29/10/2017

Guitarristas #3: Roland Dyens (1955-2016)

Apesar de ter nascido na Tunísia, o guitarrista, compositor e arranjador Roland Dyens viveu quase sempre em Paris, cidade onde também foi professor no respetivo Conservatório. Falecido (precocemente) faz hoje um ano, nunca foi aquilo a que se pode chamar um guitarrista clássico convencional, como bem atestam as suas sessões de improvisação e as frequentes incursões nos domínios do jazz.

Robert Bouchet (1898-1986) foi um pintor com um gosto especial por tocar guitarra e, terá porventura pensado, por que não construir as suas próprias guitarras? Como este não era o seu principal negócio, poucas guitarras construiu, apenas um total de 156, e menos vendeu, dado ter ficado com uma boa parte delas. A guitarra que Roland Dyens toca em todos os vídeos abaixo incluídos é uma das feitas por Bouchet, mas não é uma qualquer: foi a segunda que fez e a primeira que vendeu.


CD



Joaquin Rodrigo
Concierto de Aranjuez.
Roland Dyens
Concerto Métis. Tango en skaï.
Roland Dyens (guitarra)
Serenata Orchestra
Alexandre Siranossian
L'Empreinte Digitale ED13191


Internet



Roland Dyens
Roland Dyens / Classical Guitar / Wikipedia

22/10/2017

Compositores #128: Louis Spohr (1784-1859)

Louis Spohr foi um compositor contemporâneo do seu compatriota alemão Ludwig van Beethoven (1770-1827), e chegaram mesmo a tocar juntos em casa de Beethoven, quando este dava os últimos retoques no seu Trio para Piano, Op.70 No.1, constando que Spohr não terá ficado demasiadamente deslumbrado com essa obra...

Compositor prolífico, com perto de 300 obras conhecidas das quais cerca de 150 com número opus, foi para o violino, o seu instrumento de formação, que mais compôs, destacando-se os 18 concertos que escreveu para esse instrumento. Compôs também 4 concertos para clarinete, um instrumento para onde temos estado virados nos últimos tempos e que hoje aqui regressa. O primeiro desses foi escrito no Outono de 1808 e estreado no dia 16 de Junho do ano seguinte, com o compositor a dirigir a orquestra e com Johann Simon Hermstedt (1778-1846) no clarinete. Hermstedt que foi o dedicatário de todos os concertos para clarinete de Spohr.

Note-se, por curiosidade que, num vídeo exibido mais abaixo onde concerto é interpretado pelo clarinetista Aron Chiesa, a Orquestra Filarmónica de Bruxelas é dirigida pelo clarinetista e maestro português António Saiote (1960-)

Louis Spohr faleceu no dia 22 de Outubro de 1859, passam hoje 158 anos.


CD



'Louis Spohr: The Forgotten Master'.
Louis Spohr
Clarinet Concertos - No.1 in C minor, Op.26; No.2 in E flat major, Op.57;
No.3 in F minor, WoO19; No.4 in E minor, WoO20.
Paul Meyer (clarinete)
Lausanne Chamber Orchestra
Paul Meyer
Alpha ALPHA605
(2012)


Internet




Louis Spohr
allmusic / naxos / Wikipedia

15/10/2017

Quartetos de Cordas #15: Quarteto de Cordas Nº3, de Conlon Nancarrow

Um dos grandes objectivos daqueles que são atualmente responsáveis (?!) pelos destinos dos Estados Unidos consiste em construir um muro na fronteira entre aquele país e o México, que impeça os mexicanos de a atravessarem ilegalmente na procura de uma vida melhor. Não sei se com tal obra se procura obter igualmente o efeito inverso, impedindo os americanos de se mudarem para o vizinho do sul. Se calhar nunca tal lhes passou pela cabeça, que alguém algum dia se lembrasse de trocar os Estados Unidos pelo México, mas foi isso precisamente o que fez o compositor Conlon Nancarrow (1912-1997). Fê-lo há muito tempo, em 1940, e por razões bastante particulares, relacionadas com a sua filiação partidária e a participação na Guerra Civil espanhola, mas fê-lo, ao ponto de ter inclusivamente assumido a cidadania mexicana em 1956.

