuído para um decréscimo da procura de novas óperas, pelo que Strauss regressou às obras sinfónicas, mais de uma dezena de anos depois da sua última incursão nessa área. Mas, verdade seja dita, foi um regresso aos soluços; é que Strauss começou a compôr a Sinfonia Alpina em 1911, para logo depois a abandonar para dedicar-se a outras obras (as óperas Ariadne auf Naxos e Die Frau ohne Schatten, e o bailado Josephs Legende). Regressaria à sinfonia apenas em 1915, tendo-a terminado nos inícios de Fevereiro desse ano.

Relata, musicalmente, uma jornada de um dia nos Alpes bávaros, com a subida e a descida de uma montanha, caminhada que ele próprio tinha efectuado ainda jovem. Apesar de tal não ter ficado assim tão evidente na versão final da sinfonia, Strauss inspirou-se de novo no pensamento do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (1844-1900), no ideal da procura de atingir os objectivos através do esforço pessoal e não com base na fé religiosa. Está visto que Strauss não tinha ficado escaldado com os mal-entendidos anteriores...

A Sinfonia Alpina foi estreada há 94 anos, no dia 28 de Outubro de 1915, com o próprio compositor a dirigir a orquestra.


CDs




Richard Strauss
Don Juan, Op.20. Ein Alpensinfonie, Op.64.
San Francisco Symphony Orchestra
Herbert Blomstedt
Decca Ovation 466 423-2

Richard Strauss
Eine Alpensinfonie, Op.64. Der Rosenkavalier - Suite for Orchestra.
Vienna Philharmonic Orchestra
Christian Thielemann
Deutsche Grammophon 469 519-2

Richard Strauss
Also sprach Zarathustra, Op.30. Don Juan, Op.20. Eine
Alpensinfonie, Op.64. Till Eulenspiegels lustige
Streiche, Op.28. Vier letzte Lieder.
Anna Tomowa-Sintow (soprano)
Berlin Philharmonic Orchestra
Herbert von Karajan
Deutsche Grammophon 474 281-2

Richard Strauss
Eine Alpensinfonie, Op.64.
Gustav Mahler Jugendorchester
Franz Welser-Most
EMI 3 34569-2
(2005)

Richard Strauss
Eine Alpensinfonie, Op.64.
Weimar Staatskapelle
Antoni Wit
Naxos 8.557811
(2005)

Richard Strauss
Eine Alpensinfonie, Op.64.
Royal Concertgebouw Orchestra
Bernard Haitink
Philips 416 156-2
(1985)


Internet



Richard Strauss
Richard Strauss online / Opera Glass / Classical Music Pages / Classical Music Archives / Boosey & Hawkes / Classical Net / Naxos / The Works of Richard Strauss / Wikipedia

24/10/2009

Concertos #76

Não íamos à Casa da Música desde Março deste ano, aquando da apresentação do violoncelista brasileiro António Meneses (1957-).

Hoje voltámos lá, não para assistir a qualquer concerto, mas para devolver os bilhetes e receber os euros de volta. É que já é a segunda vez que, por motivos de saúde, o grande barítono alemão Matthias Goerne (1967-) cancela a sua vinda ao Porto. A primeira vez que tal aconteceu foi em Janeiro do ano passado; na altura engolimos o sapo e, pese o desapontamento, lá fomos assistir ao concerto, com o barítono Stephan Lodges no lugar de Goerne. Desta vez nem quisemos saber quem era o substituto.

É que se a Casa da Música não tem culpa dos (cada vez mais) frequentes problemas de saúde de Matthias Goerne (faringites), contribuiu decisivamente, com a degradação acentuada da programação verificada nos últimos anos, para que as nossas visitas se tornassem muito mais espaçadas no tempo.


22/10/2009

CDs #213: Liszt, Symphonic Poems, Vol.3

Em 1849 o compositor Franz Liszt (1811-1886) esteve envolvido na organização do Festival Goethe, em Weimar, para celebrar o centenário do nascimento de Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832). O escritor alemão nasceu em Frankfurt, mas viria a falecer em Março de 1832 em Weimar, cidade para onde se tinha mudado em 1775. No ano seguinte seria a vez do pensador, igualmente alemão, Johann Gottfried Herder (1744-1803), mudar-se para essa cidade, nomeado pastor-chefe do clero luterano pelo grão-duque Karl August (1757-1828), graças a uma cunha de... Goethe, com quem tinha travado pela primeira vez conhecimento no início da década de 1770.

