12/05/2019

Grupos #1: The Sixteen

The Sixteen é um grupo inglês, constituído por um coro e uma orquestra, formado em 1979 pelo maestro, também inglês, Harry Christophers (1953-), grupo este que se foi afirmando como um dos melhores em atividade, e que hoje está de parabéns, pois celebra o seu 40º aniversário.

Ao longo destes anos o grupo tem gravado imensos discos, com obras que vão do período Tudor (finais do século XV até ao início do século XVII, em Inglaterra e na Escócia) até à atualidade, tendo já interpretado e mesmo estreado muitas obras de compositores contemporâneos. Hoje, e para não gastar o tema de uma só vez, vamos espreitar para ver o que andaram a fazer com George Frideric Handel (1685-1759)...


CDs



George Frideric Handel
Messiah
Carolyn Sampson (soprano), Catherine Wyn-Rogers (meio-soprano),
Mark Padmore (tenor), Christopher Purves (baixo)
The Sixteen
Harry Christophers
Coro COR16062

George Frideric Handel
Coronation Anthems
My heart is inditing, HWV261. Zadok the Priest, HWV258.
The King shall rejoice, HWV260.
The Sixteen
Harry Christophers
Coro COR16066

George Frideric Handel
Saul
Elizabeth Atherton, Joélle Harvey (sopranos), Sarah Connolly (meio-soprano),
Jeremy Budd, Mark Dobell, Robert Murray, Tom Raskin (tenoress),
B. Davies, E. Dougan, C. Purves, S. Young (baixos)
The Sixteen
Harry Christophers
Coro COR16103


YouTube




The Sixteen
The Sixteen / BBC Music / Wikipedia

05/05/2019

Pianistas #62: Cyprien Katsaris (1951-)

Pianista que brilha a interpretar as obras do compositor húngaro Franz Liszt (1811-1886) só pode ser um grande pianista, e é exatamente esse o caso do cipriota (nascido em França) Cyprien Katsaris, que hoje celebra o seu 68º aniversário.

Dá a ideia, aliás, que Katsaris estava condenado a entender-se com Liszt: uma professora sua no Conservatório de Paris, Monique de la Bruchollerie (1915-1972), tinha sido aluna de Emil von Sauer (1862-1942) que, por sua vez, tinha sido aluno de Liszt; e na primeira vez que pisou um palco em público, em Paris no dia 8 de Maio de 1966, tocou a Rapsódia Húngara de... Liszt. Katsaris foi ainda o primeira pianista a gravar a integral das transcrições para piano de todas as sinfonias de Ludwig van Beethoven (1770-1827), transcrições essas efetuadas por... pois, nem é preciso dizer...


CD



'Katsaris plays Liszt, Vol.1'
Franz Liszt
Hungarian Rhapsodies, S244 - No.2; No.3; No.5; No.7. Fünf Klavierstück, S192.
Piano Concerto No.2 in A major, S125. Elegies - No.1; No.2.
Trauer-Vorspiel und Trauermarsch, S206. La lugubre Gondola - I, S200 No.1;
II, S200 No.2. Piano Sonata in B minor, S178.
Cyprien Katsaris (piano)
Deutsches Symphony Orchestra
Arild Remmereit
Piano21 P21 041N


YouTube




Cyprien Katsaris
Official Website / bachtrack / Wikipedia

28/04/2019

Violoncelistas #21: János Starker (1924-2013)

Robert Schumann (1810-1856) compôs o seu único concerto para violoncelo em Outubro de 1850, pouco depois de se ter mudado para Dusseldorf, para onde foi como maestro principal da orquestra dessa cidade e onde foi pouco feliz, dada a sua manifesta inabilidade para a função.

O concerto foi apenas estreado em 1860, 4 anos após a morte do compositor, e a prova de que demorou a pegar está no facto de que só passados cerca de 7 anos é que voltou a ser tocado em público. Entretanto o cenário mudou radicalmente, tendo sido tocado por alguns dos maiores violoncelistas e havendo excelentes gravações disponíveis no mercado.

Um deles foi o violoncelista de origem húngara János Starker, que por aqui passou em Julho de 2005, aquando do seu 81º aniversário, e que faleceu há precisamente 6 anos, no dia 28 de Abril de 2013.


