29/12/2019

Tenores #12: Peter Schreier (1935-2019)

O tenor (que começou como alto) Peter Schreier foi mais um dos vultos musicais a deixar-nos neste ano quase a findar. Estreou-se em palco em 1959, na ópera Fidelio de Ludwig van Beethoven (1770-1827) tendo, a partir do início da década de 1970, acumulado a carreira de tenor com a de maestro. Mas foi como tenor que deixou um registo mais significativo no mundo da música, com particular destaque para as suas interpretações dos mestres germânicos (Bach, Mozart, Wagner).

Facto menos referido, foi também um excelente intérprete das obras (canções) do compositor austríaco Hugo Wolf (1860-1903), e é precisamente com Schreier e Wolf que ficamos hoje. Uma pequena curiosidade: Peter Schreier participou durante 25 anos no Festival de Salzburgo, o mesmo festival que em 1881 tinha dado guia de marcha a Hugo Wolf por o achar temperamentalmente desadequado...

Peter Schreier faleceu no dia 25 de Dezembro de 2019.


CD



Hugo Wolf
Morike Lieder - Der Genesene an die Hoffnung; Ein Stundlein wohl vor Tag;
Der Tambour; Nimmersatte Liebe.
Peter Schreier (tenor), Karl Engel (piano)
Orfeo C142981A


YouTube




Peter Schreier
OperaWire / DW / BBC / Wikipedia

22/12/2019

Pianistas #66: Sergio Fiorentino (1927-1998)

William Barrington-Coupe (1931-2014), foi um produtor e empresário musical, criador da editora Concert Artist, a tal que lançou vários discos com gravações supostamente efetuadas pela sua esposa, a pianista Joyce Hatto (1928-2006) , que mais tarde se apurou pertencerem a outros 91 pianistas...

Como uma boa aldrabice nunca vem só, descobriu-se também entretanto que o pianista italiano Sergio Fiorentino, nascido passam hoje 92 anos, foi igualmente vítima de Barrington-Coupe. Análises levadas a cabo pelo Centre for the History and Analysis of Recorded Music (Universidade de Londres) permitiram concluir que as gravações de obras de Frédéric Chopin (1810-1849) constantes de um disco da Concert Artist (CD 9200-2) e atribuídas a Fiorentino tinham, na verdade, sido efetuadas para uma outra editora (Naive/Opus 111) pelo pianista polaco Janusz Olejniczak (1952-)

Como aqui pugnamos pelo princípio do seu a seu dono, ficamos com gravações autênticas de Fiorentino de obras para piano de Chopin...


CDs



Sergio Fiorentino. 'The Early Recordings, Volume 4'
Frédéric Chopin
Fantasia on Polish Airs, Op.13.
Franz Liszt
Piano Concerto No.2 in A, S125. Polonaise brillante Weber, S367.
Ab irato, S143. Hungarian Folksongs S245. Mephisto Waltz No.1 S514.
Sergio Fiorentino (piano)
Guildford Philharmonic Orchestra
Vernon Handley
APR APR5584
(1962, 1966)



Sergio Fiorentino - The Berlin Recordings
Frédéric Chopin
Piano Sonata No.3 in B minor, Op.58.
+ obras de Schumann, Schubert, Liszt, Franck, Scriabin, Rachmaninov,
Bach, Debussy, D. Scarlatti, Moszkowski e Fauré
Sergio Fiorentino (piano)
Piano Classics PCLM033
(1994-7)


YouTube



Sergio Fiorentino
Mazurka Project / Bach Cantatas Website / Sergio Fiorentino Memorial Site / Wikipedia

15/12/2019

Violoncelistas #22: Valentin Berlinsky (1925-2008)


O Quarteto Borodin passa por ser um dos mais antigos quartetos de cordas em atividade, tendo sido formado em 1945 com o nome de Quarteto do Conservatório de Moscovo, alterado em 1955 para a designação que dura até hoje.