Em Agosto de 1850, na passagem do 106º aniversário do nascimento de Herder, a cidade de Weimar inaugurou uma estátua para mostrar o apreço que por ele nutria. Mais uma vez Liszt achou por bem não ficar de fora e, inspirado em Der entfesselte Prometheus compôs uma obra para coro e orquestra, cuja abertura viria a ser a base para o poema sinfónico Prometheus.

Liszt viveu em Weimar entre 1848 e 1861, e esse foi o período mais prolífico da sua vida, tendo composto, nomeadamente, 12 poemas sinfónicos, termo que ele cunhou para designar obras orquestrais "programáticas" de um só movimento, inspiradas noutras formas artísticas como a literatura ou a pintura. Este disco contém ainda outros 3 poemas sinfónicos: Mazeppa, inspirado numa obra de Victor Hugo (1802-1885) e estreado no dia 16 de Abril de 1854; Festklänge, estreado também em Weimar no dia 9 de Novembro de 1854; e Héroïde funèbre, inspirado na turbulência política que a Europa atravessou entre 1849 e 1850, e estreado no dia 10 de Novembro de 1857.

Franz Liszt nasceu há 198 anos, no dia 22 de Outubro de 1811.




Franz Liszt
Symphonic Poems, Vol.3.
Mazeppa, S100. Héroïde funèbre, S102.
Prometheus, S99. Festklänge, S101.
BBC Philharmonic Orchestra
Gianandrea Noseda
Chandos CHAN10417
(2006)


Internet



Franz Liszt
Classical Music Pages / Naxos / The Franz Liszt Site / Franz Liszt Project / Classical Music Archives / Essentials of Music / Wikipedia / Karadar Classical Music / 8notes

19/10/2009

Compositores #101: Geirr Tveitt (1908-1981)

Voltamos à Noruega, depois da incursão que lá fizemos há algum tempo a propósito de um concerto a que assistimos na Casa da Música, com o violoncelista Truls Mørk (1961-) e o pianista Håvard Gimse (1966-). Fazê-mo-lo para assinalar a pssagem de mais um aniversário do nascimento do compositor Geirr Tveitt, um dos mais marcantes do seu país, principalmente durante a primeira metade do século XX, mas também um dos mais polémicos.

Ao contrário de vários outros que por aqui já passaram, Tveitt não começou tão cedo quanto isso a dedicar-se à música, e já tinha 20 anos quando foi para Leipzig para estudar composição e piano. Passaria depois algum tempo em Paris, nos anos 30, onde teve como professores alguns já nossos velhos conhecidos: Nadia Boulanger (1887-1979), pois claro, e ainda Arthur Honegger (1892-1955) e Heitor Villa-Lobos (1887-1959). Não demoraria muito para que Tveitt fosse o principal rosto da música contemporânea norueguesa, além de ter uma bem sucedida carreira como pianista. Deu sempre uma relevância particular ao tom nacionalista, fazendo uso frequente das inúmeras melodias populares norueguesas que foi recolhendo ao longo da vida.

O cenário mudou após o final da 2ª Grande Guerra, e a música de Tveitt saiu de moda, havendo uma desconfiança generalizada em relação a tudo o que transpirasse a nacionalismo. A sua ligação ao filósofo Hans S. Jacobsen também não ajudou muito: Jacobsen, e por tabela Tveitt, refutava em absoluto o cristianismo, mas foi a sua posterior adesão à Assembleia Nacional, um partido de ideologia pró-nazi, que fez com que o caldo se entornasse. Tanto quanto se sabe Tveitt, apesar de alinhado por tais ideais, nunca foi membro da referida Assembleia Nacional; para os seus compatriotas, contudo, isso era apenas um pequeno detalhe, e daí até o votarem ao ostracismo foi um pequeno passo.

Geirr Tveitt nasceu há 101 anos, no dia 19 de Outubro de 1908.