CD



Robert Schumann
Concerto for Cello and Orchestra in A minor, Op.129.
Paul Hindemith
Concerto for Cello and Orchestra.
János Starker (violoncelo)
Bamberg Symphony Orchestra
Dennis Russell Davies
RCA Victor Red Seal 09026 68027-2


YouTube




János Starker
A Conversation with Bruce Duffie / The New York Times / Wikipedia

21/04/2019

Sonatas para Piano #6: Sonata para Piano Nº9, de Sergei Prokofiev

Sergei Prokofiev (1891-1953) compôs entre 1946 e 1947 aquela que seria a sua e última sonata para piano. Seria também, aliás, a sua última obra para piano solo. Não surpreendentemente, a obra foi dedicada a Sviatoslav Richter (1915-1997), que a estreou, em Moscovo, a 21 de Abril de 1951, passam hoje 67 anos.

Uma parceria a todos os títulos notável, esta entre Prokofiev, um dos grandes compositores do século XX, e o seu compatriota soviético Sviatoslav Richter, um dos maiores pianistas de todos os tempos.


CD



Sergei Prokofiev
Piano Sonatas - No.2 in D minor, Op.14; No.6 in A major, Op.82;
No.9 in C major, Op.103.
Sviatoslav Richter (piano)
Praga PR50015


YouTube




Sergei Prokofiev
Classid fM / last.fm / Wikipedia

14/04/2019

Sopranos #29: Barbara Bonney (1956-)


A soprano lírica Barbara Bonney, a par com a carreira operática, tem dado sempre grande importância aos recitais, tendo chegado até a suspender por uns tempos a participação em óperas para a eles poder dedicar mais tempo.

Norte-americana de nascença, há já alguns anos que assentou arraiais na Europa, vivendo nos arredores de Estocolmo. Nos intervalos entre as deslocações aos mais diversos palcos, bem entendido... Pois há quase duas dezenas de anos Bonney lançou um disco com canções de compositores nórdicos, na excelente companhia do pianista (e maestro) Antonio Pappano (1959-).

Ficamos pois com este disco, no dia em que a soprano festeja o seu 63º aniversário.


CD



Diamonds in the Snow
Edvard Grieg
12 Melodies, Op.33 - No.2, Spring. Heart's melodies, Op.5 - No.3, I love thee.
Peer Gynt, Op.23 - No.18, Solveig's Song. Six Songs, Op.48.
6 Songs, Op.25 - No.2, A swan. No.4, With a waterlily. The princess, EG133.
6 Romances, Op.39 - No.1, From Monte Pincio.
Jean Sibelius
6 Songs, Op.36 - No.4, Sigh, sedges, sigh. No.6, The diamond on the March snow.
7 Songs, Op.17 - No.4, Astray. 5 Songs, Op.37 - No.4, Was it a dream?;
No.5, Maiden's tryst.
Karl Stenhammar
4 Swedish Songs, Op.16 - No.4, Fylgia. 5 Songs of Bo Bergman, Op.20 - No.5, Adagio.
I skogen. Ur Idyll och epigram av J. L. Runeberg, Op.4b - No.1, Flickan kom ifran sin.
One Folk, Op.22 - No.2, Sverige.
Hugo Alfvén
Saa tag mit hjerte, R203. The forest is asleep.
Carl Sjöberg
Tonerna.
Barbara Bonney (soprano), Antonio Pappano (piano)
Decca 466 762-2


YouTube




Barbara Bonney
A Conversation with Bruce Duffie / AllMusic / Wikipedia

06/04/2019

Compositores #138: Julian Anderson (1967-)

O compositor e maestro escocês Oliver Knussen (1952-2018), falecido em Julho do ano passado, colaborou regularmente com o inglês Julian Anderson, além de ter sido um dos mais empenhados divulgadores da música deste compositor.

Não é assim de estranhar que a primeira obra orquestral de Anderson, Diptych, composta entre 1989 e 1990, tenha contado na estreia com Oliver Knussen que, na ocasião, dirigiu a Orquestra Sinfónica da BBC. O concerto teve lugar em Londres, no Barbican Hall, no dia 22 de Abril de 1995.

Julian Anderson celebra hoje o seu 52º aniversário.