A obra de Nancarrow que aqui trago hoje, o seu Quarteto de Cordas Nº3, é uma obra tardia, escrita em 1987 e estreada no dia 15 de Outubro do ano seguinte, passam hoje, portanto, 29 anos.


CD



Conlon Nancarrow
String Quartets - No.1; No.3, 'Canon 3/4/5/6'. Studies for Player Piano - No.15 (arr. Mikhasoff);
No.31 (arr. Usher); No.33; No.34.
Conlon Nancarrow (piano)
Arditti Quartet
Wergo WER6696-2


Internet



Conlon Nancarrow
Conlon Nancarrow / Conlon Nancarrow / Wikipedia

07/10/2017

Trompetistas #1: Alison Balsom (1978-)

Só nos inícios do século XIX é que o trompete ganhou válvulas e, com elas, a possibilidade de produzir uma gama mais alargada de sons. Tal não era possível com o seu antecessor, o trompete natural, que, por via disso, ficou quase sempre limitado a um papel de suporte na orquestra. Por volta de 1795 um trompetista da Corte de Viena, Anton Weidinger (1767-1852) introduziu algumas melhorias no trompete natural que, se não foram suficientes para que este chegasse aos calcanhares do trompete de válvulas, pelo menos chegaram para convencer o compositor austríaco Joseph Haydn (1732-1809) a aceitar escrever um concerto para esse instrumento.

Composto em 1796, Weidinger iria estreá-lo apenas em 1800, no dia 22 de Março. Apesar de hoje em dia ser, possivelmente, o concerto mais popular de Haydn, só em 1929, mais de 100 anos depois da estreia, é que viria a ser novamente tocado... Um dos seus mais destacados intérpretes da atualidade é a inglesa Alison Balsom, que hoje festeja o seu 39º aniversário, e de que deixo mais abaixo uma gravação vídeo efetuada durante os Concertos Promenade de 2009.


CD



Joseph Haydn
Trumpet Concerto in E flat major, HobVIIe/1.
Johann Nepomuk Hummel
Trumpet Concerto in E flat major, S49/WoO1.
Johann Neruda
Trumpet Concerto in E flat major.
Giuseppe Torelli
Trumpet Concerto in D major, 'Estienne Roger'.
Alison Balsom (trompete)
Deutsche Kammerphilharmonie, Bremen
Alison Balsom
EMI 2 16213-0


Internet



Alison Balsom
Official Website / Warner Classics / Wikipedia

01/10/2017

Música de Câmara #1: Chamber Concerto, de György Ligeti

Friedrich Cerha (1926-) nasceu em Viena, Áustria, e lá efectuou também os estudos musicais, na Academia de Música e na Universidade. Além da sua (principal) actividade de compositor, Cerha destacou-se na interpretação de obras de outros compositores intimamente ligados a Viena: Alban Berg (1885-1935), Arnold Schoenberg (1874-1951) e Anton Webern (1883-1945), os elementos mais destacados da Segunda Escola de Viena.

O compositor György Ligeti nasceu na Roménia em Maio de 1923, tendo vivido na Hungria desde o final da 2ª Guerra Mundial até 1956, ano em que a revolução que teve lugar naquele país fez com que Ligeti se tivesse mudado para Viena. Foi neste cidade que, liberto das rédeas curtas impostas pelo regime comunista húngaro, começou a compor obras mais arrojadas, que o tornariam num dos compositores avant-garde mais relevantes na segunda metade do século XX.

No dia 1 de Outubro de 1970, passam hoje 47 anos, Friedrich Cerha dirigiu em Berlim o grupo Die Reihe na estreia do Concerto de Câmara de György Ligeti.


CD



György Ligeti
'Clear or Cloudy - Complete Recordings on Deutsche Grammophon'.
Various artists, including
Wiener Biäsersolisten, LaSalle Quartet, Wiener Philharmoniker, Claudio Abbado,
London Sinfonietta, Ensemble Intercontemporain, Pierre Boulez
Deutsche Grammophon 477 6443


Internet



György Ligeti
The Guardian / allmusic / Wikipedia