O violoncelista original da formação foi o grande Mstislav Rostropovich (1927-2007) que, contudo, pouco tempo lá esteve, tendo sido substituído poucas semanas depois por Valentin Berlinsky. Berlinsky, de que se assinalam hoje os 11 anos passados sobre a sua morte, tocaria no Quarteto Borodin durante mais de 60 anos, entre 1945 e 2007, sendo mais um caso de extraordinária longevidade.


CD



Zara Dolukhanova
Lieder, Songs, Arias and Duets
Z. Dolukhanova (soprano/meio-soprano), I. Kozlovsky (tenor), A. Ivanov (barítono),
R. Dubinsky (violino), V. Berlinsky (violoncelo), A. Dolukhanian, B. Kozel,
G. B. Orentlikher, N. Svetlanova (piano)
Moscow Chamber Orchestra, Rudolf Barshai
Moscow Radio Symphony Orchestra, Aleksei Kovalyov
Guild Historical GHCD2281/4


YouTube




Valentin Berlinsky
The Telegraph / Wikipedia

08/12/2019

Compositores #143: Mieczyslaw Weinberg (1919-1996)

Weinberg nasceu há precisamente 100 anos, no dia 8 de Dezembro de 1919, na cidade polaca de Varsóvia, no seio de uma família judia. Tudo ingredientes para um início de vida complicado, e foi isso mesmo que este compositor teve, com a família a ser vitima de anti-semitismo e alguns dos seus membros a serem assassinados.

Formou-se no Conservatório de Varsóvia em 1939, por alturas do rebentar da 2ª Grande Guerra, motivo que o levou a mudar-se para a União Soviética, tendo passado a residir em Moscovo a partir de 1943, por insistência do seu amigo e grande compositor russo, Dmitri Shostakovich (1909-1975).

Do conjunto da sua obra fazem parte 22 sinfonias, de que apresento alguns discos com gravações que considero mais representativas. Em próxima oportunidade trarei à liça obras dos outros géneros a que se dedicou (orquestrais, instrumentais, de câmara, operáticas).


CD



Mieczyslaw Weinberg
Symphonies - No.14, Op.117; No.16, Op.131.
Polish National Radio Symphony Orchestra
Gabriel Chmura
Chandos CHAN10334
(2006)

SACD



Mieczyslaw Weinberg
The Golden Key, Op.55d - Suite No.4. Symphony No.3, Op.45.
Gothenburg Symphony Orchestra
Thord Svedlund
Chandos CHSA5089
(2010)


YouTube




Mieczyslaw Weinberg
Mieczyslaw Weinberg- The Composer and His Music / The OREL Foundation / Music and the Holocaust / Wikipedia

01/12/2019

Maestros #88: Mariss Jansons (1943-2019)


As más notícias no mundo musical sucedem-se, e agora somos surpreendidos com a notícia do falecimento do maestro letão Mariss Jansons, ocorrido ontem, aparentemente em São Petersburgo e relacionado com os problemas cardíacos de que padecia há já algum tempo.

Há menos de 2 anos celebrámos aqui o seu 75º aniversário, tendo salientado na altura a sua longa relação com a Orquestra Sinfónica da Rádio da Baviera, que hoje, naturalmente, dá grande destaque a este triste acontecimento.


CD



Piotr Ilyich Tchaikovsky
The Queen of Spades
M. Didyk, V. Zaplechny, M. Makarov (tenores), T. Serjan (soprano), L. Diadkova,
O. Volkova, O. Savova (meios-sopranos), A. Shishlyaev, A. Markov (barítonos),
T. Slawinski (bixo-barítono), A. Sivko (baixo)
Bavarian Radio Chorus
Bavarian Radio Symphony Orchestra
Mariss Jansons
BR-Klassik 900129
(2014)



Alexander Glazunov
Violin Concerto in A minor, Op.82.
Sergei Prokofiev
Violin Concerto No.2 in G minor, Op.63.
Piotr Ilyich Tchaikovsky
Souvenir d'un lieu cher, Op.42 - No.1, Méditation (orch. Glazunov).
Nikolaj Znaider (violino)
Bavarian Radio Symphony Orchestra
Mariss Jansons
RCA Red Seal 74321 87454-2