CD



Julian Anderson
Alhambra Fantasy. Khorovod. The Stations of the Sun.
The Crazed Moon. Diptych.
London Sinfonietta
BBC Symphony Orchestra
Oliver Knussen
Ondine ODE1012-2


YouTube




Julian Anderson
Faber Music / Wikipedia

30/03/2019

Pianistas #61: Margaret Fingerhut (1955-)


Além de ter sido responsável pelas estreias de várias obras de compositores contemporâneos, a pianista britânica Margaret Fingerhut tem, ao longo da sua carreira, dedicado uma atenção especial aos compositores britânicos, como Edgar Bainton (1880-1956), Arnold Bax (1883-1953), Lennox Berkeley (1903-1989), Herbert Howells (1892-1983), Kenneth Leighton (1929-1988), Ernest Moeran (1894-1950) e Charles Stanford (1852-1924),

Não se deu propriamente mal com nenhum destes compositores, mas as suas gravações das obras de Bax foram especialmente bem sucedidas e muito bem recebidas pela crítica da especialidade. E é pois com Fingerhut e Bax que ficamos, neste dia em que a pianista celebra o seu 64º aniversário.


CD



Arnold Bax
Octet. String Quintet. Concerto. Threnody and Scherzo. In Memoriam.
Margaret Fingerhut (piano)
Academy of St. Martin-in-the Fields Chamber Ensemble
Chandos CHAN9602
(1997)


YouTube




Margaret Fingerhut
Margaret Fingerhut / The Cross-Eyed Pianist / Wikipedia

23/03/2019

Compositores #137: Michael Nyman (1944-)

O compositor inglês Michael Nyman escreveu a banda sonora de vários filmes do realizador Peter Greenaway (1942-), a saber: The Draughtsman's Contract (1982), A Zed and Two Noughts (1985), Drowning by Numbers (1988), The Cook, the Thief, His Wife and Her Lover (1989) e Propero's Books (1991).

Há quase 5 anos falei aqui da história d'O Cozinheiro, o Ladrão, a Sua Mulher e o Amante Dela, aquando do 72º aniversário de Greenaway. Hoje, dia em que Michael Nyman celebra o seu 75º aniversário, chega a vez de aqui trazer The Draughtsman's Contract, que marca a primeira colaboração entre estes dois britânicos.

O enredo do filme, não surpreendentemente, envolve esposas insatisfeitas, artistas por satisfazer, ligações perigosas e assassínios. Para a banda sonora, Nyman usou como ponto de partida obras do também compositor inglês Henry Purcell (1659-1695).


CD



Michael Nyman
An Eye for a Difference
The Draughtsman's Contract - An Eye for Optical Theory; Queen of the Night.
La Traversée de Paris. And Do They Do. The Piano. Plotting For the Shopkeeper.
Carrington.
London Saxophonic
Tring International TRING007


YouTube




Michael Nyman
Michael Nyman / IMDb / Wikipedia

16/03/2019

Maestros #83: Václav Talich (1883-1961)

Só nos fica bem, neste dia em que passam 58 anos sobre o seu falecimento, recordarmos aqui o grande maestro, violinista e pedagogo checo Václav Talich. Destacamos, em particular, a sua atividade como maestro e os largos anos que passou à frente da Orquestra Filarmónica Checa, entre 1919 e 1941.

Talich aproveitou essa passagem para promover incessantemente as obras dos compositores seus compatriotas, e não será descabido dizer que, se eles gozam hoje de um notável reconhecimento internacional, tal se deve em boa medida à ação deste maestro. Com ele, as obras de compositores checos como Antonín Dvorák (1841-1904), Leos Janácek (1854-1928), Bedrich Smetana (1824-1884) ou Josef Suk (1874-1935) ganharam novas vidas.


CD



'Great Conductors of the 20th Century - Vaclav Talich'
Georg Benda
Symphony for String Orchestra in B flat.
Antonín Dvorák
Symphony No.9 in E minor, 'From the New World'. The Water Goblin.
Leos Janácek
The Cunning Little Vixen - Suite (arr. Talich).
Wolfgang Amadeus Mozart
Symphony No.33 in B flat, K319.
Vitezslav Novák
Moravian-Slovak Suite: Amorous Couple, Op.32.
Bedrich Smetana
Prague Carnival - Introduction; Polonaise. Ma Vlast - Sarka.
Josef Suk
Serenade for String Orchestra, Op.6.
Piotr Ilyich Tchaikovsky
Suite No.4 in G, Op.61.
Czech Philharmonic Orchestra
Slovak Philharmonic Orchestra
Václav Talich
EMI 5 75483-2


