16/04/2017

Obras Orquestras #33: Lichens, de Iannis Xenakis

Iannis Xenakis (1922-2001) cedo começou a utilizar nas suas composições os vastos conhecimentos matemáticos que possuía, baseando muitas das suas obras em programas informáticos e equações matemáticas por ele desenvolvidos. Não será, portanto, de admirar, que vários distintos nomes da música o tenham rejeitado como aluno, numa altura em que ele já vivia em Paris: Nadia Boulanger (1887-1979), primeiro, Arthur Honegger (1892-1955) e Olivier Messiaen (1908-1992), depois. Este último, sabedor do curriculum do candidato a aluno, depois de salientar a idade de Xenakis (na altura com quase 30 anos) e a sorte que este tinha em ser grego, arquitecto e ter estudado matemática, aconselhou-o a tirar o melhor partido de tudo isso nas suas obras musicais e... despachou-o...

Xenakis deixou-nos um significativo conjunto de obras instrumentais, de música de câmara, orquestrais e "avant-garde". Lichens, de 1983, é uma obra orquestral para 96 músicos, com uma duração aproximada de 16 minutos, e que foi estreada pela Orquestra Filarmónica de Liège, dirigida por Pierre Bartholomée (1937-), no dia 16 de Abril de 1984, passam hoje 33 anos.


CD



Iannis Xenakis
Jonchaies. Shaar. Lichens. Antikhthon.
Luxembourg Philharmonic Orchestra
Arturo Tamayo
Timpani 1C1062


Internet



Iannis Xenakis
Iannis Xenakis / the guardian / Wikipedia

Sem comentários:

Enviar um comentário