CDs



Geirr Tveitt
A Hundred Hardanger Tunes, Op.151 - Suite No.1;
Suite No.4, "Wedding Suite".
Royal Scottish National Orchestra
Bjarte Engeset
Naxos 8.555078

Geirr Tveitt
A Hundred Hardanger Tunes, Op.151 - Suite No.2, "Fifteen Mountain Songs";
Suite No.5, "Troll-tunes".
Royal Scottish National Orchestra
Bjarte Engeset
Naxos 8.555770

Geirr Tveitt
Piano Concerto No.4, "Aurora Borealis", Op.130.
Variations on a Folksong from Hardanger.
Håvard Gimse, Gunilla Süssmann (pianos)
Royal Scottish National Orchestra
Bjarte Engeset
Naxos 8.555761


Internet



Geirr Tveitt
NationMaster.com / Naxos / Wikipedia / Answers.com / Norway - The Official Site in Japan / Music Information Centre Norway

17/10/2009

Barítonos #2: Rolando Panerai (1924-)

O barítono italiano Rolando Panerai é mais um caso extraordinário de longevidade artística, tendo-se estreado em 1947, na ópera Moisés no Egipto de Gioacchino Rossini (1792-1868) e há relativamente pouco tempo, em 2006, subiu ao palco em Florença para interpretar Gianni Schicchi, na ópera homónima do igualmente italiano Giacomo Puccini (1858-1924). Na altura Panerai tinha 82 anos, e não foi a última vez que cantou em público...

Pelo meio, Panerai apareceu nas mais importantes salas e participou em vários festivais, como os de Aix-en-Provence e de Salzburgo, e especializou-se em vários papéis, principalmente em óperas de Giuseppe Verdi (1813-1901) e Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791). Participou na estreia em solo italiano da ópera Mathis der Maler do compositor alemão Paul Hindemith (1895-1963), e apareceu ao lado, por exemplo, de intérpretes do calibre de Carlo Bergonzi (1924-), Maria Callas (1923-1977), Elisabeth Schwarzkopf (1915-2006), Renata Scotto (1934-) e Giuseppe di Stefano (1921-2008). Como cartão de visita, será porventura suficiente para despertar curiosidades...

Rolando Panerai celebra hoje o seu 85º aniversário.


CDs




Giacomo Puccini
Madama Butterfly.
Renata Scotto (soprano), Rolando Panerai (barítono), Carlo Bergonzi,
Piero de Palma (tenores), Anna di Stasio (meio-soprano), Paolo Montarsolo,
Mario Rinaudo (baixos), Giuseppe Morresi (baixo-barítono)
Rome Opera Chorus
Rome Opera Orchestra
John Barbirolli
EMI GROC 5 67885-2
(1966)

Giuseppe Verdi
Falstaff (2 gravações).
Mariano Stabile, Tito Gobbi, Piero Biasini, Rolando Panerai (barítonos),
Franca Somigli, Elisabeth Schwarzkopf, A. Oltrabella, Anna Moffo (sopranos),
Dino Borgioli, Luigi Alva, Alfredo Tedeschi, T. Spataro, Giuseppe
Nessi (tenores), Virgilio Lazzari (baixo), Mita Vasari (meio-soprano)
Vienna State Opera Chorus
Vienna State Opera Orchestra
Arturo Toscanini, Herbert von Karajan
Andante AN3080
(1937, 1957)

Giuseppe Verdi
Falstaff.
Tito Gobbi, Rolando Panerai (barítonos), Elisabeth Schwarzkopf, Anna
Moffo (sopranos), Luigi Alva (tenor), Giulietta Simionato, Anna Maria
Cannali (meios-sopranos)
Vienna Philharmonic Orchestra
Herbert von Karajan
Walhall WLCD0212
(1957)

Rolando Panerai
Wolfgang Amadeus Mozart
Così fan tutte - Non siate ritrosi; Donne mie la fate a tanti.
Vincenzo Bellini
I Puritani - Or dove dfuggo io mai?... Ah! per sempre io ti… Bel sogno beato.
Gioacchino Rossini
Il barbieri di Siviglia - Largo al factotum della città.
Rolando Panerai (barítono), Leopold Simoneau (tenor), Mattiwilda Dobbs,
Margherita Carosio (sopranos)
Philharmonia Orchestra, Herbert von Karajan, Alceo Galliera
Chorus and Orchestra of La Scala, Tullio Serafin, Nino Sanzogno
Nimbus Prima Voce NI7949
(1953, 1954)


DVD



Giacomo Puccini
La bohème.
Mirella Freni, Adriane Martino (sopranos), Gianni Raimondi, Franco
Ricciardi (tenoress), Rolando Panerai, Gianni Maffeo (barítonos),
Ivo Vinco, Carlo Badioli, Giuseppe Morresi, Carlo Forti (baixos)
Chorus and Orchestra of La Scala, Milan
Herbert von Karajan
Deutsche Grammophon 073 4071


Internet



Rolando Panerai
Rolando Panerai / Naxos / Answers.com / allmusic / Wikipedia

14/10/2009

Compositores #100: Kaija Saariaho (1952-)

Não há muitos compositores contemporâneos que se possam gabar de ter um grande reconhecimento internacional, recebendo encomendas de organizações e intérpretes importantes e vendo as suas obras serem regularmente interpretadas um pouco por todo o lado.