YouTube




Václav Talich
Supraphon / AllMusic / Wikipedia

10/03/2019

Maestros #82: Michael Gielen (1927-2019)


O falecimento do compositor e maestro austríaco Michael Gielen, ocorrido anteontem, foi pouco ou nada noticiado, o que não deixa de ser surpreendente dada a relevância que teve, nomeadamente, na divulgação da música contemporânea. Em ternos de relevância, aliás, a sua faceta de maestro sobrepôs-se claramente à de compositor. Além dos compositores do século XX, como Iannis Xenakis (1922-2001), Béla Bartók (1881-1945), Kurt Weill (1900-1950) e Igor Stravinsky (1882-1971), Gielen destacou-se ainda na interpretação de um dos meus compositores de eleição, o seu compatriota Anton Bruckner (1824-1896).


CD



'Michael Gielen Edition, Vol.2'
Anton Bruckner
Symphonies - No.1 in C minor (Vienna version 1890/91); No.2 in C minor (1877 version);
No.3 in D minor (2nd version 1876/77); No.4 in E flat major (1st version 1874);
No.5 in B flat major (1878 original version); No.6 in A major (1881 original version);
No.7 in E major (1883 original version); No.8 in C minor (1st version 1887);
No.9 in D minor (1894 original version).
SWR Baden-Baden and Freiburg Symphony Orchestra
Saarbrucken Radio Symphony Orchestra
Michael Gielen
SWR Music SWR19014CD


YouTube




Michael Gielen
Gramophone / A Conversation with Bruce Duffie / Wikipedia

04/03/2019

Compositores #136: Peteris Plakidis (1947-2017)


A vida e obra do compositor letão Peteris Plakidis estão intimamente ligadas a Riga, capital da Letónia. Foi lá que nasceu, no dia 4 de Março de 1947, passam hoje 72 anos, e foi para a Orquestra Sinfónica Nacional da Letónia, baseada naquela cidade, que escreveu uma boa parte das suas obras. Pianista de créditos firmados, foi como compositor, contudo, que mais se salientou, tendo recebido vários e importantes prémios no seu país. Nunca chegou, todavia, a conseguir o mesmo nível de reconhecimento fora do seu país natal.


CD



Peteris Plakidis
Music for Piano, Strings and Timpani. Songs for Wind and Blood.
Concerto for Two Oboes and Strings. Concerto-Ballad.
Antra Bigaca (meio-soprano), Uldis Urbans, Vilnis Pelnens (oboés),
Andris Pauls, Dzintars Beitans (violinos), Peteris Plakidis (piano)
Riga Chamber Players
Normunds Sne
Toccata Classics TOCC0004
(1999)


YouTube




Peteris Plakidis
Musica Baltica / Wikipedia

24/02/2019

Obras Orquestrais #37: Chamber Symphony, de Thomas Adès

Nem sempre o resultado final é aquele que se imaginou quando se iniciou a criação de algo, e sabemos de vários casos, no que à composição musical diz respeito, em que tal se verificou. Um deles foi seguramente o da Sinfonia de Câmara do compositor inglês Thomas Adès (1971-) que, tal como o próprio explica na apresentação da obra, nasceu para ser um concerto para clarinete baixo, e acabou como sendo uma sinfonia para 15 instrumentos, embora com natural saliência para aquele instrumento.

A estreia teve lugar há 28 anos, no dia 24 de Fevereiro de 1991. Uma das gravações de referência desta obra é da responsabilidade do maestro também inglês Simon Rattle (1955-), a dirigir a Orquestra Sinfónica da Cidade de Brimingham. Um posto que lhe granjeou enorme prestígio e que lhe proporcionou o ter estado à frente da Orquestra Filarmónica de Berlim cerca de 20 anos, até Junho do ano passado.


CD



Thomas Adès
Asyla. …but all shall be well. Chamber Symphony, Op.2.
Concerto conciso. These Premises are Alarmed.
Thomas Adès (piano)
Birmingham Contemporary Music Group
City of Birmingham Symphony Orchestra
Simon Rattle, Thomas Adès
EMI 5 56818-2
(1998)


YouTube




Thomas Adès
Thomas Adès / Faber Music / Wikipedia

17/02/2019

Compositores #135: Oskar Merikanto (1868-1924)


Quando falamos de compositores finlandeses em geral, ou mesmo apenas dos do século XIX em particular, o nome de Oskar Merikanto dificilmente será dos primeiros a virem à baila. Claro que o facto de ter sido um exato contemporâneo de Jean Sibelius (1865-1957) não ajudou muito à sua causa... Não será obviamente o facto de aparecer aqui neste canto obscuro que o irá tirar das trevas, mas ninguém poderá afirmar que não tentei...