Bohuslav Martinu
Oboe Concerto, H353.
Bernd Alois Zimmermann
Oboe Concerto.
Richard Strauss
Oboe Concerto, AV144.
Stefan Schilli (oboé)
Bavarian Radio Symphony Orchestra
Mariss Jansons
Oehms OC737


YouTube




Mariss Jansons
SlippeDisc / The Classic Review / Wikipedia

23/11/2019

Quintetos com Piano #5: Quinteto para Piano e Cordas, Op.57, de Shostakovich

O Quarteto Beethoven, responsável pela estreia de grande parte dos Quartetos de Cordas do russo Dmitri Shostakovich (1906-1975), solicitou a este compositor que escrevesse um quinteto que todos (Quarteto Beethoven + Shostakovich ao piano) pudessem tocar em conjunto.

Shostakovich assim fez, tendo-o terminado em Setembro de 1940, com a estreia da obra a ter lugar no dia 23 de Novembro desse mesmo ano, passam hoje 79 anos, e com o elenco previsto...


CDs



Dmitri Shostakovich
Concerto for Piano, Trumpet and Strings, Op.35. Concertino, Op.94.
Piano Quintet, Op.57.
Martha Argerich, Lilya Zilberstein (pianos), Sergei Nakariakov (trompete), Renaud Capuçon,
Alissa Margulis (violinos), Lida Chen (viola), Mischa Maisky (violoncelo)
Orchestra della Svizzera Italiana
Alexander Vedernikov
EMI Classics 5 04504-2



Dmitri Shostakovich
Piano Quintet in G minor, Op.57. Piano Trio No.2 in E minor, Op.67.
Elisabeth Leonskaja (piano)
Borodin Quartet
Teldec 4509-98414-2



Dmitri Shostakovich
Piano Quintet in G minor, Op.57. String Quartet No.3 in F, Op.73.
Piotr Anderszewski (piano)
Belcea Quartet
Alpha ALPHA360
(2017)


YouTube




Dmitri Shostakovich
Bach Cantatas Website / Classic fM / Wikipedia

10/11/2019

Lugares #198: Barcelos

A página na internet da Câmara Municipal de Barcelos não dá grande relevo ao Paço dos Condes de Barcelos, pouco mais referindo que a data da sua construção e a da respetiva classificação como Monumento Nacional. Não refere, por exemplo, que, quando foi construído, na primeira metade do século XV, passou a ser a edificação mais rica de Barcelos. Três séculos passados e tinha já entrado em decadência, que o terramoto de 1755 se limitou a acelerar.



Não surpreendentemente, nos finais do século XIX os autarcas lá do sítio determinaram a demolição das poucas paredes que ainda restavam de pé, que só os protestos dos locais impediram.



Ao contrário do que aconteceu no Porto no século XX, por exemplo, em que se mandou abaixo um edifício extraordinário, o Palácio de Cristal, para lá se construir um mamarracho a que quiseram chamar Pavilhão dos Desportos. Mais de meio século depois e voltámos a ter tudo em alvoroço quanto ao nome a dar àquela coisa... Portuguesices...

03/11/2019

Violinistas #21: Hansheinz Schneeberger (1926-2019)


O violinista suíço Hansheinz Schneeberger foi mais um dos vários músicos de relevo a falecer nos últimos tempos, numa sucessão que parece não ter fim. Schneeberger, um músico de câmara por excelência acabou, curiosamente, por ser mais reconhecido pelas obras que estreou como solista: o Concerto para Violino do também suíço Frank Martin (1890-1974) e, principalmente, o Concerto para Violino Nº1 de Béla Bartók (1881-1945), este último no dia 30 de Maio de 1958, 50 anos após ter sido escrito e quase 13 anos depois da morte de Bartók...

Hansheinz Schneeberger nasceu a 16 de Outubro de 1926 e faleceu a 23 de Outubro de 2019.


YouTube


27/10/2019

Lugares #197: Rijksmuseum, Amesterdão



O Rijksmuseum é o museu nacional da Holanda, inicialmente localizado em Haia, onde foi fundado em 1800, e, desde 1885, em Amesterdão, onde o visitámos novamente no passado fim de semana. Do seu riquíssimo acervo destacam-se as obras de Rembrandt (1606-1669), Johannes Vermeer (1632-1675) e Frans Hals (c.1582-1666).