A finlandesa Kaija Saariaho é um desses casos de sucesso pois, além de cumprir os critérios anteriormente referidos, tem recebido vários e significativos prémios, como o Kranichsteiner (1986), o Prix Italia (1988), o Ars Electronica (1989), o German Kaske (2001) e, ainda, o prémio Rolf Schock (2001).

Razões mais do que suficientes, portanto, para trazer aqui esta compositora. O que, além do mais, nos permite permite beneficiar de uma lufada de ar fresco, pois não é todos os dias que por aqui passam compositores ainda vivos. Já houve quem, num passado não muito distante, tivesse insinuado ser o desNorte uma espécie de blogue de Agramonte o que, convenhamos, não sendo grave, também não é propriamente algo de muito agradável.

Uma das ligações que incluo no final deste texto aponta para o blogue do nosso amigo P. Q. P. Bach que, conforme poderão verificar, ficou bem impressionado com um disco (que aparece igualmente na minha "short list") com obras desta compositora. Ficou especialmente impressionado com uma das obras lá incluídas, interpretada pelo soprano Karita Mattila (1960-); e aí limitou-se a ouvir esta finlandesa de eleição, caso estivesse igualmente a observá-la, como no vídeo que se segue, e os encómios seriam ainda mais superlativos... Razão tem um outro nosso amigo, um conhecido transeunte.

Kaija Saariaho celebra hoje o seu 57º aniversário.


CDs



Kaija Saariaho
Notes on Light. Orion. Mirage.
Karita Mattila (soprano), Anssi Karttunen (violoncelo)
Orchestre de Paris
Christoph Eschenbach
Ondine ODE1130-2

Gustav Holst
The Planets, Op.32.
Colin Matthews
Pluto, The Renewer.
Kaija Saariaho
Asteroid 4179: Toutatis.
Matthias Pintscher
towards Osiris.
Mark-Anthony Turnage
Ceres.
Brett Dean
Komarov's Fall.
Women's Voices of the Rundfunkchor Berlin
Berliner Philharmoniker
Simon Rattle
EMI Classics 3 69690-2
(2006)


DVD



Kaija Saariaho
L'amour de loin.
Gerald Finley (barítono), Dawn Upshaw (soprano),
Monica Groop (meio-soprano)
Finnish National Opera Chorus
Finnish National Opera Orchestra
Esa-Pekka Salonen
Deutsche Grammophon 073 4026
(2004)


Internet



Kaija Saariaho
Chester Novello / Kaija Saariaho / ANDaNTE / P. Q. P. Bach / Answers.com / Classical Archives / London Sinfonietta / Wikipedia

11/10/2009

Notícias #25

Há uns dias atrás a revista Gramophone divulgou a lista daqueles que considerou serem os melhores discos de 2009, a saber:









Barroca Instrumental
----------------------------------------
Henri Purcell
The Complete Fantazias
Fretwork
Harmonia Mundi HMU907502

Barroca Vocal
----------------------------------------
Georg Friedrich Händel
Coronation Anthems
The Sixteen
Harry Christophers
Coro COR16066

Coral
----------------------------------------
Edward Elgar
The Dream of Gerontius.
Alice Coote (meio-soprano), Paul Groves (tenor),
Bryn Terfel (baixo-barítono)
Hallé Choir
Hallé Youth Choir
Hallé Orchestra
Mark Elder
Hallé CDHLD7520

Concerto
----------------------------------------
Benjamin Britten
Piano Concerto in D major, Op.13. Young Apollo, Op.16.
Diversions, Op.21.
Steven Osborne (piano)
BBC Scottish Symphony Orchestra
Ilan Volkov
Hyperion CDA67625

Contemporânea
----------------------------------------
The NMC Songbook
NMC NMCD150

DVD
----------------------------------------
Richard Wagner
The Copenhagen Ring
Das Rheingold. Die Walküre. Siegfried. Götterdämmerung.
Royal Danish Opera
Michael Schønwandt
Decca 074 3264