Oskar Merikanto faleceu há 95 anos, no dia 17 de Fevereiro de 1924.

Nota: Como, e muito bem, alguém escreveu nos comentários, os discos incluídos não se referem a Merikanto pai (Oskar), mas a Merikanto filho (AArre), ele também compositor. As obras do filho têm sido um pouco mais felizardas em disco, com interpretações de qualidade superior. Isso e a minha asneirada resultaram numa involuntária homenagem simultânea a pai e filho...


SACD



Oskar Merikanto
Symphonies - No.1 in B minor, Op.5; No.3.
Turku Philharmonic Orchestra
Petri Sakari
Alba ABCD336
(2010)


YouTube




Oskar Merikanto
AllMusic / Arkiv Music / Wikipedia

10/02/2019

Sopranos #28: Inga Nielsen (1946-2008)


Foi em 1971 que a soprano dinamarquesa Inga Nielsen fez a sua estreia profissional, mas foi nas décadas de 1970 e 1980 que mais sobressaiu, com presenças nalguns dos mais importantes palcos mundiais. Nos quais, tanto quanto sei, não se incluíram os portugueses; Inga Nielsen passou por Lisboa, poucos dias antes da sua morte, mas para participar num colóquio, aquando da estreia da ópera Das Märchen do compositor português Emmanuel Nunes (1941-2012).

Inga Nielsen faleceu há 11 anos, no dia 10 de Fevereiro de 2008.


CD



Inga Nielsen
Voices - Live and Studio Recordings 1952-2007
Chandos CHAN10444


YouTube



Inga Nielsen
Bach Cantatas Website / Oberon's Grove / Wikipedia

03/02/2019

CDs #240: Mendelssohn - Complete Organ Sonatas

Henry Cephas Lincoln foi um construtor de órgãos inglês que, após um período de aprendizagem na firma Flight and Robson, passou, aí por volta de 1810, a trabalhar na do pai, e foi também por isso que passou a vida a fabricar órgãos... Um deles, e porventura o mais emblemático que construiu, foi o órgão que ainda hoje se encontra na Ballroom do Palácio de Buckingham, aquele T775 que fica ali para os lados de Westminster.


O compositor alemão Felix Mendelssohn (1809-1847) visitou por 10 vezes a Grã-Bretanha, a primeira delas em 1829 e a última em 1847, o ano da sua morte. No decorrer dessas visitas Mendelssohn teve a oportunidade de tocar várias vezes no Palácio de Buckingham para a Rainha Vitória (1819-1901) e para o Príncipe Alberto (1819-1861), mas nunca no referido órgão, pois este, apesar de construído em 1818, só na década de 1850 foi transferido para aquele palácio.

Problema esse que não se colocou ao pianista inglês William Whitehead (1970-), que não desaproveitou a oportunidade para, em Abril de 2009, pôr as mãos nesse órgão e gravar este excelente disco que aqui trago hoje, dia em que passam 210 anos sobre o nascimento de Mendelssohn.




Felix Mendelssohn
Organ Sonatas, Op.65 - No.1 in F minor; No.2 in C minor; No.3 in A major;
No.4 in B flat major; No.5 in D major; No.6 in D minor.
William Whitehead (órgão)
Chandos CHAN10532
(2009)


YouTube



Felix Mendelssohn
Encyclopaedia Britannica / Casa da Música / Wikipedia

27/01/2019

Maestros #81: Erich Kleiber (1890-1956)


Na discografia, não muito longa, do maestro austríaco Erich Kleiber, há um compositor que rapidamente sobressai pelo número de (extraordinárias) gravações a que teve direito: Ludwig van Beethoven (1770-1827). E assim, 13 anos após a primeira aparição neste canto e no dia em que se assinalam os 63 anos do seu falecimento, voltamos a este maestro, pai do igualmente reputado maestro Carlos Kleiber (1930-2004).


