27/07/2014

Tenores #11: Carlo Bergonzi (1924-2014)

Carlo Bergonzi foi o primeiro tenor que por aqui passou, em Julho de 2005; regressaria exactamente 4 anos depois, a propósito de um disco com árias de óperas de Giuseppe Verdi (1813-1901) e Giacomo Puccini (1858-1924).

Carlo Bergonzi foi um extraordinário intérprete, tendo-se distinguido particularmente em Verdi; foi com obras deste compositor, aliás, que se estreou em vários locais: Londres, Nova Iorque, Chicago, Filadélfia ou São Francisco.

Bergonzi faleceu anteontem, em Milão, e a melhor maneira de o recordar e homenagear é ouvindo-o precisamente a cantar Verdi.


Internet



Carlo Bergonzi
Carlo Bergonzi / The Guardian / The New York Times




14/07/2014

Maestros #62: Lorin Maazel (1930-2014)

Faleceu ontem Lorin Maazel, um dos mais reputados maestros das últimas décadas.

O seu reconhecimento mais generalizado terá vindo dos vários Concertos de Ano Novo em que dirigiu a Orquestra Filarmónica de Viena. Há outras façanhas suas, contudo, que, na minha modesta opinião, são bem mais significativas: por exemplo, o facto de ter sido o primeiro norte-americano (e, além do mais, judeu) a dirigir em Bayreuth, isto no já longínquo ano de 1960 - um feito extraordinário!

E que melhor homenagem, então, do que recordar algumas das suas interpretações de Richard Wagner (1813-1883)?


Internet



Lorin Maazel
The Official Web Site / Euronews

07/07/2014

CDs #236: Bruno Walter, The Vienna Farewell Concert

O maestro de origem alemã Bruno Walter (1876-1962), nascido Bruno Schlesinger em Setembro de 1876, já por aqui passou mais do que uma vez (por exemplo aqui: 1, 2), em textos onde dei particular realce ao início da sua carreira, que ficou obviamente marcado pela estreita colaboração com o compositor Gustav Mahler (1860-1911). Depois de ter dirigido o seu concerto de estreia em 1894, em Colónia, e de ter passado por várias orquestras, a vida de Walter, durante a 1ª década do século XX, centrou-se em Viena, onde reencontrou Mahler, de quem já tinha sido maestro assistente em Hamburgo.

Bruno Walter manter-se-ia em Viena até 1912, e teve a oportunidade de dirigir a Orquestra Filarmónica dessa cidade várias vezes, nomeadamente a 26 de Junho desse ano, quando estreou (postumamente) a Sinfonia Nº9 de Mahler. 1933 marcaria o regresso de Bruno Walter a Viena, depois de se ter visto impedido de reger na Alemanha pelo regime nazi. Walter trabalharia como maestro convidado da Ópera de Estado de Viena e como director musical da Orquestra Filarmónica de Viena. Não seria uma estadia muito prolongada, contudo, dado que apenas 5 anos depois o Anschluss forçá-lo-ia a procurar novo poiso. Que seria primeiro a França e pouco depois, em 1939, de novo e de forma definitiva, os Estados Unidos.

Uma vez terminada a guerra Walter regressou várias vezes à Europa, para dar concertos em diversas cidades, Viena incluída. Em 1957, contudo, viu-se forçado a abrandar o ritmo, depois de ter sofrido um ataque cardíaco. Em Maio de 1960 dirigiu pela última vez a Orquestra Filarmónica de Viena, num concerto com um enorme simbolismo: além de marcar o seu adeus definitivo àquela cidade, nele voltou a dirigir uma sinfonia de Mahler, na ocasião no âmbito de um festival concebido para assinalar o centenário do nascimento do grande compositor.

Este último concerto de Walter em Viena teve lugar no dia 29 de Maio de 1960; Gustav Mahler nasceu cerca de 100 anos antes, no dia 7 de Julho de 1860, passam hoje 154 anos.




Bruno Walter
The Vienna Farewell Concert.
Franz Schubert
Symphony No.8 in B, "Unfinished".
Gustav Mahler
Symphony No.4 in G. Three Lieder.
Elisabeth Schwarzkopf (sop)
Vienna Philharmonic Orchestra
Bruno Walter
Music and Arts CD-4705(2)


Internet



Bruno Walter
Bach Cantatas Website / Recorded Performances of Bruno Walter / Wikipedia