Música Antiga
----------------------------------------
Song of Songs.
Palestrina, Gombert, Lassus, Victoria
Stile Antico
Harmonia Mundi HMU807489

Gravação Histórica
----------------------------------------
Hector Berlioz
Les Troyens.
Blanche Thebom (meio-soprano), Jon Vickers (tenor),
Amy Shuard (soprano)
Covent Garden Opera Chorus & Orchestra
Rafael Kubelik
Testament SBT4 1443

Reedição Histórica
----------------------------------------
Composers in Person
Bartók, Stravinsky, Elgar, Britten, Shostakovich, Hindemith,
Khachaturian, Honegger, Poulenc, Widor, Vierne, Messiaen,
Prokofiev, Glazunov, Villa-Lobos, Pfitzner, Milhaud, Shostakovich,
Strauss, Granados, de Falla, Mompou, Nín, Holst, Lehár, Medtner,
Roussel, Schmitt
EMI 2 17575-2

Instrumental
----------------------------------------
Claude Debussy
Complete Works for Piano, Vol.4.
Jean-Efflam Bavouzet (piano)
Chandos CHAN10497


Ópera
----------------------------------------
Giacomo Puccini
Madama Butterfly.
Angela Gheorghiu (soprano), Jonas Kaufmann (tenor), Enkeledja
Shkosa (meio-soprano), Fabio Capitunacci (barítono)
Accademia Nazionale di Santa Cecilia Chorus & Orchestra
Antonio Pappano
EMI 2 64187-2

Orquestral
----------------------------------------
Piotr Ilyich Tchaikovsky
Manfred Symphony, Op.58. Voyevoda, Op.78.
Royal Liverpool Philharmonic Orchestra
Vasily Petrenko
Naxos 8.570568


Recital
----------------------------------------
Bohuslav Martinu
Juliette (fragments).
Magdalena Kozená (meio-soprano)
Czech Philharmonic Orchestra
Charles Mackerras
Supraphon SU3994-2

Solo Vocal
----------------------------------------
Robert Schumann
Dichterliebe & other Heine Settings.
Gerald Finley (barítono), Julius Drake (piano)
Hyperion CDA67676

DISCO DO ANO
Música de Câmara
----------------------------------------
Claude Debussy
String Quartet in G minor, Op.10.
Gabriel Fauré
String Quartet in E minor, Op.121.
Maurice Ravel
String Quartet in F major.
Quatuor Ebène
Virgin Classics 5 19045-2

09/10/2009

Notícias #24

Sem necessidade de sair de casa, recebi dois lápis e uns panfletos da CDU, e 3 bolsas, 5 canetas e uma luva de cozinha do PSD, para além da inevitável papelada. Estou tentado a admitir que o programa do PSD seja o melhor para a minha freguesia, pois claro. Acho que o PS aqui não tem hipóteses; não só não me presenteou com o que quer que fosse, como ainda vai chegar ao fim do mandato sem ter mandado alcatroar a minha rua.

07/10/2009

Pianistas #33: Shura Cherkassky (1909-1995)

A Revolução Russa de 1917 teve um primeiro episódio em Março de que resultou o fim do regime dos Czares, a que se seguiu nova revolução, em Novembro do mesmo ano, liderada por Vladimir Lenine (1870-1924) e que deu origem ao regime comunista e à criação da União Soviética. Seguir-se-iam vários anos de instabilidade, marcados fortemente pela guerra civil, entre 1917 e 1923, com a perda de milhões de vidas e a fuga de muitos para as conseguirem manter.

Em 1923 os pais do pianista Shura Cherkassky mudaram-se com o filho para os Estados Unidos, e não tardaria muito para que este entrasse para o Curtis Institute of Music, fundado por essa altura, em 1924, por Mary Louise Curtis Bok (1876-1970). Para um dos seus primeiros concertos Cherkassky contou com a presença de um maestro já famoso por estas bandas, Walter Damrosch (1862-1950), o tal que esteve envolvido na decisão de construir o Carnegie Hall.

Não haverá muito a dizer sobre a carreira de Cherkassky até à 2ª Guerra Mundial; tudo mudaria, contudo, após o fim desta e a mudança do pianista para Londres, assunto que abordarei em próxima oportunidade, quando regressar a este "pianista do romântico".

Shura Cherkassky nasceu há 100 anos, no dia 7 de Outubro de 1909.