CDs



Ludwig van Beethoven
Symphonies - No.3 in E flat, 'Eroica', Op.55; No.5 in C minor, Op.67.
Royal Concertgebouw Orchestra
Erich Kleiber
Decca Legends 467 125-2
(1953)

Great Conductors of the 20th Century: Erich Kleiber
Ludwig van Beethoven
Symphony No.6 in F, 'Pastoral', Op.68.
Antonín Dvorák
Carnival Overture, Op.92.
Wolfgang Amadeus Mozart
Symphony No.40 in G minor, K550.
Franz Schubert
Symphony No.5 in B flat, D485.
Richard Strauss
Till Eulenspiegels lustige Streiche, Op.28.
Josef Strauss
Sphärenklänge, Op.235.
Johann Strauss II
Der Zigeunerbaron - Overture. Du und Du, Op.367.
Czech Philharmonic Orchestra, Erich Kleiber
Sinfonieorchester des Norddeutschen Rundfunks, Erich Kleiber
London Philharmonic Orchestra, Erich Kleiber
Vienna Philharmonic Orchestra, Erich Kleiber
EMI GROC 5 75115-2
(1929, 1948, 1949, 1953, 1955)

Ludwig van Beethoven
Fidelio - Overture, Op.72b.
Franz Schubert
Symphony No.9, 'Great', D944.
Alban Berg
Three Scenes from Wozzeck.
Annelies Kupper (soprano)
Cologne Radio Symphony Orchestra
Erich Kleiber
Medici Masters MM027-2
(1953, 1956)


YouTube





Erich Kleiber
Bach Cantatas Website / AllMusic / Wikipedia

19/01/2019

Obras Vocais #19: The Bells, de Sergei Rachmaninov


The Bells é uma obra vocal, por vezes apresentada como sinfonia vocal, do compositor russo Sergei Rachmaninov (1873-1943), composta em 1913 e estreada em Moscovo no dia 8 de Fevereiro do ano seguinte com a direção do próprio Rachmaninov.


Na sua origem está o poema homónimo do escritor norte-americano Edgar Allan Poe (1809-1849), apenas publicado postumamente, e de que Rachmaninov recebeu em 1907 uma cópia da tradução russa. Está visto que o poema o interessou suficientemente...:

I

Hear the sledges with the bells -
Silver bells!
What a world of merriment their melody foretells!
How they tinkle, tinkle, tinkle,
In the icy air of night!
While the stars that oversprinkle
All the heavens seem to twinkle
With a crystalline delight;
Keeping time, time, time,
In a sort of Runic rhyme,
To the tintinnabulation that so musically wells
From the bells, bells, bells, bells,
Bells, bells, bells -
From the jingling and the tinkling of the bells.

II

Hear the mellow wedding bells -
Golden bells!
What a world of happiness their harmony foretells!
Through the balmy air of night
How they ring out their delight!
From the molten-golden notes,
And all in tune,
What a liquid ditty floats
To the turtle-dove that listens, while she gloats
On the moon!
Oh, from out the sounding cells
What a gush of euphony voluminously wells!
How it swells!
How it dwells
On the Future! -how it tells
Of the rapture that impels
To the swinging and the ringing
Of the bells, bells, bells,
Of the bells, bells, bells, bells,
Bells, bells, bells -
To the rhyming and the chiming of the bells!

III

Hear the loud alarum bells -
Brazen bells!
What a tale of terror, now, their turbulency tells!
In the startled ear of night
How they scream out their affright!
Too much horrified to speak,
They can only shriek, shriek,
Out of tune,
In a clamorous appealing to the mercy of the fire,
In a mad expostulation with the deaf and frantic fire,
Leaping higher, higher, higher,
With a desperate desire,
And a resolute endeavor
Now -now to sit or never,
By the side of the pale-faced moon.
Oh, the bells, bells, bells!
What a tale their terror tells
Of despair!
How they clang, and clash, and roar!
What a horror they outpour
On the bosom of the palpitating air!
Yet the ear it fully knows,
By the twanging
And the clanging,
How the danger ebbs and flows;
Yet the ear distinctly tells,
In the jangling
And the wrangling,
How the danger sinks and swells,
By the sinking or the swelling in the anger of the bells -
Of the bells,
Of the bells, bells, bells, bells,
Bells, bells, bells -
In the clamor and the clangor of the bells!