A única obra que atualmente não se consegue ver em condições, curiosamente, é precisamente a mais emblemática de todas, Night Watch, de Rembrandt. A ser submetido a um extenso processo de restauro, apropriadamente designado por Operação Night Watch, o quadro (que pesa 337Kg) foi mudado para a Galeria de Honra, sendo possível aos visitantes ver ao vivo o decorrer da intervenção, que incluirá 56 scans, cada um com uma duração de 24h, e 12.500 fotografias de alta resolução.




YouTube




13/10/2019

Sopranos #31: Jessye Norman (1945-2019)


Um dos compositores em que a extraordinária e multipremiada soprano norte-americana Jessye Norman brilhou a grande altura foi o alemão Richard Strauss (1864-1949). Não só nas óperas (Ariadne auf Naxos, Salome), como também nas Quatro Últimas Canções (Vier letzte Lieder), sendo que estas lhe valeram, em 1982, um prémio da prestigiada revista Gramophone.

Jessye Norman foi mais um dos grandes nomes da música a desaparecer nos últimos tempos, tendo falecido no passado dia 30 de Setembro.


CDs



Richard Strauss
Four Last Songs. Orchestral Songs. Songs with Piano.
Jessye Norman (soprano), Geoffrey Parsons (piano)
Leipzig Gewandhaus Orchestra
Kurt Masur
Philips 475 6377
(1982)



Richard Strauss
Ariadne auf Naxos
Julia Varady, Eva Lind, Jessye Norman, Edita Gruberová, Julie Kaufmann (sopranos),
Paul Frey, Andreas Conrad, Martin Finke, Wolfgang Millgramm (tenores),
Egbert Junghanns, Olaf Bär, Rolf Wollrad, Dietrich Fischer-Dieskau (barítonos),
Gerd Wolf (baixo), Marianne Rorholm (alto)
Leipzig Gewandhaus Orchestra
Kurt Masur
Philips 475 6674
(1988)


YouTube




Jessye Norman
Jessye Norman School of Arts / USA TODAY / New York Post / Wikipedia

06/10/2019

Compositores #142: Giya Kancheli (1935-2019)


Nesta semana que agora termina registámos mais um falecimento, desta vez o do compositor georgiano Giya Kancheli. Deixou de viver no seu país natal após o desmembramento da União Soviética, em 1991, tendo residido uns tempos em Berlim e mudado posteriormente para Antuérpia (Bélgica).

Deixou-nos um importante conjunto de obras, com destaque para as orquestrais (das quais, contudo, apenas sete são sinfonias), salientando-se ainda as músicas que escreveu para filmes (para mais de 40 filmes, note-se).


CDs



Giya Kancheli
… à la Duduki. Trauerfarbenes Land.
Vienna Radio Symphony Orchestra
Dennis Russell Davies
ECM New Series 457 850-2



Giya Kancheli
Lament (Music of mourning in memory of Luigi Nono).
Maacha Deubner (soprano), Gidon Kremer (violino)
Tbilisi Symphony Orchestra
Jansug Kakhidze
ECM New Series 465 138-2



Giya Kancheli
Magnum ignotum. Simi.
Mstislav Rostropovich (violoncelo)
Royal Flanders Philharmonic Orchestra
Jansug Kakhidze
ECM New Series 462 713-2



Giya Kancheli
Styx.
John Tavener
The Myrrh-Bearer.
Maxim Rynasov (viola), Rihards Zalup (percussão)
Kammer…' Choir
Latvia State Choir
Liepaja Symphony Orchestra
Maris Sirmais
Onyx ONYX4023
(2006)



Giya Kancheli
Little Imber. Amao Omi.
Mamuka Gaganidze (vocais), Nika Memanishvili (teclado), Zaza Miminoshvili (guitarra)
Matrix Ensemble, Rustavi Choir, Children's Choir, Raschèr Saxophone Quartet
Netherlands Chamber Choir
Klaas Stok
ECM New Series 476 6394


YouTube




Giya Kancheli
Gramophone / ECM Records / Wikipedia

29/09/2019

Pianistas #65: Paul Badura-Skoda (1927-2019)

Nesta semana que agora finda tivemos a triste notícia do falecimento do pianista austríaco Paul Badura-Skoda, senhor de uma longa e extraordinária carreira. Partilhou os palcos com outros grandes nomes da cena musical, nomeadamente com os maestros Wilhelm Furtwängler (1886-1954) e Herbert von Karajan (1908-1989).


