29/06/2014

Compositores #112: Bernard Herrmann (1911-1975)

O compositor norte-americano Bernard Herrmann compôs as bandas sonoras de alguns dos mais relevantes realizadores e filmes da história do cinema. Foi notória, em particular, a sua ligação a Alfred Hitchcock (1899-1980), tendo musicado 7 dos seus filmes.

Psycho, de 1960, foi um desses filmes, que apareceu a meio da colaboração entre Hitchcock e Herrmann, que foi de 1955 (com o filme The Trouble with Harry) até 1964 (com o filme Marnie). Contém uma das mais famosas cenas de sempre, aquela em que Marion Crane (interpretada por Janet Leigh) é assassinada no chuveiro. Consta que não era intenção de Hitchcock que a cena fosse musicada, o que só viria a acontecer por insistência do compositor e para nossa sorte...

Bernard Herrmann nasceu há 103 anos, no dia 29 de Junho de 1911.


CD



Bernard Herrmann
Marnie - Theme; Hunting Theme. North by Northwest - Main Titles.
Psycho: Narrative for Orchestra. The Trouble with Harry.
Ernest Gold
Main Theme from - Exodus; It's a Mad, Mad, Mad, Mad World;
The Young Philadelphians; Judgement at Nuremberg; The Last Sunset.
London Festival Orchestra, Ernest Gold
London Philharmonic Orchestra, Bernard Herrmann
Dutton Vocalion CDLK4178
(1963, 1969)


Internet



Bernard Herrmann
The Bernard Herrmann Society / IMDb / Wikipedia

22/06/2014

Obras Orquestrais #25: Portsmouth Point, de William Walton

Thomas Rowlandson (1756-1827) foi um artista inglês que, por vocação e necessidade (£...) dedicou uma boa parte da sua vida a desenhar caricaturas. Muitíssimo prolífico, estima-se que tenha deixado mais de 10.000 obras, entre pinturas e desenhos, o que levou alguém a afirmar que o conjunto da sua obra daria provavelmente para forrar a grande muralha da China...

Este nosso amigo sofria de socialite incurável, derretendo rapidamente o dinheiro que ia recebendo; a sua única fonte de rendimento eram as pinturas, pelo que desenhava sem parar para conseguir levar a vidinha que tanto apreciava...

Uma das suas pinturas, Portsmouth Point, apresenta-nos o movimento no porto de Portsmouth no início do século XIX, e foi nela que o compositor inglês William Walton (1902-1983) se inspirou para escrever uma abertura para orquestra, a que convenientemente deu o nome de... Portsmouth Point.

 
A estreia ocorreu em Zurique 88 anos, no dia 22 de Junho de 1926.


CD



William Walton
"The Collector's Edition"
EMI Classics 3 40868-2


Internet



Thomas Rowlandson
The British Museum / art.com / Wikipedia

William Walton
The William Walton Trust / allmusic / Wikipedia

09/06/2014

Pianistas #38: Claudio Arrau (1903-1991)

O repertório do pianista chileno Claudio Arrau estendeu-se do barroco aos compositores contemporâneos (século XX...), mas hoje, dia em que passam 23 anos sobre o seu falecimento, vou trazer aqui as suas interpretações das obras de um único compositor, Franz Liszt (1811-1886)

Liszt, ele próprio um extraordinário pianista, deixou-nos uma vasta e importante obra para piano, tendo tido em Arrau um dos seus melhores intérpretes. A precocidade de Claudio Arrau é por demais conhecida, sabendo-se, por exemplo, que aos 11 anos já não tinha problemas em tocar os Estudos Transcendentais de Liszt, uma série de 12 composições para piano solo.

A longevidade de Arrau foi igualmente notável; vejam-se (e ouçam-se) os vídeos em anexo (e em vários outros disponíveis no YouTube) ao nível a que ele tocava quando a idade já rondava os 80 anos.


CDs


Franz Liszt
Piano Sonata in B minor, S178. Années de pèlerinage - Première année: Suisse - 'Vallée d'Obermann.
Two Concert Studies.
Claudio Arrau (piano)
Philips 50 Great Recordings 464 713-2

Ludwig van Beethoven
Piano Sonata No.23, "Appassionata", Op.57.
Franz Liszt
Piano Sonata in B minor, S178. Après une lecture du Dante, S161 No.7.
Claudio Arrau (piano)
Orfeo d'Or C611031B

Franz Liszt
Sonata, Dante Sonata, Piano Concertos
Rare Live and Historic Recordings
Claudio Arrau (piano)
Frankfurt Radio Symphony Orchestra, Hans Rosbaud
New York Philharmonic Symphony Orchestra, Dimitri Mitropoulos
Piano Classics PCLD0015


Internet



Claudio Arrau

01/06/2014

Maestros #61: Edo de Waart (1941-)

Bernard Haitink (1929-) foi o maestro principal da Royal Concertgebouw Orchestra durante mais de 20 anos, entre o início da década de 1960 e o final da de 1980. Foi quase logo no início desse reinado que Haitink teve como maestro assistente o igualmente holandês Edo de Waart que, desde então, e passando o exagero, já conheceu quase tantas orquestras como mulheres (vai no 6º casamento...), e em diversos continentes (refiro-me às orquestras...), com particular destaque para o americano, tendo sido, ou sendo ainda, o maestro principal de algumas das mais importante orquestras dos Estados Unidos:


No vídeo que abaixo incluo Edo de Waart, que hoje celebra o 73º aniversário, aparece a dirigir a Orquestra Filarmónica da Rádio da Holanda (que, curiosamente, tem na actualidade como patrono Bernard Haitink), numa obra, no caso o Concerto para Piano Nº2, de um dos compositores em que mais se tem distinguido, Johannes Brahms (1833-1897).


CDs



Michael Torke
Book of Proverbs. Four Proverbs.
Valdine Anderson, Catherine Bott (sopranos), Kurt Ollmann (barítono)
Netherlands Radio Philharmonic Orchestra Chorus
Netherlands Radio Philharmonic Orchestra
Edo de Waart
Decca 466 721-2
(1993, 1996)

Johannes Brahms
Piano Concerto No.1 in D minor, Op.15. Piano Pieces - Op.117; Op.118; Op.119.
Piano Sonata No.3 in F minor, Op.5. Two Rhapsodies, Op.79. Theme and Variations.
Radu Lupu (piano)
London Philharmonic Orchestra
Edo de Waart
Decca 475 7070


Internet



Edo de Waart
Milwaukee Symphony Orchestra / allmusic / Urban Milwaukee / Wikipedia