IV

Hear the tolling of the bells -
Iron bells!
What a world of solemn thought their monody compels!
In the silence of the night,
How we shiver with affright
At the melancholy menace of their tone!
For every sound that floats
From the rust within their throats
Is a groan.
And the people -ah, the people -
They that dwell up in the steeple,
All alone,
And who tolling, tolling, tolling,
In that muffled monotone,
Feel a glory in so rolling
On the human heart a stone -
They are neither man nor woman -
They are neither brute nor human -
They are Ghouls:
And their king it is who tolls;
And he rolls, rolls, rolls,
Rolls
A paean from the bells!
And his merry bosom swells
With the paean of the bells!
And he dances, and he yells;
Keeping time, time, time,
In a sort of Runic rhyme,
To the paean of the bells,
Of the bells -
Keeping time, time, time,
In a sort of Runic rhyme,
To the throbbing of the bells,
Of the bells, bells, bells -
To the sobbing of the bells;
Keeping time, time, time,
As he knells, knells, knells,
In a happy Runic rhyme,
To the rolling of the bells,
Of the bells, bells, bells -
To the tolling of the bells,
Of the bells, bells, bells, bells,
Bells, bells, bells -
To the moaning and the groaning of the bells.


Apropriadamente, uma das melhores interpretações desta obra de Rachmaninov é da responsabilidade do maestro inglês Simon Rattle (1955-). E porquê apropriadamente? É que este maestro celebra hoje o seu 64º aniversário, e Edgar Allan Poe nasceu igualmente num dia 19 de Janeiro, mas de 1809.


CD



Sergei Rachmaninov
The Bells, Op.35. Symphonic Dances, Op.45.
Luba Orgonásová (soprano), Dmytro Popov (tenor), Mikhail Petrenko (baixo)
Berlin Radio Chorus
Berlin Philharmonic Orchestra
Simon Rattle
Warner Classics 984519-2
(2010, 2012)


YouTube




Sergei Rachmaninov
Classic fM / AllMusic / Wikipedia

Edgar Allan Poe
Poetry Foundation / The Poe Museum / Wikipedia

Simon Rattle
The Guardian / Encyclopaedia Britannica / Wikipedia

12/01/2019

Meios-sopranos #9: Elena Obraztsova (1939-2015)


Na passagem do quarto aniversário do seu falecimento, recordamos a grande meio-soprano russa Elena Obraztsova. Foi das primeiras cantoras líricas russas a ganhar fama internacional, tendo passado pelos maiores palcos dos Estados Unidos e da Europa (incluindo o lisboeta, passando a imodéstia...). Teve ainda a oportunidade de amadrinhar (para sossegar as mentes mais inquietas refira-se que esta palavra existe mesmo...) a estreia em palco da soprano sua compatriota Anna Netrebko (1971-), no Met de Nova Iorque em 2002.


CD



Sergei Prokofiev
The Gambler
Sergei Alexashkin (baixo), Luba Kazarnovskaya (soprano), Vladimir Galuzin,
Nikolai Gassiev, Yuri Laptev (tenores), Elena Obraztsova (meio-soprano),
Valery Lebed, Andrei Khramstov (baixos)
Chorus of the Kirov Opera
Orchestra of the Kirov Opera
Valery Gergiev
Philips 454 559-2
(1996)


YouTube



Elena Obraztsova
Elena Obraztsova / Bach Cantatas Website / Wikipedia

05/01/2019

Pianistas #60: Medtner, Michelangeli, Brendel, Pollini



Não sei se haverá um dia mundial dos pianistas, penso que não, mas, a haver, deveria ser o dia 5 de Janeiro. Por alguma caprichosa conjugação dos astros, há um conjunto absolutamente ímpar de pianistas que nasceram neste dia:

+ Nikolai Medtner, compositor e pianista russo, nascido a 5 de Janeiro de 1880
+ Arturo Benedetti Michelangeli, pianista italiano nascido a 5 de Janeiro de 1920
+ Alfred Brendel, pianista austríaco nascido a 5 de Janeiro de 1931
+ Maurizio Pollini, pianista italiano nascido a 5 de Janeiro de 1942

E continuando com as curiosidades: Michelangeli faria hoje 99 anos, Brendel faz 88 anos e Pollini faz 77 anos...

YouTube




Nikolai Medtner
Nikolai Medtner / Boosey and Hawks / Wikipedia

Arturo Benedetti Michelangeli
Arturo Benedetti Michelangeli / Musicians Gallery / Wikipedia

Alfred Brendel
Alfred Brendel / The Guardian / Wikipedia

Maurizio Pollini
Deutsche Grammophon / The Guardian / Wikipedia