Das suas colaborações com outros músicos destacaria as que teve com o violinista David Oistrakh (1908-1974), e de que resultaram, nomeadamente, gravações das sonatas de Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791) que ainda hoje, passadas uma boas dezenas de anos, são ainda de referência.


CD



Wolfgang Amadeus Mozart
Violin Sonatas - No.23 in D major, K306; No.33 in E flat major, K481;
No.32 in B flat major, K454. Six Variations in G minor, K360.
David Oistrakh (violino), Paul Badura-Skoda (piano)
Andante AN2200
(1972)


YouTube




Paul Badura-Skoda
Official Website / Gramophone / Wikipedia

15/09/2019

Maestros #87: Bruno Walter (1876-1962)


O maestro alemão de nascimento (em 1938 assumiu a nacionalidade francesa) Bruno Walter teve não só a felicidade de conhecer o compositor Gustav Mahler (1860-1911), como a oportunidade única de com ele ter tido uma estreita relação de trabalho. Não surpreende, portanto, que Mahler seja um dos compositores em que Bruno Walter mais se salientou, e é com ambos que ficamos hoje, dia em que passam 143 anos sobre o nascimento do maestro.


YouTube





Bruno Walter
AllMusic / Music and the Holocaust / Wikipedia

07/09/2019

Maestros #86: Simon Rattle (1955-)

O maestro inglês Simon Rattle passou as décadas de 1980 e de 1990, primeiro como maestro principal e depois, a partir de 1990, como diretor musical da Orquestra Sinfónica da Cidade de Birmingham.


Em Junho de 1999, Rattle foi o escolhido para suceder ao maestro italiano Claudio Abbado (1933-2014) como maestro principal da Orquestra Filarmónica de Berlim. O primeiro concerto em que dirigiu essa orquestra, depois da nomeação, foi no dia 7 de Setembro de 2002, passam hoje 17 anos. Do menu constaram Asyla, do compositor britânico Thomas Adès (1972-), e a Sinfonia Nº5 de Gustav Mahler (1860-1911).


CD



Gustav Mahler
Symphony No.5
Berlin Philharmonic Orchestra
Simon Rattle
EMI 5 57385-2
(2002)


YouTube



Simon Rattle
Warner Classics / Askonas Holt / Wikipedia

25/08/2019

Violinistas #20: Christian Ferras (1933-1982)

O concerto que deu em Vichy, França, no dia 25 de Agosto de 1982, passam hoje 37 anos, deveria ter sido apenas mais um dos concertos do violinista francês Christian Ferras. Já era senhor na altura de uma carreira bem sucedida, só que ainda bastante novo, pelo que nada fazia prever que aquela fossa a última vez que tocaria em público. Mas foi, uma vez que o violinista faleceria no mês seguinte.


Depois de alguns anos a gravar para a (saudosa) EMI, Christian Ferras passou para a Deutsche Grammophon a partir de 1964, ano em que gravou para essa editora o Concerto para Violino de Johannes Brahms (1833-1897), em conjunto com a Orquestra Filarmónica de Berlim sob a direção de Herbert von Karajan (1908-1989).


CDs



Franz Schubert
Rosamunde Overture, D644.
Alban Berg
Violin Concerto, 'To the Memory of an Angel'.
Anton Bruckner
Symphony No.9 in D minor (ed. Nowak).
Christian Ferras (violino)
Berlin Philharmonic Orchestra
Joseph Keilberth
Testament SBT2 1472
(1960)



L'Art de Christian Ferras
Christian Ferras (violino)
Deutsche Grammophon 480 6655


YouTube



Christian Ferras
The Violin Channel / Medici.tv / Wikipedia