CDs






Great Pianists of the 20th Century - Shura Cherkassky, Vol.1.
Shura Cherkassky (piano)
Berlin Philharmonic Orchestra
London Philharmonic Orchestra
Richard Kraus, Adrian Boult
Philips 456 745-2

Frédéric Chopin
Nocturnes. Ballades Nos.3 & 4. Waltzes, Opp.18 & 64/2.
Scherzos Nos.2 & 4. Étude, Op.10/3.
Shura Cherkassky (piano)
BBC Legends BBCL4057-2

Shura Cherkassky: The Historic 1940s Recordings.
Johannes Brahms
Sonata for Piano, Op.5 No.3.
Cécile Chaminade
Pièces humoristiques, 'Autrefois', Op.87 No.4.
Frédéric Chopin
Etudes, Op.10 - No.4 in C sharp minor; No.12 in C minor.
Fantaisie in F minor, Op.49. Fantaisie-impromptu in
C sharp minor, Op.66.
Shura Cherkassky (piano)
Ivory Classics IC72003

Piotr Ilyich Tchaikovsky
Piano Concerto No.1.
Modest Mussorgsky
Pictures at an Exhibition.
Shura Cherkassky
Prélude Pathétique.
Nikolai Rimsky-Korsakov
Flight of the bumble-bee.
Shura Cherkassky (piano)
London Symphony Orchestra
Georg Solti
BBC Legends BBCL4160-2
(1968, 1982)

Jean-Philippe Rameau
Gavotte and Variations.
Joseph Haydn
Sonata for Keyboard No.53, HobXVI/34.
Paul Hindemith
Piano Sonata No.3 in B flat major.
Frédéric Chopin
Ballade No.3 in A flat major, Op.47. Mazurkas - No.38, Op.59 No.3;
No.42, Op.67 No.1. Nocturne No.14 in F sharp minor, Op.48 No.2.
Shura Cherkassky (piano)
Wigmore Hall Live WHLIVE0014
(1993)

Johannes Brahms
Paganini Variations, Op.35.
Frédéric Chopin
Polonaise, Op.44. Ballade, Op.52. Scherzo, Op.54.
Franz Liszt
Réminiscences de Don Juan, S418.
Felix Mendelssohn
Capriccio, Op.16, 2.
Shura Cherkassky (piano)
Orfeo C720 071B
(1951, 1953)

Felix Mendelssohn
Andante and Rondo capriccioso, Op.14.
Franz Schubert
Piano Sonata No.20, D959.
Robert Schumann
Carnaval, Op.9. Der Kontrabandiste, Op.74 No.10 (arr. Tausig).
Piotr Ilyich Tchaikovsky
Cradle Songs, Op.16 No.1 (arr. Rachmaninov).
Shura Cherkassky (piano)
BBC Legends BBCL4254-2
(1970)

Shura Cherkassky - The Complete HMV Stereo Recordings
Shura Cherkassky (piano)
First Hand Records Remasters FHR04
(1956, 1958)

20 Great Pianists
Claudio Arrau, Simon Barere, Robert Casadesus, Shura Cherkassky,
Sviatoslav Richter, Alfred Cortot, Guiomar Novaes, Walter Gieseking,
Emil Gilels, Moura Lympany, Sergei Rachmaninov, Leopold Godowski,
Egon Petri, Myra Hess, Vladimir Horowitz, Wilhelm Kempff, Alicia de
Larrocha, Ignacy Jan Paderewski, Artur Rubinstein, Rudolf Serkin (pianos)
Living Era Classics AJC8563

Wolfgang Amadeus Mozart
Piano Sonatas - No.10 in C major, K330; No.12 in F major, K332;
No.11, K331; No.8in A minor, K310; No.14, K457. Variations, K398.
Clara Haskil, Glenn Gould, Shura Cherkassky, Wilhelm Backhaus,
Claudio Arrau, Emil Gilels, Clifford Curzon (pianos)
Orfeo C712 062I

A-Z of Pianists
Includes Vladimir Horowitz, Robert Casadesus, Ferruccio Busoni,
Sergei Rachmaninov, Clara Haskil, Claudio Arrau, Alfred Cortot,
Shura Cherkassky, Dinu Lipatti, Myra Hess, Josef Hofmann (pianos)
Naxos 8.558107-10


Internet



Shura Cherkassky
Bach Cantatas Website / Shura Cherkassky / Answers.com / Classical Archives / StateMaster / The New York Times / The Independent / Naxos / Wikipedia